Copo cheio e coração vazio

‚ÄúDe copo sempre cheio, cora√ß√£o vazio. T√ī me tornando um cara solit√°rio e frio‚ÄĚ.

Outro dia ouvi essa m√ļsica em uma festa que eu estava e, independente, de gostar dela, do estilo ou da banda, fiquei pensando sobre essa frase. Ser√° mesmo que um cora√ß√£o vazio transforma algu√©m em frio? Acho pouco prov√°vel!

Coração é um bicho inquieto. Mesmo quando está vazio, cutuca e quer respostas.

N√£o estar apaixonado e vivendo alguma hist√≥ria de amor, d√° um respiro, uma pausa, uma hora do recreio… e as vezes isso √© muito bom! Aquele tempinho que n√£o tem ningu√©m ocupando os pensamentos e voc√™ se sente bem com isso.

Mas parece que tem sempre alguma coisa que incomoda, que falta, alguma urgência que quer ser atendida.

√Č bom ficar vendo filme e comendo pipoca, curtindo a sua pr√≥pria companhia, mas ao mesmo tempo falta algu√©m pra rir ou chorar junto nas cenas.

√Č bom ouvir uma m√ļsica rom√Ęntica sem pensar em ningu√©m, mas ao mesmo tempo voc√™ queria ter para quem enviar a letra dela, por inbox, no meio de uma tarde.

√Č bom n√£o ter compromisso de hor√°rios ou ter que receber a pessoa naquela sexta que o seu cansa√ßo √© maior que tudo, mas ao mesmo tempo seria t√£o bom deitar no colo e conversar.

√Č bom poder planejar aquela viagem solit√°ria de imers√£o e conhecer lugares que s√≥ voc√™ tem vontade, mas tamb√©m seria t√£o bom ter uma companhia para beijar, andar de m√£os dadas e tirar fotos juntos.

√Č bom n√£o ter que ficar se preocupando se o relacionamento da vez vai durar mais uma semana ou um m√™s, n√£o ter inseguran√ßa ou ci√ļme, mas por outro lado falta a adrenalina da paix√£o.

√Č bom ser s√≥ voc√™, mas faz tanta falta ser dois.

Não dá pra entender muito bem essa carência que caminha junto com a solidão bem resolvida. Não dá pra entender estar feliz sozinho e ao mesmo tempo sentindo falta de alguém que você sequer conhece.

√Č como se a cada dia feliz, voc√™ estivesse esperando algu√©m para contar tudo o que aconteceu de bom. √Č da natureza humana amar e mesmo que o cora√ß√£o tenha se partido algumas vezes, ningu√©m quer deixar de recome√ßar e se apaixonar de novo.

Pessoas são complicadas. Se estão em um relacionamento, questionam se é isso mesmo que querem e se estão sozinhas, ainda que felizes, querem ter algum abraço para o qual voltar.

O coração pede respostas, mas em momentos assim, o melhor mesmo é viver deixando a alma livre, para que ela chegue onde precisa chegar.

O copo pode estar cheio e o coração vazio, mas quando o amor chega, transborda e ocupa todos os espaços.

 

 


Publicado em Sem categoria | 6 coment√°rios

Ela nasceu assim

 

Ela √© forte, cultiva a sinceridade nos olhos…

E faz birra quando quer.

Ela é mulher decidida, independente e sabe a resposta certa, mesmo quando você acha que ela ficará sem palavras.

Mas também é menina que sonha, que chora, que quer ser cuidada e que gosta de colo.

Ela tem bondade nos olhos.

Briga e se arrisca para defender quem ama.

Tem gênio forte e sabe usar a indiferença como aliada, sempre que é preciso.

Ela tem um coração que quase não cabe no peito e é feliz quem consegue estar dentro dele.

Tem atitudes intempestivas, gargalhadas deliciosas e um senso de humor que só os privilegiados possuem.

Ela √© teimosa. Mesmo que ou√ßa um ‚Äún√£o‚ÄĚ, vai continuar lutando at√© que o destino diga ‚Äúsim‚ÄĚ.

Tem doçura nas palavras, no olhar e pode demorar a perceber a maldade alheia, já que a sua alma é pura.

