5 vezes que você achou que era amor, mas era só cilada

Nem sempre se termina um relacionamento com todas as certezas necessárias. Vez ou outra fica aquela duvidazinha pairando e te fazendo pensar se tomou a decisão certa.

O fato é que depois de um término recente, muitas situações aparecem para colocar à prova o seu sentimento e quase sempre confundir as emoções. Listo aqui alguns desses momentos que podem fazer você querer voltar atrás… mas vai com calma!

1. Você acordou e parece que tudo começou a dar errado. O despertador não tocou, não deu tempo de tomar café e o chuveiro queimou. Achando pouco, enquanto a água gelada cai nas suas costas, você começa a pensar no ex… lembra que se ainda estivessem juntos, ele teria consertado o chuveiro e preparado o seu shake para adiantar. Então chora e sofre concluindo que fez uma grande besteira terminando e até pensa em mandar uma mensagem dizendo que se arrependeu, mas quando chega em casa no final do dia e vê que o zelador foi ajeitar o chuveiro e o seu banho ficou quentinho, nem lembra mais que estava em deprê. Ou seja… era só de um encanador que você precisava.

2. Todas as noites você chora por não receber mais as mensagens de boa noite que ele enviava. Acha que não existe dor maior que aquela. Mas na última sexta, você foi apresentada à um carinha que, muito interessado, começou a enviar umas mensagens fofas e criativas durante o dia inteiro. Aí você vai pra cama sorrindo com o último áudio que ele mandou te chamando de linda e… epa! Não era você que andava molhando o travesseiro? Ah tá! Era só carência.

3. No dia do término você se sentiu aliviada! Se livrou dos 82kg que ele pesava e que parecia estar colado nas suas costas. Mas eis que algumas semanas depois, você encontra o moço com uma fulana em um bar e desmonta inteira ali mesmo. Pede para a amiga tirar você de perto daquela cena, o mais rápido possível e vai pra casa se afogar em uma garrafa de vodka. Fica desesperada com a possibilidade de ser uma possível namorada e começa a mandar mensagem para o rapaz dizendo que se arrependeu e que ainda gosta dele. O fofo, que ainda morre de amores por você, vai correndo ao seu encontro e diz que aquela mulher era uma amiga lésbica e que aceita retomar o namoro. Então você para, pensa e diz que se enganou e que não quer voltar. Miga, não faz isso que é feio. Essa história de “não quero pra mim e não quero com ninguém”, é egoísta demais. Deixa o rapaz ser feliz.

4. Não rolou nenhum convite para fazer nada no final de semana. O cara que você conheceu na última quarta – e se empolgou toda – nem deu sinal de vida. Mas ao invés de fazer qualquer outra coisa, você prefere lembrar do ex e que, se ainda estivessem juntos, estariam grudadinhos no sofá nessa noite chuvosa e que ele sim, era um homem bacana e que não te magoava, que nunca deixou de ligar, que sempre te tratou como uma rainha e… no meio desse devaneio de sofrência, chega um whatsapp do boy da quarta-feira chamando para tomar um vinho. Você corre com tanta empolgação para se arrumar que esquece de terminar de sofrer pelo ex.

5. Você anda se dando tão mal nas últimas paqueras que vive evocando o ex, como se ele fosse uma entidade. Repete várias vezes para as amigas, para a família e até para o porteiro, que ninguém no mundo nunca vai te amar como o ex te amava. Que só ele era capaz de aceitar os seus defeitos e te amar incondicionalmente e que foi burra por ter terminado. Com esse pensamento, a única coisa que você pretende, é justificar os foras que tem levado, pois no fundo sabe que não quer mais o ex.

E nessas confusões sentimentais, você vai acreditando que é amor, quando na verdade é só o destino testando o que você, realmente, sente.

Tem gente que termina, mas quer a alma do outro sempre ligada à sua. Tem gente que acumula coisas, já outros gostam de acumular pessoas.

Não amam mais, não querem estar junto, mas confundem rotina e afinidade com amor.

Não, não é amor… é uma cilada!

