Incertezas

Estar com você é encarar uma montanha russa gigante a todo momento. Agora somos felizes, daqui mais alguns minutos o seu olhar já é distante e frio.

Hoje, um encontro sem gra√ßa, frases soltas, assuntos banais, quase nenhum toque, beijos escassos e um ‚Äúa gente se fala‚ÄĚ como despedida.

Amanh√£… paix√£o incandescente, m√£os que se multiplicam passando pelo meu corpo, desejo que escapa pelos poros, palavras deliciosamente carinhosas, planos para o final de semana, para o pr√≥ximo m√™s, nossa m√ļsica no ipod e um olhar que quase deixa escapar que me ama.

No dia seguinte, mais um looping quase mortal dessa montanha russa que √© voc√™… e ent√£o, outro comportamento aparece. Respiro, tento entender e esperar que essa bipolaridade emocional se estabilize, mas at√© quando? Vejo que cheguei em um ponto que me anulo e quase me acostumo com as suas incertezas.

Vasculho a minha mente para saber se falei, sem querer, alguma coisa que fez voc√™ se assustar e se afastar, mas percebo que a cada dia fico mais polida com o que digo… exatamente por j√° entender que voc√™ pode mudar com algo que n√£o tenha sido bem interpretado.

Cansei da brincadeira… dessa gangorra que me deixa no ar apenas por alguns minutos e me joga no ch√£o no pr√≥ximo sorriso.

Não sou boba a ponto de achar que esta é a sua atitude normal com todos os assuntos. Sei bem que essa troca de máscara só acontece quando se trata de nós.

O seu medo de agir naturalmente, por achar que posso entender errado os seus atos, que posso traduzir os seus sorrisos como promessas, que posso entender as suas noites na minha cama como um acordo de fidelidade, faz com que voc√™ se aproxime e se afaste… se entrega e se recolhe.

E nesse vai e vem, cheguei ao meu limite. Não dá pra lhe ver dosar até onde pode ser você e até onde precisa segurar os seus sentimentos.

Chega de tentar pensar o que posso pensar, imaginar o que posso sentir ou roubar de mim o carinho que quer me dar s√≥ pelo est√ļpido medo de transformar o que temos em algo mais forte.

Não adianta fazer esses joguinhos ridículos, pare de ser esse estrategista sentimental de quinta categoria e caia na real.

Eu j√° sei ler voc√™… conhe√ßo os seus olhares, os seus gestos e posso traduzir quase todas as suas atitudes. N√£o √© que eu me ache esperta ou intuitiva… √© a sua transpar√™ncia que me d√° esse poder.

Chega! Eu quero respirar sem sentir o peito apertar, eu quero amanhecer sem essa ansiedade doentia que tem me acompanhado. Eu quero sorrir sem ficar interrompendo a minha alegria, apenas para combinar com as suas oscila√ß√Ķes de humor.

Eu quero finais de semana com gosto de paz, sorvete, pipoca, gargalhadas… e n√£o domingos sombrios esperando que voc√™ decida se posso ter a sua companhia.

N√£o quero mais entender… chega de entender o que n√£o faz sentido.

O seu medo de amar e ser feliz, n√£o pode contaminar a minha coragem. Esse abismo que voc√™ faz quest√£o de manter entre n√≥s, n√£o me interessa. Eu at√© curto as surpresas e a forma imprevis√≠vel do destino agir, mas no seu caso o ‚Äún√£o saber‚ÄĚ tem um lado muito negativo.

Eu conhe√ßo voc√™… conhe√ßo o seu cora√ß√£o, sei que l√° tem um espa√ßo que √© meu, mas faltou abrir as janelas e deixar entrar luz. Viver nessa escurid√£o, n√£o me interessa.

 


Publicado em Rom√Ęnticos | 4 coment√°rios

O muito que fui…

Quando você disse o motivo pelo qual estava me deixando, achei que fosse uma brincadeira e que no final nós daríamos uma bela gargalhada e terminaríamos a noite nos amando, como de costume.