Adora ver feliz quem ela ama… √© capaz de qualquer coisa para que isso aconte√ßa.

Não pensa duas vezes para ajudar quem precisa e ainda briga se você disser que não quer dar trabalho.

O homem que conseguir conquistar o coração dela, certamente, será um cara de muita sorte.

E os amigos que podem estar perto, sabem o quanto isso é uma felicidade.

Ela nasceu assim, cresceu assim, mas não tem medo de mudanças.

Ela tem pele branca como a neve e est√° longe de ser cravo ou canela, mas ela √© Gabriela…

Gabi! Aquela que nem Jorge Amado teria palavras suficientes para descrever.

Feliz aniversário, minha amiga! Obrigada pelo privilégio de poder te chamar assim.

Fecho o post com um dos seus cantores preferidos. Mas a m√ļsica que escolhi √© uma das que mais gosto quando ele canta, porque a nossa amizade √© assim… sempre dividindo… amor, companheirismo e at√© as coisas mais simples.

https://

 


Publicado em Sem categoria | 1 coment√°rio

N√£o fuja de mim

Se você quiser, pode ler o texto ouvindo: Gabrielle РOut Of Reach

 

Para de fingir que n√£o sente nada por mim.

N√£o fuja quando eu me aproximar.

Responda o que eu pergunto, olhando nos meus olhos.

Não me encarar, só faz você mostrar que eu te perturbo.

N√£o fique pensando por horas e horas se me manda uma mensagem ou se finge que eu n√£o existo.

Deixa o seu desejo falar mais alto.

N√£o reclame das minhas atitudes, nem da minha aud√°cia em te seduzir.

Eu tenho o direito de provocar e você tem o desafio de resistir. Tente!

Esqueça os joguinhos. Sumir, me ignorar ou não falar, só vai fazer com que eu te esqueça, rapidamente.

Continue mantendo esses papinhos bobos e vazios, com essas garotas que você acha que podem me substituir. No fundo, você sabe que isso não vai acontecer.

Para de negar essa saudade. Ela pode te sufocar.

Confessar e me procurar, vai te fazer bem mais feliz.

Não espere que eu decida nada por você. Cada um com a sua tarefa.

A minha é provar o quanto a gente funciona bem juntos.

Se você acha que nenhum beijo é bom como o meu, que nenhum arrepio é maior do que aquele que eu te causo, provavelmente você ainda me quer.

N√£o precisa inventar desculpas para me ver.

Nós dois sabemos que você já leu todos os livros que tem me pedido emprestado.

O meu perfume não está em você. Sentir o meu cheiro o tempo todo, é só a sua memória dizendo que eu faço falta.

√Č rid√≠culo esperar horas para retornar as minhas liga√ß√Ķes.

Confessa logo que estava louco para ouvir a minha voz e saber o que eu tenho a dizer.

Para de negar o que sente!

Fala, grita, liga, escreve, espera na porta do meu prédio, corre atrás de mim na rua, invade a minha aula, faz uma manifestação de um homem só em frente a padaria que tomo café, me puxa pelo braço ou pela cintura ou pela mão, mas faz qualquer coisa.

Esconder, você já não pode mais.

Quando a vontade é grande, ela acaba se tornando maior que nós. Domina a razão e os sentidos.

Vem! No meu abraço você vai perceber que fez a escolha certa.

E no meu beijo, você vai entender que sinto a mesma coisa.

Vamos nos prometer que a partir de agora podemos tudo, menos fugir de nós mesmos e desse amor que nos prende.

 


Publicado em Sem categoria | 6 coment√°rios

J√° te esqueci, mas ainda lembro

Se voc√™ quiser, pode ler o texto ouvindo:¬†I’m Not The Only One – Sam Smith

 

Eu adoro lembrar que esqueci voc√™! √Č uma sensa√ß√£o boa, como aquela quando tiramos um sapato apertado, quando recuperamos o f√īlego depois de um longo mergulho, quando acordamos assustados e percebemos que foi um pesadelo. Al√≠vio.