 

 


Publicado em Sem categoria | 1 comentário

Sobre o teu beijo

Se você quiser, leia ouvindo: Kiss me

 

Se eu pudesse te beijar hoje, começaria com um abraço, para o teu coração ficar bem perto do meu.

Beijaria tua nuca, enquanto o teu perfume invadiria os meus sentidos.
Depois eu passaria um tempo que não se conta, sentindo a tua barba e brincando de morder o teu queixo.

Só então encostaria os meus lábios nos teus.

Se eu pudesse te beijar hoje, seria diferente de todas as outras vezes.
Seria melhor, seria mais forte, seria desejo, amor e saudade.

Se eu pudesse te beijar hoje, abriria mão de alguns sonhos, de perder 3kgs… e trocaria horas e horas em qualquer outro lugar do mundo, por esses poucos minutos.

Se eu pudesse te beijar hoje, aproveitaria esses minutos em teus braços para esquecer toda a distância que nos separou e todas as noites que chorei desejando esse mesmo beijo.

Se eu pudesse te beijar hoje, antes iria sussurrar no teu ouvido contando o quanto quis fazer isso em todo o tempo que não tive você.

Se eu pudesse te beijar hoje, desmarcaria qualquer compromisso, recusaria qualquer proposta por mais atraente que fosse e fecharia o acordo de não me desgrudar do teu corpo.

Se eu pudesse te beijar hoje, perguntaria se você sentiu falta de mim da mesma forma que senti de você… todos os dias.

Se eu pudesse te beijar hoje, esqueceria o mundo inteiro.

Eu só pediria ao tempo, como jamais pedi qualquer outra vez, que ele tivesse mais paciência em passar, que ao se aproximar de nós, ele viesse em slow motion… que ficasse parado, congelado.

Se eu pudesse te beijar hoje, a única coisa que eu queria é que não tivesse hora pra acabar.
Se eu pudesse te beijar hoje, felicidade teria nome e se chamaria “tua boca”.

Se eu pudesse te beijar.
Hoje.
Em qualquer tempo.
Em qualquer lugar.
Beijaria com todas as velhas saudades e cheia de novos desejos.

 


Publicado em Sem categoria | 2 comentários

4 coisas que eles falam das ex namoradas

Mulher fala muito e o tempo todo. Me diga quem nunca ouviu ou falou isso. E apesar de não gostar de rótulos, devo dizer que há uma certa verdade nesta afirmação.

Isso não quer dizer que os homens não falem ou falem pouco. Conheço uns que falam tanto que a gente nem precisa responder nada. Eles falam , respondem a si mesmo, se criticam, se elogiam e a gente fica liberada só pra comer a pizza.

Em relação aos ex relacionamentos, dizem que as mulheres falam e relembram mais. Sempre há uma referência, uma comparação e muitas vezes nem é por ainda gostar do finado. É só pra falar mesmo.

Os homens são mais contidos, mas ao falarem das suas ex, também podem pecar por excesso. Listo aqui algumas dessas situações onde eles costumam cometer esses deslizes. E, sim, nós também pecamos muitas vezes. Mas agora quero falar dos meninos, certo? Segura essa.

O magoado: você sai a primeira vez com ele e durante o jantar, quando chega o tema “antigos relacionamentos”, ele começa a detonar a ex. Fala mal de como ela agia, do que dizia, de como se vestia, de como esbanjava dinheiro e fala tudo isso imprimindo raiva na voz. Tenha certeza que esse cabra foi largado. Essa fúria insana, significa dor da rejeição. E um cavalheiro não fala mal de uma outra mulher, diante daquela que acabou de conhecer.

O inseguro: esse é clássico… começa um namoro novo e quando sente que a moça não está muito apaixonada ainda, começa a dizer que a ex ainda é apaixonada por ele, que a ex vive pedindo pra voltar e que a ex manda mensagem todo dia. Na maioria das vezes, a ex nem lembra mais que o sujeito existe, aí quando o encontra na rua com a nova namorada e tenta cumprimenta-los, a atual só falta fuzilar a coitada que nem sabe o que está acontecendo e que está com pena dela por ter herdado o encosto.