‚ÄúVoc√™ √© muito pra mim‚ÄĚ… e nessas suas palavras rasas e pouco substanciais, vimos escorrer pelos dedos a nossa hist√≥ria.

Sempre achei que voc√™ era √≥timo em inventar ‚Äúdesculpas‚ÄĚ para as nossas briguinhas e mesmo n√£o acreditando, deixava passar pois estar com voc√™ era muito melhor que sentar em lados opostos do sof√°, s√≥ para esperar a raiva passar.

‚ÄúVoc√™ √© muito pra mim‚ÄĚ… sua voz dizendo isso continua ecoando dentro de mim… da minha alma, do meu cora√ß√£o…

Que esp√©cie de amor √© esse que mede e julga? Quando se ama algu√©m, essa pessoa nunca √© muito ou pouco… ama-se a ess√™ncia, o cheiro, o sorriso. Ama-se o jeito, o todo.

‚ÄúVoc√™ √© muito pra mim‚ÄĚ… volto a pensar o que fez voc√™ me dizer isso. Ser√° que por tr√°s desses olhos que amei tanto, se esconde um covarde que n√£o tem coragem de dizer o que, realmente, quer?

O que você queria mesmo mensurar quando me disse isso? O que é muito para você? A minha força, a minha vontade de viver e o meu jeito leve de encarar a vida? O meu amor, que sempre foi imenso?

Nunca me senti maior ou menor em rela√ß√£o √° voc√™… e muito menos lhe enxergava como algu√©m acima ou abaixo de mim. Amor n√£o √© nada disso.

A √ļnica coisa que se mede no amor √© o tamanho da saudade, a dist√Ęncia do beijo e os minutos que faltam para chegar perto e esquecer do mundo.

N√£o, eu n√£o sou muito para voc√™. Tudo o que fiz e tudo o que fui enquanto est√°vamos juntos, era por n√≥s e para n√≥s… confesso que algumas vezes, esquecia at√© de mim.

A √ļnica diferen√ßa entre n√≥s, √© que eu sempre soube o que queria e pelo jeito, voc√™ n√£o.

Eu n√£o sou muito, mas amo e me entrego muito!

E se em todo esse tempo não houve sensibilidade da sua parte para entender isso, só posso lamentar.

Agora percebo que o problema n√£o sou eu, √© o seu sentimento… este sim, √© muito pouco pra mim.

 


Publicado em Rom√Ęnticos | 13 coment√°rios

Sexo casual? Hoje, n√£o!

Sexo √© bom… ali√°s, sexo √© maravilhoso! Todo mundo gosta e sente falta quando n√£o tem.

Fica ainda melhor quando se tem uma rela√ß√£o bacana e √© poss√≠vel unir o sexo ao amor. √Č uma combina√ß√£o perfeita… se voc√™ nunca experimentou isso, n√£o passe a vida sem conhecer essa sensa√ß√£o.

No mundo dos solteiros, a prática sexual nem sempre está ligada ao amor, mas sim às necessidades carnais. A demanda é excessiva, a oferta também e o povo se vira como pode.

No caso das mulheres adeptas ao sexo casual, existem algumas etapas a serem consideradas… h√° aquele momento em que ela n√£o est√° se importando muito se o cara vai ligar no dia seguinte, afinal o que est√° em jogo √© apenas uma boa transa.

Ent√£o tem uma outra fase onde ela est√° apenas transando vez ou outra com a criatura, mas fica torcendo para que aqueles encontros se transformem em algo mais s√©rio… tem vontade que a pessoa fique n√£o s√≥ na sexta a noite, mas durante o domingo inteiro.

E dentro de várias outras etapas, há aquela em que ela está cansada dos encontros efêmeros. O tesão continua ali, mas um lado muito racional começa a pesar e mostrar que só satisfazer o corpo não é mais suficiente.

Aquele cara legal e sempre pronto para saciar o desejo de ambos, j√° n√£o parece mais t√£o atraente… ela olha para ele e sente vontade de dizer: ‚Äúte ver n√£o √© mais t√£o bacana quanto a semana passada‚ÄĚ.