Eu s√≥ n√£o entendo muito bem o motivo que me faz ficar o tempo inteiro lembrando que j√° te esqueci. Talvez seja porque essa foi a coisa mais dif√≠cil que j√° fiz… e quando digo dif√≠cil, √© no mais abrangente significado da palavra. Dif√≠cil mesmo.

Pensei que depois de tudo eu ficaria com raiva de você ou que talvez eu criasse um certo distanciamento e usasse a indiferença como um escudo que me protegesse da sua aproximação.

Mas nada disso aconteceu. Eu consigo te encarar, falar e até sorrir, como se você nunca tivesse significado nada pra mim. Olho a sua boca e não sinto falta do seu beijo. Encaro os seus olhos de forma tranquila e nem parece que deles já saíram faíscas que me queimavam de desejo. As suas mensagens quando chegam, já não despertam nenhuma alegria.

Acho que em relação à você, bati o meu próprio recorde no quesito superação.

Mas mesmo tendo superado, n√£o consigo deixar de me perguntar o motivo de n√£o ter dado certo… e nesse caso n√£o deu mesmo. N√£o vivemos uma hist√≥ria, sobrevivemos √† ela. O m√©rito foi todo meu… ou melhor, a insist√™ncia foi toda minha.

Tentei esticar o máximo que pude uma relação onde só existia amor da minha parte. E esse amor era tão, absurdamente, grande que terminou por nos manter juntos mais tempo do que deveria.

Voc√™ tinha tudo para ser o homem da minha vida, tinha a forma certa de me olhar, tinha a voz que me encantava, tinha um jeito bom de me proteger, tinha sempre a sugest√£o do restaurante ou do filme, tinha sempre uma piada inteligente para me fazer rir, tinha o melhor toque, tinha muitas coisas que fizeram com que eu me apaixonasse… s√≥ n√£o tinha o amor que eu precisava.

Confesso que ainda sinto falta de n√≥s… da parte boa! Nossas tardes, nossas viagens, conversas, de dividir aquela torta de chocolate que com√≠amos sempre.

Mas √© uma falta entendida… sei que apesar de nos encaixarmos em v√°rios pontos, existiam outros onde as pe√ßas ficavam soltas.

Eu te amei muito. Mas houve um momento onde o meu amor próprio precisou ser maior do que aquele que eu sentia por você e do pouco ou quase nada, que você sentia por mim.

Fui em outra direção. Esqueci. Mas ainda lembro.

 


Publicado em Sem categoria | 4 coment√°rios

O Google e a paquera

O Google √© fant√°stico e mudou as nossas vidas. Ponto. Isso √© fato e ningu√©m est√° aqui para discordar. Ningu√©m mais passa aperto. Qualquer informa√ß√£o que voc√™ precisa, est√° l√°. As vezes eu at√© tento desafi√°-lo. Jogo no search as coisas mais esdr√ļxulas poss√≠veis e fico rindo, apostando comigo que n√£o vai aparecer nada… e aparece.

O google √© t√£o sensacional, que faz chato parecer interessante, mentiroso passar por sincero, burro passar por inteligente, cria √°libi, salva rela√ß√Ķes, ajuda a descobrir como agir com uma mulher durante a TPM (a gente tamb√©m pesquisa isso l√°) e ensina at√© como segurar essa barra que √© gostar de voc√™.

√Č tanta ajuda que esta ferramenta d√° que tem influenciado at√© nas rela√ß√Ķes amorosas. √Č s√©rio! Acompanhe comigo algumas dessas situa√ß√Ķes em que envolve o google:

A desinformada: nesse ponto ele atrapalha, pois agora a gente n√£o tem mais a desculpa de mandar uma mensagem para o gatinho pedindo uma dica ou perguntando alguma coisa (por puro pretexto, claro), pois o mo√ßo vai logo te responder ‚Äúolha no google‚ÄĚ e o papo n√£o rende. Caso seja um bofe mais gentil, ele mesmo ir√° pesquisar, copiar, colar, mandar e pensar com ele mesmo: ‚Äúessa criatura n√£o sabe nem pesquisar no google, √©?‚ÄĚ. Pois √©, essa n√£o cola mais.