O bolsa de valores: esse vive fazendo comparações para testar se logrou êxito e fez um bom investimento nas ações. Sempre que tem oportunidade, menciona que a ex morava em um apartamento enorme, que a ex pagou todas as despesas da viagem deles , que a ex quem deu aquele relógio caro que ele ainda ostenta. Obviamente, ele tenta dar um contexto de crítica à tudo isso, chegando a insinuar que ela ostentava muito, mas no fundo talvez queira que a atual faça a mesma coisa.

Vitrola quebrada: esse é aquele tipo que conta mais de mil vezes as mesmas histórias que viveu com a ex. O réveillon em Trancoso, o Natal na fazenda, o bar que expulsou os dois porque ela ficou bêbada e sobre o cachorro perneta que ela tinha.  Estudos apontam que talvez seja saudade ou falta de assunto mesmo.

Eu acho que as nossas histórias precisam ser guardadas e mesmo que não tenham sido tão boas, fazem parte de nós. Claro que não faz mal contar, mas precisa saber como e em que frequência falar dos ex afetos. Alguns assuntos ou comentários não devem ser compartilhados com a pessoa do atual relacionamento. Pode acabar em confusão ou desgaste.

 


Publicado em Sem categoria | 2 comentários

Entre o bem e o mal, ser ou não ser?

Eu não assisto Big Brother, mas não é por me achar intelectual ou por achar que os participantes são isso ou aquilo. Houve uma época em que eu assistia e até torcia, agora por falta de tempo, vejo apenas resumos, pois faz parte do meu trabalho.

Mas um assunto que é pauta em várias rodas de conversas e que tem relação com o conteúdo do meu blog, me deixou inquieta e resolvi trazer aqui.

A história é mais ou menos essa: Fernando entrou na casa, se apaixonou por Aline, disse “eu te amo” e até pediu a moça em casamento. Achando pouco, ainda falou que nada separaria os dois. Enquanto esse romance rolava e Aline estava na casa, Amanda, que nunca negou o interesse em Fernando, fez várias investidas e ainda profetizou que ficaria com ele. Por sua vez, o moço disse que isso NUNCA aconteceria.

Como mainha sempre me diz “nunca diga dessa água não beberei”. Acho que a mãe de Fernando não ensinou isso pra ele. Aline saiu da casa e em pouco tempo o malhadão estava cedendo aos encantos de Amanda, que sempre esteve focada no seu objetivo, no caso ele, e atacou. Aconteceu! Beijaram, transaram e começaram um namorinho lindo até o dia da eliminação dele e agora não se sabe onde isso acabará.

Tenho lido muitos comentários e opiniões que os psicólogos-intelectuais-de-redes-sociais estão escrevendo por aí. Alguns acusam Fernando de galinha, outros chamam Amanda de vulgar e de sem amor próprio e Aline ainda está na posição confortável de vítima.

Eu não tenho muita paciência para discutir a vida dos outros, mas claro, sou humana e muitas vezes julgo. E é isso que me assusta!

Muitos dirão que só quem está na situação é que sabe… que ele poderia estar carente, que ela preferiu relevar as coisas que ouviu dele e investir nesse potencial relacionamento e dirão muito mais.

Ok! Cada um sabe de si. Mas respeito é universal, parceiro. Em frente às câmeras, longe delas, na Bahia ou no Paquistão… acredito que no amor, devemos pensar primeiro no que nos faz feliz, sim. Mas isso nada tem a ver em não se importar com o sentimento do outro.

O que vejo nessa situação, não é nem o fato da traição. Vejo um cara que não tem a menor ideia do que é amor de verdade e fala “eu te amo”, um cara que não pensa duas vezes em fazer descaso do sentimento de uma mulher, para em seguida usá-lo a seu favor quando conveniente. Problema da moça se ela não teve amor próprio, pelo menos o sentimento em relação à ele é verdadeiro. E ele, nem isso…

Para quem tem interesse na história, só resta esperar com quem o moço quer ficar, porque SIM, tudo leva a entender que é ele quem decidirá. Creiam!

Vamos ver se quando Amanda sair ele vai recebe-la com um beijo e dar continuidade à história ou se apenas dirá um “vamo marcar”.