O sexo √© bom… a qu√≠mica continua √≥tima, mas falta alguma coisa. Falta ir al√©m daquela manh√£ onde ele toma um caf√© r√°pido na sua casa e some por 3 ou 4 semanas, falta ter a companhia para ver um programa bobo de TV, rindo e falando besteira.

Falta um olhar que mostre interesse no que ela √© e sente. Falta abra√ßo… aquele tipo de abra√ßo que s√≥ tem a inten√ß√£o de proteger, passar carinho e aconchego. Falta tudo aquilo que vem depois do sexo… quando se percebe que a pessoa est√° ali por um motivo muito maior que s√≥ o desejo.

Ent√£o aquelas liga√ß√Ķes e mensagens de homens que pareciam interessantes, perdem um pouco o sentido… ali√°s, o que ela perde mesmo √© a paci√™ncia e quer at√© encurtar a conversa, finalizando: ‚Äún√£o, hoje eu n√£o quero transar‚ÄĚ.

No meio desse impasse entre os desejos que continuam invadindo o corpo e a vontade de acabar com os encontros sexuais, ela segue oscilando… dias que mant√©m firme a decis√£o de estar sozinha e em outros cedendo aos encantos daquele cara que tem uma √≥tima pegada. At√© que ela decida, enfim, o que ser√° melhor para a sua sa√ļde emocional.

Se voc√™ se encontra em uma situa√ß√£o como esta, saiba que n√£o est√° sozinha. Nas √ļltimas semanas recebi cinco emails, de leitoras diferentes, dando esse mesmo depoimento. E tem muito mais mulheres por a√≠, vivendo isso.

O sexo casual é bom, mas quando você começa a ter interesses diferentes do que este ato proporciona, é preciso ter cuidado para que ele não passe de diversão, para uma agressão aos seus sentimentos.

 

 


Publicado em Cotidiano | 9 coment√°rios

Os opostos se atraem?

Dizem que os opostos se atraem! Eu gosto mais da frase do Anitelli que diz: “os dispostos se atraem”. Em alguns casos, √© preciso estar mesmo muito disposto!

Amor, paix√£o, atra√ß√£o… esses sentimentos n√£o escolhem alvos, na verdade, somos¬† atingidos por eles.

√Č comum que voc√™ se aproxime de pessoas com os mesmos interesses, mas vez ou outra, aparece algu√©m que destoa por completo do seu jeito ou comportamento.

Você gosta de pagode e ele de rock.
Você gosta de churrasco e ela é natureba.
Voc√™ se veste de maneira cl√°ssica, discreta… e ele tem 387 tatuagens, piercing no nariz, na sobrancelha, na l√≠ngua e se veste de maneira muito informal.

Ela usa scarpin todos os dias e ele All Star para ir em todos os lugares.

Você acha estranho e melhor não comentar, mas a pessoa medita as quatro da manhã e interrompe o que estiver fazendo no fim da tarde para reverenciar o deus sol!

Os h√°bitos, completamente distintos dos seus, parecem lindos, fofos, up-to-date e voc√™ come√ßa at√© a repensar sua vida, achando que precisa entrar numa vibe mais zen… que lindo!

Esta decisão pode dar muito certo ou muito errado, a depender do que te move a querer abraçar essas mudanças.

Mudar tudo para acompanhar o ritmo do novo amor, a princípio não envolve tanto sacrifício afinal, há um motivo subliminar que impulsiona a fazer isso: você quer pegar a pessoa de jeito!

Passada esta primeira fase, quando você já conquistou e está convivendo, acompanhar o ritmo do outro não parece mais tão excitante.

Você sente falta da sua rotina e aí para não revelar o seu arrependimento de ter se comprometido a acordar as 4h para ir correr na orla, começa a se mostrar impaciente, de saco cheio e continua fazendo tudo aquilo, desta vez, como obrigação.

Hora de prestar aten√ß√£o nos sinais de alerta… se o sentimento n√£o for maior que as diferen√ßas, dificilmente, voc√™s v√£o conseguir encontrar o equil√≠brio desta rela√ß√£o.