O intelectual virtual: no papo pelas redes sociais, ele entende de tudo. Filmes, livros, poesias, caixa preta de avi√£o, vinhos, motor de Porsche, pa√≠ses, economia, pol√≠tica, como fazer um pato ao tucupi, o nome de todas as constela√ß√Ķes, nome dos soldados que estiveram na segunda guerra mundial, sabe at√© onde fica o ponto G. Marque o primeiro encontro e ent√£o perceba que o seu queixo e seu mundo ca√≠ram. O cara √© um bob√£o que s√≥ fala merda e mal consegue te encarar direito. Nem de longe lembra o homem seguro e inteligente que te conquistou pela net. Roubava TUDO do google.

A sumida (mas nem tanto): se por acaso voc√™ quiser bloquear uma pessoa em todas as suas redes sociais, por motivos de ‚Äún√£o tenho paci√™ncia para chato‚ÄĚ, voc√™ nunca estar√°, totalmente, escondida. Se o cara chato em quest√£o jogar seu nome no google, aparece l√° nem que seja um processo que voc√™ moveu contra sua operadora e da√≠ ele vai descobrir que voc√™ est√° viva e n√£o falecida, como voc√™ pediu para aquela sua amiga comunicar √† ele.

O viajante de neg√≥cios: se o moz√£o quiser te dar um “zig” e dizer que viajou a trabalho, no fim de semana, para uma cidade longe pra se fuder, nem adianta fazer perguntas para testar se o fofo viajou mesmo, afinal ele j√° deve ter pesquisado no google tudo sobre esse lugar… o clima, o PIB, o IDH, pontos tur√≠sticos, temperatura do caf√© na padaria da esquina e j√° decorou at√© a cor do pr√©dio da prefeitura.

A dod√≥i: as vezes o cabra t√° super apaixonadinho e ligando toda hora, mas voc√™ combinou uma balada cazamiga e vai se jogar na bagun√ßa. J√° chega na boate gritando ‚Äúpega fogo, cabar√©‚ÄĚ, ent√£o para o fofo n√£o descobrir, nem ligar, voc√™ pega a foto de um prato de sopa, no google, joga uns 30 filtros por cima para disfar√ßar e publica com a legenda: ‚Äúsopinha para melhorar da virose. #partiudormircedo‚ÄĚ.

Pois √©, minha gente! O google ajuda, mas tamb√©m atrapalha… ou n√£o… a depender do lado da necessidade que voc√™ esteja, n√©?

 


Publicado em Sem categoria | Com a tag , , , , , , , | 1 coment√°rio

Sem complicação e sem perfeição

Sou mulher e longe de ser perfeita!

Somos lindas e envolventes nas frases dos poetas e nas telas de Da Vinci.

Mas não tirem a minha condição humana de errar.

Não esqueçam as minhas dores e todas as batalhas que enfrento, como qualquer um.

Me favoreçam com o direito de sofrer cólicas e TPM sem ter que ficar me justificando por isso.

Adoro a minha vaidade, ela me faz bem, mas quero poder não pentear os cabelos e andar descalça quando eu quiser.

N√£o me queira sempre arrumadinha.

Respeitem as minhas celulites, estrias, gordurinhas e tudo que n√£o entrar nesse padr√£o cansativo de beleza que nos imp√Ķem.

N√£o nasci com certos dotes ‚ÄĚditos femininos‚ÄĚ e n√£o me sinto culpada por isso.

N√£o sei cozinhar ou brincar de casinha, mas trabalho como um le√£o.

N√£o sou fr√°gil quando deveria, mas sens√≠vel com as menores demonstra√ß√Ķes de amor.

Se n√£o quer o meu ci√ļme, n√£o tente provoca-lo!

Costumo ser uma fera para proteger o que quero.

Sou princesa e sou ogra, eu decido o momento.

A história do sexto sentido é verdadeira, jamais duvide disso!

O tempo n√£o me tira a ingenuidade, posso parecer uma fortaleza, mas vou sucumbir com palavras doces.

Se quer mesmo me homenagear, comece acabando com o preconceito.

Nem todas as mulheres dirigem mal, da mesma forma que nem todo homem é corajoso.

Nem todas as roupas que uso, é com a intenção de sensualizar ou para receber cantadas baratas.

Sou mais alma do que corpo, aprenda a lidar com isso valorizando o que é, realmente, importante pra mim.