Enquanto isso, vamos pedir mais amor, por favor… e muito mais respeito, sem favor nenhum porque isso é obrigação. Tem que ter!

 


Publicado em Sem categoria | 4 comentários

A história de amor de Bruna e Thiago

“Você me achava meio esquisito e eu te achava tão chata…”

É mais ou menos assim, que começa a história de hoje. Bruna conheceu Thiago ainda no colégio e apesar dele estudar a tarde, ela de manhã e não rolar muito contato, ela já olhava pra ele e achava o menino esquisito… talvez fosse o subconsciente sinalizando que era para reparar melhor no moço. Thiago também não ia com a cara de Bruna… achava ela chata e muito espevitada.

“Mas tudo que acontece na vida tem um momento e um destino…”

Até que um dia, o cupido resolveu levantar da sua rede confortável e dar o primeiro passo, afinal se dependesse daqueles dois, ele ainda ia ter muito o que esperar até acertar a flechada. E assim foi!

Eles tiveram uma aula juntos e embora os dois até hoje achem que foi por acaso, o cupido tratou de reservar uma cadeira para Thiago, bem ali… na frente da de Bruna. E então os dois se viram e esse foi o diálogo:

Bruna: Oi garoto!

Thiago: Oi garota!

Cupido: Finalmente né, Mores?

“O seu amor, pode estar do seu lado…”

Aquilo que parecia uma antipatia mútua, acabou se transformando em amizade e depois em atração. O cupido, como como bom produtor de eventos que é, providenciou uma festa no colégio para unir os dois e aí aconteceu… música, climinha… e eles ficaram.

A partir daí começou um “rolo” e embora sempre juntos, não havia nada estabelecido. Bruna nunca se preocupou com rótulos, mas a turma de amigos e o cupido também, torciam por um relacionamento sério.

Então, no primeiro réveillon que passaram juntos (2005/2006), Thiago pediu Bruna em namoro e ela aceitou.

“O amor é o calor que aquece a alma…”

O sentimento foi crescendo e se transformou em amor. No amor que cuida, que protege, que quer o bem do outro e acima de tudo, um amor amigo, um amor que ensina. Ela aprendeu a ser menos impulsiva e a ouvir mais a razão. Ele a confiar em si mesmo e ir em busca dos seus sonhos.

Escolheram a mesma profissão, possuem um amor enorme pelos bichos e compartilham os filhotes de pelos que já fazem parte da história deles.

Bruna é de escorpião. Forte, tenaz, intensa e romântica. Thiago é um típico canceriano. Tímido, ligado à família e com um coração enorme. Ela torce pelo Santos, ele pelo Corinthians e o cupido tenta fazer o meio de campo para que os dois não briguem por isso.

Mas eles já brigaram por outros motivos, como qualquer casal normal. E uma dessas vezes levou ao término, só que o amor falou mais alto e eles voltaram.

“Ir ao cinema todo domingo só com você do meu lado…”

A história continua linda, firme e forte… eles viajam, adoram cinema e jogam vídeo game juntos. Ela faz Thiago rir e ele, depois de cada brincadeira, a chama de “besta”. Mas mal sabe Bruna que ao chama-la assim, o que ele quer mesmo dizer, é que depois de tanto tempo, ela ainda consegue arrancar dele os melhores sorrisos e as melhores gargalhadas.

“Eu hoje mesmo quase não lembro que já estive sozinho…”

Eles se completam tanto, que quase não lembram de como viviam separados antes daquele reveillon, onde tudo começou de verdade. Thiago costuma dizer, que todos os fogos de artifício, da meia noite, de todos os dias 31 de dezembro, são para Bruna… para comemorar o aniversário de namoro dos dois.

Portanto não importa onde esses fogos estiverem… na Barra, em Copacabana ou Paris. O mundo inteiro sempre irá celebrar o amor deles dois.

Bruna e Thiago são namorados, amantes, amigos e sabem que uma vida a dois precisa ser cuidada e que a alegria de estarem juntos, aproveitando cada momento, é muito mais significativa que qualquer padrão que a sociedade possa impor. A mais forte união é a de almas e essa eles já possuem.