Ent√£o, se voc√™ for consciente do que quer, entender√° que n√£o passou de uma atra√ß√£o moment√Ęnea e que n√£o est√° ‚Äúdisposto‚ÄĚ a se adaptar √° vida do outro. Mas se o amor for verdadeiro, parceiro… se mesmo com todas as diferen√ßas, vier mesmo de repente uma vontade de se ver e de ficar… Ah! Essa hist√≥ria pode dar certo.

N√£o haver√° problema nenhum em fazer aquela viagem para o Cap√£o, voc√™ no carro e ele pedalando nas trilhas… um vai comer pizza de soja com br√≥colis, enquanto o outro se acaba na quatro queijos, haver√° consenso para ceder √°s vontades do outro, haver√° respeito com as cren√ßas do outro.

Haver√°, sobretudo, amor!

√Č muito bom conhecer pessoas que mostre um novo lado da vida, que ensine outros caminhos e formas de encarar o mundo.

Mas antes de qualquer coisa, esteja certo de que quer essa mudan√ßa ou de que mesmo n√£o mudando, aceitar√° se o outro for um conservador, um descolado… algu√©m com comportamento destoante do seu.

N√£o h√° regras… amar algu√©m que se comporte, exatamente, como voc√™ pode ser at√© mais complicado do que encarar diferen√ßas.

O grande balizador de tudo, ser√° sempre o amor!

‚ÄúE quem um dia ir√° dizer que existe raz√£o nas coisas feitas pelo cora√ß√£o…‚ÄĚ (Renato Russo)

https://

 


Publicado em Cotidiano, Rom√Ęnticos | 3 coment√°rios

Saudades do que senti

Eu me peguei triste e lembrando de voc√™… mas ao inv√©s de mudar o pensamento, resolvi dar margem √° imagina√ß√£o e te deixar vagar na minha mente.

Foi então que comecei a puxar da memória tudo que me prendia á você.

Tentei lembrar das coisas que me dizia para entender se era disso que eu sentia falta, mas n√£o havia nada para lembrar… poucas vezes ouvi da sua boca algo que me deixasse feliz… flutuando.

Depois achei que eu devia resgatar os carinhos que recebia de voc√™ e tamb√©m n√£o achei nada… raros beijos, contados abra√ßos e nunca olhares carinhosos que me fizessem acreditar nos seus sentimentos.

Pensei que talvez a saudade fosse dos nossos momentos mais √≠ntimos e embora eu tenha vivido instantes m√°gicos no in√≠cio, depois esses contatos se tornaram quase mec√Ęnicos.

Ent√£o percebi que a saudade era apenas do que eu sentia… da sensa√ß√£o boa de te esperar chegar, de conversar sobre tanta coisa e aguardar o momento que, finalmente, eu teria o beijo, o toque…

Saudade da forma que eu me entregava e vivia cada emoção.

Descobri que esse m√©rito era meu… transformar o pouco que voc√™ me dava em algo que me deixava feliz.

Esse √© o problema de quem sabe viver uma paix√£o… nos entregamos sem medo e mesmo que do outro lado o sentimento seja pequeno ou nulo, conseguimos ser felizes s√≥ pelo que sentimos.

E depois… quando tudo acaba, procuramos o que de bom o outro nos trouxe e conclu√≠mos que pouca coisa.

Chegamos a pensar que a saudade é do que recebíamos, quando na verdade é do que doávamos.

A parte boa √© que tudo isso continuar√° em mim… que sou capaz de gostar, de querer perto, de valorizar as pequenas coisas e os dias simples que se fazem especiais.

Da sua parte, n√£o sei…

Concluir o cap√≠tulo era necess√°rio, mas n√£o preciso finalizar com as palavras rudes e frias que ouvi, posso construir frases bem mais nobres… afinal, sou a protagonista.

Sempre h√° um final feliz para quem tem sentimentos sinceros e verdadeiros, mesmo que o outro v√° embora.

N√£o √© uma perda… ningu√©m perde o que lhe foi destinado. Se foi, √© porque tinha que ir.