Sou amor, raiva, chatice, compreens√£o, as vezes fria, sorrisos e l√°grimas.

Estou longe da perfeição, não tente me colocar em um altar.

Me sinto bem no ch√£o, no mar ou voando, mas quero me sentir livre em qualquer desses lugares.

N√£o preciso de um dia especial, ainda que esta seja uma linda homenagem.

O que quero mesmo é viver de forma especial todos os dias.

 

(texto que escrevi em 2014, com algumas adapta√ß√Ķes)

 


Publicado em Sem categoria | 2 coment√°rios

O amor n√£o custa nada

O amor n√£o custa nada. E quando digo ‚Äúamor‚ÄĚ, estou falando do sentido real e abrangente da palavra. Tem muita gente a√≠ confundindo amor com interesses, conveni√™ncias e superficialidade.

Mas o amor verdadeiro… ah! Esse √© barato ou melhor, √© de gra√ßa.

O amor se contenta com uma rosa roubada e nem reclama que poderia ser um ramalhete. Enxerga um simples bilhete como um manuscrito precioso de algum poeta imortalizado pelos seus versos.

O amor v√™ beleza na simplicidade. √Č dono de todos os direitos autorais do mundo… s√≥ ele pode fazer com que uma m√ļsica do Caetano seja definida como ‚Äúa nossa m√ļsica‚ÄĚ. Que um poema de Florbela seja escrito num papel qualquer com a ressalva: dedicado ao nosso amor.

Ah, o amor! O amor é produção de baixo custo.

Qualquer calçada acolhe abraços e beijos de saudade, qualquer sanduíche se transforma em banquete, qualquer segunda tem cara de sábado e qualquer sorriso bobo parece um presente dos deuses.

O amor faz voc√™ parecer que tem metade da idade e as vezes, do bom senso. Ri desmesuradamente, chora nas menores demonstra√ß√Ķes de afeto e sente uma for√ßa interna, inexplic√°vel. Tudo isso n√£o custa nada.

O amor não impede ninguém de querer o melhor, mas faz com que as coisas simples tenham mais sentido. A felicidade por estar junto, independe da conta bancária, da casa, do carro ou do luxo.

O amor é de graça porque é livre e a liberdade nos pertence para amar quem quiser!

 


Publicado em Sem categoria | 4 coment√°rios

Mulheres difíceis ou homens sem noção?

Ontem eu conversava com um amigo que n√£o via h√° um tempinho e ao falarmos sobre relacionamentos, perguntei se ele estava com algu√©m, quando recebi a resposta: ‚Äút√ī panhano uma a√≠‚ÄĚ. Oi?

A gente mal se acostumou com o ‚Äúficando‚ÄĚ e j√° estamos escorregando dignidade abaixo para o ‚Äúpanhano‚ÄĚ? Inacredit√°vel!

No mundo dos relacionamentos e aqui me refiro, mais especificamente, ao mundo dos solteiros, vivemos a era do ‚Äúagora √© assim‚ÄĚ. Fiquei com fulano, transamos e ele sumiu… agora √© assim. N√£o existe mais essa de namorar, o que rola √© ficar (ou panhar)… agora √© assim. O cara mal me conhecia e j√° pediu uma foto dos meus peitos no whatsapp… agora √© assim.

E nessa conformidade, vamos caminhando para achar tudo normal. √Č fato que estamos mais preparados para encarar as novas formas de se relacionar e com isso, abrimos precedentes que, por vezes, se transformam em abismos, afinal existem os que confundem entender com aderir.

Antes que a turma da patrulha exalte os √Ęnimos, vou logo ressaltando que sim, felizmente, existem exce√ß√Ķes, ok?

Continuando…

S√£o tantas hist√≥rias surreais que ou√ßo de amigas, leitoras e que acontecem comigo tamb√©m, que juro que as vezes espero Bial interromper com aquelas poesias¬†e finalizar a brincadeira dizendo: “Querida! Seu tempo nesse mundo de maluco acabou… vem ser feliz aqui fora”. N√£o t√° f√°cil n√£o, gente. Me classifiquem, caso oportuno, de exagerada ou at√© careta, mas algumas coisas ficam dif√≠ceis de aceitar, embora eu at√© entenda.