Eu e o cupido, nos emocionamos com a história deles e fechamos o post com a música que é tema do casal.

https://

 

 

 


Publicado em Sem categoria | 2 comentários

A história de amor de Aline e Bruno

E começou assim… um sábado qualquer, uma noite qualquer e um bar qualquer.

Mas o que aconteceria naquele dia, tornaria todos esses detalhes especiais.

Aline saiu com umas amigas.

Bruno saiu com uns amigos.

O destino quis que eles fossem ao mesmo lugar e o encontro aconteceu.

Encantamento a primeira vista, muita conversa e uma dança para marcar a noite.

Mesmo sem ter passado de um contato superficial, Aline já sabia que aquele cara representaria algo mais na sua vida.

Tinha que acontecer e uma semana depois, outro encontro, outro lugar e finalmente o beijo.

Daqueles beijos inesquecíveis em que a química é revelada só com o toque da pele.

No dia seguinte, uma ligação de Bruno fazendo Aline sorrir… nada mais.

O moço sumiu, não deu mais notícias.

E contrariando a regrinha ridícula que ouvimos por aí, de que se o cara sumir, a mulher não deve procurar, Aline foi em busca. Ligou!

Bruno não fugiu dessa chance que o universo deu à ele e atendeu ao chamado.

A partir daí eles começaram a escrever uma história cheia de encontros frequentes, necessidade um do outro, saudade e vontade de ficar junto por mais tempo.

Aline, em um mundo onde já quase não existe esse tipo de romantismo, foi pedida em namoro.

E começaram… um amor que nascia pequeno, mas que já mostrava a força que tinha.

A vida real não é um conto de fadas e namoro não é mar de rosas.

A fase complicada do vestibular, os estudos tomando todo o tempo, o ciúme excessivo do pai dela e as coisas pequenas que acabam tomando grandes proporções em momentos assim, culminaram em um rompimento. Eles terminaram.

Se afastaram fisicamente, mas os corações não obedeceram ao comando. Continuaram unidos.

E quando o amor se mostrou bem mais forte que tudo isso, eles voltaram.

Já são seis anos de história, mas engana-se quem pensa que os desafios terminaram. Bruno agora está morando longe e esse amor à distância, é apenas mais um obstáculo que esses dois vão atravessar.

Bruno e Aline… opostos dispostos que se atraem.

Ele médico, ela advogada.

Ele Bahia, ela Vitória.

Ela em Salvador, ele nos EUA.

Diferenças que para muitos poderiam significar desencontros, para eles são sinônimos de confiança, cumplicidade e respeito pelas escolhas do outro.

Porque assim é… quando o amor é grande e forte, todo o resto parece pequeno e frágil.

Nada nunca será mais importante do que o sentimento que os une.

Quando Aline fala de Bruno…

Logo vou reencontrá-lo e enquanto isso não acontece fico na esperança que os dias passem mais rápido que o normal para podermos ficarmos juntos novamente e matar a saudade que machuca o coração e nos conforta ao mesmo tempo, pois nos faz lembrar um do outro sempre.

Quando Bruno fala de Aline…

Esta mulher especial, fantástica, ímpar, imprevisível e cujo mau humor sou apaixonado é a pessoa com quem eu quero estar nos meus 80, 90 ou 100 anos. Continuo loucamente apaixonado por você, em nada mudou o meu sentimento. Te amo!

Dizem que o amor acontece quando a gente menos espera, mas para que ele continue pulsando, precisamos estar bem atentos e cuidadosos.

Quando há vontade, há um caminho e ainda que muitas vezes tudo pareça conspirar contra, é só o destino testando o seu desejo e querendo saber até onde você irá em busca desse sonho.

Bruno e Aline sabem disso e por isso cultivam o que há de mais forte entre eles. Porque não há vestibular, pai ciumento, TPM, times adversários, distância ou qualquer outra adversidade que separe dois corações que querem ficar juntos. Nada pode ser mais forte que o amor!

E a gente fica aqui torcendo por essa linda história pois, certamente, eles continuarão sendo felizes…

Fecho o post com o clip da música que eles dançaram no primeiro encontro e que marcará para sempre essa história.

https://

 


Publicado em Sem categoria | 3 comentários

Conto histórias de amor!