E assim, passamos para a próxima página!

 

 


Publicado em Rom√Ęnticos | 7 coment√°rios

Desencontros

Amores imposs√≠veis e imperfeitos… sim, eles est√£o por a√≠.

Nando Reis foi muito sensato quando disse que o mundo está ao contrário e ninguém reparou. Está mesmo!

Temos de um lado, as mulheres afirmando que os homens n√£o querem nada s√©rio, que s√≥ querem transar e sumir… que desconhecem a fidelidade.

E do outro lado, temos homens reclamando de mulheres vol√ļveis, seletivas demais e que desconhecem a fidelidade.

Ent√£o vamos l√°! Algo de muito estranho acontece no reino do amor.

Se os dois lados estão reclamando das mesmas coisas, há um ponto contraditório nessa questão. Alguém está usando esse discurso apenas para justificar a escolha de estar na bagaceira ou esse povo, realmente, não está se encontrando.

Repare que ningu√©m (ou quase ningu√©m) diz que est√° solteiro por op√ß√£o… h√° sempre a velha emenda para dizer que n√£o aparece uma pessoa interessante ou que est√° farto de gente machucando o seu cora√ß√£o.

Ser√° que n√£o existem op√ß√Ķes mesmo ou h√° uma resist√™ncia em dar chance ao amor e a si mesmo? A menos que estes homens e mulheres que tanto reclamam, vivam em outro planeta, n√£o h√° tanto impedimento assim para que eles se encontrem.

Obviamente, existem as brincadeiras que o destino faz, como encontrar alguém que se encaixaria perfeitamente com você, mas por uma série de fatores este alguém não ter a mesma vontade ou disponibilidade.

Alguém que um amigo conheceu no Tinder e você percebe que é, exatamente, o seu perfil, mas esta já é uma opção descartada, afinal amizade é amizade.

A mulher que você se apaixonou, mas que está apaixonada por outro.

A pessoa que você encontrou com todas as qualidades que sempre desejou, mas que de repente é muito mais nova, muito mais velha, mora muito longe ou tem objetivos distantes demais do seu.

Muitos dirão que quando o sentimento é verdadeiro, tudo é contornável! Não deixa de ser verdade, mas cada um sabe de si, sabe o que pode suportar e até onde pode ir.

O que vale a reflex√£o, √© o fato de encontrarmos essas pessoas, que achamos ser o ‚Äúnosso n√ļmero‚ÄĚ, nestas situa√ß√Ķes inusitadas. Para alguns j√° √© fato recorrente e at√© dizem “n√£o tenho sorte no amor, as pessoas que quero, nunca me querem”.

Ser√° que n√£o estamos deixando de olhar e perceber o simples, o que est√° ao lado e n√£o no mundo da nossa imagina√ß√£o? √Č bem verdade que o amor quando chega, n√£o fica medindo dificuldade… mas √© bem melhor quando n√£o complicamos.

Voc√™ entra no perfil da rede social da pessoa, olha as fotos, o que ela posta, onde vai e com quem e, simplesmente, acredita que encontrou a sua alma g√™mea… mas ser√° que isso basta?

Quem vê avatar, não vê coração!

O mundo virtual √© maravilhoso, mas ainda n√£o existe nada melhor do que ‚Äúconhecer‚ÄĚ pessoas daquela forma antiga, cl√°ssica e pr√≥xima, mais conhecida como ‚Äúolho no olho‚ÄĚ.

Vejo uma s√©rie de pessoas por a√≠ procurando tudo, menos o essencial… gente que visa muita coisa, menos o sentimento…. gente que s√≥ quer gente rica, gente que s√≥ quer gente linda, gente que quer exigir perfei√ß√£o… gente que classifica requisitos nesta busca, mas que esquece que o principal √© o amor. E ainda… gente que se esconde, se camufla e n√£o se mostra como, verdadeiramente, √© ao se aproximar do outro.

√Č melhor parar tudo e pensar se os desencontros s√£o proporcionados pelo destino ou se somos n√≥s que n√£o estamos preparados para os encontros verdadeiros e sem padr√Ķes estabelecidos.