H√° alguns meses, eu falava no programa da r√°dio sobre suruba e das pessoas que curtiam essa pr√°tica. Abordei o tema de uma maneira geral, sem emitir nenhuma opini√£o pessoal ou ju√≠zo de valor. Quando o programa acabou, um cara me mandou um inbox perguntando se eu queria participar de uma suruba, com ele. Veja bem… eu entendo quem gosta, respeito e n√£o tenho o menor preconceito, mas da√≠ a ele achar que tinha liberdade para me convidar e que vou atrelar-me a uma, s√£o metros de dist√Ęncia.

Na verdade, o que vem acontecendo é que os homens ouviram durante muito tempo que as mulheres gostam e cobram sinceridade, então resolveram atender esse desejo, o problema é que confundiram sinceridade com falta de bom senso.

O cara √© comprometido, tem foto do perfil abra√ßadinho com a namorada e manda inbox pedindo seu whatsapp, afinal ele est√° sendo sincero pois n√£o nega que tem algu√©m, mas quer voc√™. O mo√ßo s√≥ tem interesse em transar e acha que √© lindo ir logo mandando um text√£o, antes at√© de dar um beijo na menina, dizendo ‚Äúbem, se voc√™ quiser se divertir posso te levar a loucura e posso te mostrar muitas coisas na cama e bla bla bla‚ÄĚ, que mal h√° nisso, n√©? O fofo est√° sendo t√£o sincero.

Por favor! Isso nunca foi sinceridade, isso √© indelicadeza. Existem formas bem mais educadas de contextualizar seus desejos e fetiches… ou ent√£o trate assim, apenas quem voc√™ j√° conhece e sabe que tem interesse nisso, ou seja, d√™ a sua rapadura pra quem tem dente (isso √© um ditado popular, n√£o estou chamando ningu√©m de banguelo).

Esses caras são da turma do Sem Noção Futebol Clube. Confundem as coisas e ainda ficam chateadinhos se a mulher for enfática e dizer que não quer. Pois é, ainda temos que administrar as crises emocionais destes seres lindos e queridos, mas que se passam em alguns momentos.

Por outro lado, os homens também desabafam as suas agruras. Dizem que as mulheres estão exigentes demais, pois só querem homens com beleza e dinheiro. Reclamam que as meninas só gostam de cafajestes e desprezam os bem intencionados, que sequer dão conversa se o cara não estiver no nível boy magia e que esnobam quando são valorizadas. Será?

Não sei! Os homens podem responder isso melhor que eu. A questão aqui não é dizer quem vacila ou acerta mais, eu quero falar mesmo é de respeito. Deixar claro o que se quer, é nobre sim e conta ponto, mas saber como dizer isso e como conduzir, faz toda a diferença. Respeitar o outro é essencial.

Se continuarmos aceitando tudo, achando que essa forma fria e direta de tratar as pessoas, √© normal… que ‚Äúagora √© assim‚ÄĚ, vai ficar dif√≠cil se relacionar e o inferno vai parecer mais organizado que essa bagun√ßa aqui.

Algumas coisas Freud explica, outras nem ele teria paciência. Vamos melhorar!

 

 


Publicado em Sem categoria | 9 coment√°rios

Quando tento te esquecer

Se você quiser, pode ler o texto ouvindo: Creed РWith Arms Wide Open

 

Quando tento te esquecer, lembro do que éramos, do que tínhamos e das nossas promessas que julgávamos excessivamente sólidas, mas que no primeiro temporal, ruíram.

Quando tento te esquecer, lembro de como sab√≠amos ser felizes e faz√≠amos isso da maneira mais natural poss√≠vel… sendo n√≥s, sem m√°scaras ou medos.

Quando tento te esquecer, lembro das indecências que você dizia no meu ouvido e me fazia derreter feito sorvete num sol de dezembro.

Quando tento te esquecer, lembro do quanto éramos bobos e quase infantis nas nossas brincadeiras, na mania que você tinha de se esconder todas as vezes que eu chegava em casa, só para me assustar.