Eu vou sair por aí e escutar quem quiser falar de amor.

Depois que eu ouvir cada história, vou pegar o meu lápis e escrever.

Vou escrever para ficar registrado pra sempre que o amor acontece de diversas maneiras e que ele está na minha, na sua e nas histórias de muitas outras pessoas.

Quer contar? Então pode chegar que eu quero muito saber!

É isso aí, pessoal!

Quem quiser a sua história de amor publicada aqui no blog, é só me escrever contando e eu faço o resto. Abaixo explico os passos:

1. enviar a história para o meu email: coisasdeliz@gmail.com

2. deixar claro se você quer se identificar ou se quer que eu use outros nomes (um pseudônimo)

3. se a sua história tiver uma música que marcou, me diz qual é para que ela seja a trilha.

4. será uma série de 10 histórias que obedecerá a ordem de chegada no email.

5. a história que tiver mais curtidas aqui, leva um brinde do blog.

Quem quiser, já pode começar a enviar!

Beijo

 


Publicado em Sem categoria | 6 comentários

Copo cheio e coração vazio

“De copo sempre cheio, coração vazio. Tô me tornando um cara solitário e frio”.

Outro dia ouvi essa música em uma festa que eu estava e, independente, de gostar dela, do estilo ou da banda, fiquei pensando sobre essa frase. Será mesmo que um coração vazio transforma alguém em frio? Acho pouco provável!

Coração é um bicho inquieto. Mesmo quando está vazio, cutuca e quer respostas.

Não estar apaixonado e vivendo alguma história de amor, dá um respiro, uma pausa, uma hora do recreio… e as vezes isso é muito bom! Aquele tempinho que não tem ninguém ocupando os pensamentos e você se sente bem com isso.

Mas parece que tem sempre alguma coisa que incomoda, que falta, alguma urgência que quer ser atendida.

É bom ficar vendo filme e comendo pipoca, curtindo a sua própria companhia, mas ao mesmo tempo falta alguém pra rir ou chorar junto nas cenas.

É bom ouvir uma música romântica sem pensar em ninguém, mas ao mesmo tempo você queria ter para quem enviar a letra dela, por inbox, no meio de uma tarde.

É bom não ter compromisso de horários ou ter que receber a pessoa naquela sexta que o seu cansaço é maior que tudo, mas ao mesmo tempo seria tão bom deitar no colo e conversar.

É bom poder planejar aquela viagem solitária de imersão e conhecer lugares que só você tem vontade, mas também seria tão bom ter uma companhia para beijar, andar de mãos dadas e tirar fotos juntos.

É bom não ter que ficar se preocupando se o relacionamento da vez vai durar mais uma semana ou um mês, não ter insegurança ou ciúme, mas por outro lado falta a adrenalina da paixão.

É bom ser só você, mas faz tanta falta ser dois.

Não dá pra entender muito bem essa carência que caminha junto com a solidão bem resolvida. Não dá pra entender estar feliz sozinho e ao mesmo tempo sentindo falta de alguém que você sequer conhece.

É como se a cada dia feliz, você estivesse esperando alguém para contar tudo o que aconteceu de bom. É da natureza humana amar e mesmo que o coração tenha se partido algumas vezes, ninguém quer deixar de recomeçar e se apaixonar de novo.

Pessoas são complicadas. Se estão em um relacionamento, questionam se é isso mesmo que querem e se estão sozinhas, ainda que felizes, querem ter algum abraço para o qual voltar.

O coração pede respostas, mas em momentos assim, o melhor mesmo é viver deixando a alma livre, para que ela chegue onde precisa chegar.

O copo pode estar cheio e o coração vazio, mas quando o amor chega, transborda e ocupa todos os espaços.

 

 


Publicado em Sem categoria | 7 comentários

Ela nasceu assim

 

Ela é forte, cultiva a sinceridade nos olhos…

E faz birra quando quer.

Ela é mulher decidida, independente e sabe a resposta certa, mesmo quando você acha que ela ficará sem palavras.