 


Publicado em Cotidiano | 6 coment√°rios

Ele

Em meio a tantas coisas que me tomam tempo… trabalho, tr√Ęnsito, problemas, projetos, prazos… ele √© respira√ß√£o!

Mas por que ele?

Porque ele aparece vez ou outra, mas mesmo de longe, me faz bem.

√Č inteligente, mas ri das minhas besteiras… tem um cheiro bom e revoluciona os meus sentidos, sabe o que me dizer e faz isso no momento certo.

Porque pensamos igual em muitas coisas, diferente em outras e sabemos respeitar as nossas escolhas e pensamentos.

Ele n√£o faz rodeios, meandros… chega como se j√° fosse o dono do espa√ßo, se aconchegando nos meus bra√ßos e me arrepiando com a barba… porque ele √© inteiro quando est√° comigo.

Ele me faz bem, me faz feliz… sem eu nunca ter dito o que gosto, me toca nos lugares certos.

A nossa temperatura combina… os nossos corpos se encaixam de forma perfeita e o nosso beijo nunca poder√° ser imitado.

Porque eu acho ele lindo em todos os momentos, mas n√£o tanto e nunca t√£o lindo, como quando ele abre os olhos e me diz ‚Äúbom dia‚ÄĚ.

Porque dormir ao lado dele, √© estar nos bra√ßos da paz… e n√£o ter medo de nada.

Ele me faz rir… escancaradamente e sem nenhum pudor.

Sentir saudades dele é também uma forma de saber que ele está presente em algum lugar dentro de mim.

E matar essa saudade é uma das coisas que fazemos melhor. Sem pressa, sem contar o tempo, sem lembrar do mundo lá fora.

Porque ele? Pra que ele? N√£o importa a resposta, nem quantos motivos existam… s√≥ sei que por ele e pra ele, eu me entrego, me revelo e me deixo ser.

Somos tudo e ao mesmo tempo nada, mas dentro do muito ou do pouco que temos, somos amor.

Eu… e ele.

 

https://

 


Publicado em Sem categoria | 7 coment√°rios

Periguete X Mulher solteira

Pessoal,

√Č o seguinte…

Quem lê o meu blog que está no ar há cinco anos, sabe bem o respeito que tenho pelas pessoas.

Durante todo esse tempo escrevendo e s√≥ falando de relacionamentos, trago aqui os mais variados temas e tamb√©m textos mais rom√Ęnticos.

Nunca faltei ao respeito com ninguém e me sinto feliz por ter feito amigos através do blog, nesta caminhada.

Este √ļltimo post, que fiz sem a menor inten√ß√£o de ofender ningu√©m, foi extremamente e grosseiramente, atacado por algumas mulheres e um homem… eles me acusaram de machista.

N√£o sou machista, nem feminista… sou a favor do amor e do respeito ao pr√≥ximo.

E se esta publicação foi tão mal interpretada assim, por estas pessoas (exceto algumas) que não se importaram em criar uma discussão saudável e sim, me atingir de modo pessoal, sinto muito!

Estou retirando o post do ar, n√£o pelo fato dessas ofensas sem sentido √° minha pessoa, o carinho que recebo dos meus leitores √© muito maior que isso… mas retiro por respeitar opini√Ķes e acreditar que, caso algu√©m tenha realmente se ofendido, esta atitude funcione como uma retrata√ß√£o.

 

 


Publicado em Cotidiano | 8 coment√°rios

Vendo o mundo pelo seu olhar

Eu nunca gostei de maçãs. Não gostava das vermelhas, nem das verdes. Aceitaria se me oferecessem uma pêra ou um abacaxi, maçã nunca.

E agora me pego adorando olhar e sentir o cheiro das maçãs, porque elas me lembram você.

Não suporto acordar cedo. Sou notívaga, gosto do escuro para pensar, da lua para escrever, do vento da noite para esfriar a minha cabeça e assim a madrugada me toma e as manhãs me abraçam com o sono.