Quando tento te esquecer, lembro do quanto dávamos valia ás pequenas coisas que para nós, tinham um significado enorme.

Quando tento te esquecer, lembro quantas vezes nos atrasamos para ir √° algum lugar, s√≥ para nos entregarmos aos desejos da carne e aos felizes 37 minutos de lux√ļria, antes de sair.

Quando tento te esquecer, lembro que n√£o tenho mais o sorriso para o qual eu sempre queria voltar.

Quando tento te esquecer, tenho saudade… de todos os seus pedacinhos, hist√≥rias e daquelas covinhas que aparecem no seu rosto, quando voc√™ sorri… saudade de quando eu cantava uma m√ļsica qualquer do Cazuza e voc√™ ria me achando ridiculamente linda.

Quando tento te esquecer, lembro de voc√™ criticando a minha mania de comer bolo com queijo e depois fazendo a mesma coisa, dizendo que s√≥ queria ‚Äúver qual era a gra√ßa‚ÄĚ.

Quando tento te esquecer, lembro da gente decidindo qual filme ver no cinema e sem maiores negocia√ß√Ķes, ‚Äúescolhendo‚ÄĚ o da minha prefer√™ncia.

Quando tento te esquecer, me pergunto por qual motivo eu preciso fazer isso. Me pergunto porque esquecer o que s√≥ me fazia bem. Me pergunto quantos quil√īmetros de dist√Ęncia ainda faltam para chegar at√© esse esquecimento.

Quando tento te esquecer, lembro da tua boca, do teu toque, do teu beijo, do teu jeito de passar a mão pela nuca, da tua barba por fazer, dos teus braços me envolvendo e da gente dizendo que se amava de vez em vez.

Quando tento te esquecer, a √ļnica coisa que consigo fazer √© lembrar… lembrar de tudo, do todo, de n√≥s.

 


Publicado em Sem categoria | 10 coment√°rios

Mr.Grey em cap√≠tulos… e imagens

J√° faz um tempinho que assisti, mas alguns leitores pediram, ent√£o vai aqui a minha opini√£o sobre 50 tons de cinza ‚Äď o filme!

Assim que anunciaram a produ√ß√£o do longa, come√ßaram as especula√ß√Ķes em torno de quem faria o papel do t√£o amado e desejado Christian Grey. O meu voto sempre foi para o Matt Bomer, mas ningu√©m ganhou a briga, afinal escolheram um ator que n√£o esper√°vamos. Sinceramente, tenho certeza que na imagina√ß√£o de cada leitor o Mr.Grey √© muito mais lindo, mas em termos de beleza, o escolhido tamb√©m n√£o deixa a desejar.

O filme √© r√°pido, muito r√°pido… pula alguns detalhes, mas √© impec√°vel em outros, inclusive em algumas falas do livro que n√£o poderiam faltar. Na minha opini√£o, os livros s√£o sempre melhores, mas nesse caso n√£o me senti tra√≠da ou irritada pelo enredo que passou por pequenas e necess√°rias adapta√ß√Ķes.

O ator Jamie Dornan que faz o Christian, é lindo sem economia. Tem o corpo malhado na medida perfeita, sem exageros. Ele arrepia todas as vezes que aparece sem camisa com a calça jeans bem baixa insinuando o início do paraíso. Não atua de uma maneira que mereça aplausos, em alguns momentos não convence muito, mas só reparei isso logo nos primeiros minutos, pois quando mergulhei e relembrei a história, comecei a achar tudo ótimo.

A atriz Dakota Johnson, como a Anastasia Steele, cumpre o seu papel que nunca me encantou muito. Mas a despeito daquela franja, que n√£o me recordo de fazer parte da descri√ß√£o no livro, gostei mais da Ana no filme. Acho que sou a √ļnica que n√£o suportava as men√ß√Ķes √° tal da ‚Äúdeusa interior‚ÄĚ e ficar livre disso no filme, me deixou muito feliz.