Mas também é menina que sonha, que chora, que quer ser cuidada e que gosta de colo.

Ela tem bondade nos olhos.

Briga e se arrisca para defender quem ama.

Tem gênio forte e sabe usar a indiferença como aliada, sempre que é preciso.

Ela tem um coração que quase não cabe no peito e é feliz quem consegue estar dentro dele.

Tem atitudes intempestivas, gargalhadas deliciosas e um senso de humor que só os privilegiados possuem.

Ela é teimosa. Mesmo que ouça um “não”, vai continuar lutando até que o destino diga “sim”.

Tem doçura nas palavras, no olhar e pode demorar a perceber a maldade alheia, já que a sua alma é pura.

Adora ver feliz quem ela ama… é capaz de qualquer coisa para que isso aconteça.

Não pensa duas vezes para ajudar quem precisa e ainda briga se você disser que não quer dar trabalho.

O homem que conseguir conquistar o coração dela, certamente, será um cara de muita sorte.

E os amigos que podem estar perto, sabem o quanto isso é uma felicidade.

Ela nasceu assim, cresceu assim, mas não tem medo de mudanças.

Ela tem pele branca como a neve e está longe de ser cravo ou canela, mas ela é Gabriela…

Gabi! Aquela que nem Jorge Amado teria palavras suficientes para descrever.

Feliz aniversário, minha amiga! Obrigada pelo privilégio de poder te chamar assim.

Fecho o post com um dos seus cantores preferidos. Mas a música que escolhi é uma das que mais gosto quando ele canta, porque a nossa amizade é assim… sempre dividindo… amor, companheirismo e até as coisas mais simples.

https://

 


Publicado em Sem categoria | 1 comentário

Não fuja de mim

Se você quiser, pode ler o texto ouvindo: Gabrielle – Out Of Reach

 

Para de fingir que não sente nada por mim.

Não fuja quando eu me aproximar.

Responda o que eu pergunto, olhando nos meus olhos.

Não me encarar, só faz você mostrar que eu te perturbo.

Não fique pensando por horas e horas se me manda uma mensagem ou se finge que eu não existo.

Deixa o seu desejo falar mais alto.

Não reclame das minhas atitudes, nem da minha audácia em te seduzir.

Eu tenho o direito de provocar e você tem o desafio de resistir. Tente!

Esqueça os joguinhos. Sumir, me ignorar ou não falar, só vai fazer com que eu te esqueça, rapidamente.

Continue mantendo esses papinhos bobos e vazios, com essas garotas que você acha que podem me substituir. No fundo, você sabe que isso não vai acontecer.

Para de negar essa saudade. Ela pode te sufocar.

Confessar e me procurar, vai te fazer bem mais feliz.

Não espere que eu decida nada por você. Cada um com a sua tarefa.

A minha é provar o quanto a gente funciona bem juntos.

Se você acha que nenhum beijo é bom como o meu, que nenhum arrepio é maior do que aquele que eu te causo, provavelmente você ainda me quer.

Não precisa inventar desculpas para me ver.

Nós dois sabemos que você já leu todos os livros que tem me pedido emprestado.

O meu perfume não está em você. Sentir o meu cheiro o tempo todo, é só a sua memória dizendo que eu faço falta.

É ridículo esperar horas para retornar as minhas ligações.

Confessa logo que estava louco para ouvir a minha voz e saber o que eu tenho a dizer.

Para de negar o que sente!

Fala, grita, liga, escreve, espera na porta do meu prédio, corre atrás de mim na rua, invade a minha aula, faz uma manifestação de um homem só em frente a padaria que tomo café, me puxa pelo braço ou pela cintura ou pela mão, mas faz qualquer coisa.

Esconder, você já não pode mais.

Quando a vontade é grande, ela acaba se tornando maior que nós. Domina a razão e os sentidos.

Vem! No meu abraço você vai perceber que fez a escolha certa.

E no meu beijo, você vai entender que sinto a mesma coisa.

Vamos nos prometer que a partir de agora podemos tudo, menos fugir de nós mesmos e desse amor que nos prende.

 


Publicado em Sem categoria | 6 comentários