Mas agora não me reconheço adorando ser acordada por você, bem cedo, me chamando para aproveitar o sol enquanto a praia ainda está vazia.

Acho irritante quando me interrompem enquanto leio, quieta e concentrada no meu canto preferido da casa, sentindo o cheiro de cada p√°gina que passo.

Mas, sinceramente, te ver se aproximar encostando a cabeça no livro para desviar a minha atenção para o seu rosto e tentando arrancá-lo da minha mão, para me encher de beijos, parece melhor que qualquer leitura.

Eu tenho manias, prefer√™ncias, m√©todos… ali√°s, eu tinha!

Você chegou para bagunçar tudo ou talvez arrumar. Veio me mostrar que é legal fazer planos, cumprir prazos, mas que nos momentos livres nada pode ser programado ou cronometrado.

Eu dizia que n√£o gostava de ma√ß√£, sem nunca ter experimentado e voc√™ me fez conhecer o sabor… continuo n√£o gostando, mas foi maravilhoso ver a sua express√£o de alegria por me fazer provar.

Ainda adoro acordar tarde e levanto cedo cheia de sono para te acompanhar, mas quando sinto as suas m√£os tirando os meus cabelos do rosto enquanto a brisa da praia me despenteia, tenho uma das sensa√ß√Ķes mais simples e incr√≠veis do mundo… a sensa√ß√£o de estar no mesmo lugar que a felicidade.

Eu adoro você por mudar tudo de lugar. Não só mudar a minha casa, mas a minha alma que há tempos estava calada, sem movimento e sem mudanças. Eu adoro você por ter revirado os meus pensamentos e ter me mostrado a vida por um outro olhar.

Adoro! Mas isso voc√™ tamb√©m j√° mudou… n√£o cabe mais dizer apenas que adoro e sim que amo. Eu te amo por tudo, por nada e pelo que ainda est√° por vir.

 

 

 


Publicado em Rom√Ęnticos | 9 coment√°rios

Levo o amor e deixo você

Leia ouvindo:

 

Você está enganado.

Se pensa que vou continuar te amando, acertou… mas se acredita que vou pedir para que voc√™ fique, errou.

N√£o podemos escolher a quem amar, mas podemos fazer escolhas que favore√ßam a nossa felicidade… voc√™ deixou de ser alegria e passou a ser incerteza.

Eu quero amar sem amarras, sem me preocupar se no dia seguinte o seu humor vai ser o mesmo, se vamos continuar a conversa boa que n√£o terminamos ou se passaremos para assuntos chatos e sem import√Ęncia.

Amar é maravilhoso, mas submeter-se ao que não nos faz bem, é ferir um amor maior, o amor próprio!

Posso continuar te amando ainda por muitos dias, semanas, meses… mas n√£o vou suportar mais um segundo sequer a sua forma fria e distante de me tratar.

Prefiro estar sozinha com esse sentimento imenso, que ao seu lado procurando os motivos que me fizeram gostar de você, já que não lhe reconheço mais.

Eu gosto de ser inteira, gosto de falar ‚Äúeu te amo‚ÄĚ e abra√ßar a cada sa√≠da ou chegada. Eu gosto de dividir sonhos, planos, sorvete e o melhor lugar do sof√°. Eu gosto de saber que tenho a possibilidade de estar em qualquer lugar, mas ter escolhido estar com voc√™.

O que eu n√£o gosto √© de estar com algu√©m que n√£o esteja na mesma sintonia… que prefere outros caminhos, prop√≥sitos e lugares… que n√£o tenha verdade nos olhos… que n√£o tenha sinceridade nas palavras.

N√£o tenho medo nenhum de sentir dor… de sofrer para esquecer e recome√ßar. A vida √© isso… um eterno ir e vir.

O que eu não posso é me contentar com qualquer coisa, qualquer migalha, qualquer pouquinho de atenção.

Eu conhe√ßo o amor… o suficiente para saber que n√£o se ama pela metade, se ama por inteiro.

Vou levar o meu amor comigo… inteiro. Mas deixo voc√™.

 

 


Publicado em Rom√Ęnticos | 8 coment√°rios