As trocas de e-mails, que todo mundo adora, acontecem poucas vezes, mas muito fiel ao que j√° sabemos. As cenas de sexo, s√£o um caso a parte. N√£o vou falar aqui dos momentos passados no quarto vermelho da dor, afinal cada um tem a sua opini√£o sobre isso, mas os momentos do sexo baunilha (express√£o usada no livro para o sexo ‚Äúnormal‚ÄĚ entre Ana e Christian) s√£o impec√°veis!!!! Certifique-se que o ar condicionado do cinema seja bom, porque olhaaaa… d√° calor! N√£o vou entrar em detalhes, pois muita gente ainda n√£o viu e tamb√©m n√£o h√° muito o que falar da hist√≥ria, afinal todos j√° conhecem.

A trilha √© sensacional! Me apaixonei por todas as m√ļsicas e embora tenha sentido falta de algumas que eram citadas no livro, acho que a escolha foi perfeita.

Mas seja quando o livro estourou e conquistou um universo de leitores ou agora com o lan√ßamento do filme, tem sempre aquela frente que ataca o enredo/personagens como se estiv√©ssemos idolatrando um estuprador. Ando um pouco cansada dessas cr√≠ticas impregnadas de √≥dio, de alguns que se auto intitulam ‚Äúintelectuais‚ÄĚ. Pregui√ßa dessas pessoas.

Para mim, o ponto central da hist√≥ria √© o romance… a paix√£o dos dois. Se o que deu caldo foi o cara ser um sadomasoquista, ou mesmo se fosse um vampiro ou lobisomem, n√£o me diz muita coisa. N√£o √© um livro ou filme que vai fazer com que eu saia por a√≠ procurando um homem pra me bater. Vamos combinar que j√° somos adultos, ok?

N√£o h√° nada na hist√≥ria que obrigue Ana a apanhar ou ceder aos caprichos do sedutor Grey. Ela cede porque quer. Tudo √© consensual e embora muitos acreditem que ele usa o poder para persuadir e que ela aceita apenas para tentar muda-lo, h√° tamb√©m quem enxergue por outro prisma, quem veja como uma hist√≥ria entre duas pessoas com interesses bem distintos, mas que se viram diante do amor e precisaram decidir entre o que mais importava… as diferen√ßas ou o sentimento.

Particularmente, n√£o curto as pr√°ticas BDSM, mesmo sem nunca ter experimentado. N√£o vejo como sentir prazer na dor, mas respeito os desejos de cada um. Tem gente que faz coisa muito mais estranha para se satisfazer, mas n√£o vou entrar nesse assunto agora.

E, sabe? Eu me questiono quem n√£o tem telhado de vidro, em se tratando de amor. Ser√° que muitas vezes j√° n√£o nos ‚Äúviolentamos‚ÄĚ de forma cruel em alguma rela√ß√£o? E n√£o estou falando de usar chicotes, cordas e algemas reais.

Outra quest√£o muito levantada √© o fato do cara ser um bilion√°rio que tem mans√£o, carros, helic√≥ptero e que sabe dar presentes para a mo√ßa. Se querem acreditar que o sucesso do personagem est√° nisso, beleza! Mas n√≥s sabemos de muitos bilion√°rios por a√≠ que s√£o esnobes, mal educados e que n√£o se importam nem um pouco com as suas ‚Äúnamoradas‚ÄĚ, mesmo as enchendo de presentes. Essas mulheres podem at√© continuar com eles por causa do dinheiro mesmo, mas duvido que se apaixonem. A hist√≥ria de 50 tons √© bem diferente. O mo√ßo √© rico, muito rico, mas √© um lord, um homem encantador. Portanto, eu afirmo e reafirmo que AMOR n√£o tem liga√ß√£o com nada material. E se voc√™ acredita que amor √© comprado com dinheiro, desculpa, mas volte cinco casas no tabuleiro e recomece a jogada aprendendo a amar. N√£o vou ser hip√≥crita e dizer que todo esse luxo n√£o √© bom. Sim, √© √≥timo!

Mas nem tudo o dinheiro compra. A frase é clichê, mas muito verdadeira.

Quem j√° leu, corre e vai assistir. Quem n√£o leu, experimenta ir ver. Depois me conta o que achou!

Esse clip abaixo √© de uma das m√ļsicas que mais gosto na trilha e que toca em uma das minhas cenas preferidas.

Laters, baby!

https://


Publicado em Sem categoria | 14 coment√°rios