EFEM√ČRIDES ASTRON√ĒMICAS: DE 21 √Ä 31 DE JULHO DE 2014.

 

Posição do Sol nascente em 21 de julho de 2014. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Posi√ß√£o do Sol nascente e o aspecto mitol√≥gico das constela√ß√Ķes em 21 de julho de 2014. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Ol√°, amigos!

Neste dia 21 de julho o Sol entrou nos limites oficiais da constela√ß√£o do C√Ęncer, onde se manter√° at√© o dia 10 de agosto.

Na primeira metade do m√™s nossa estrela vinha apresentando um grande n√ļmero de manchas solares. Com a rota√ß√£o do Sol elas foram desaparecendo, e nada de aparecer novas manchas no outro lado, at√© que no √ļltimo dia 15, vimos aqui no blog uma imagem relativamente rara obtida pelo instrumento HMI, do SDO, onde a face solar observada n√£o apresentava mancha alguma, o que n√£o acontecia desde 2011. Nos pr√≥ximos dias, com a rota√ß√£o solar, acompanharemos o retorno das manchas que por ora est√£o na face oculta.

Detalhe da Cratera Rembrandt, em Merc√ļrio. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Detalhe da Cratera Rembrandt, em Merc√ļrio. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Merc√ļrio segue na constela√ß√£o dos G√™meos, at√© o dia 30. Dia 31 passa √† constela√ß√£o do C√Ęncer. Dia 25 Merc√ļrio nasce na hora da alva, a menos de 5¬ļ da Lua minguante.

Posi√ß√£o de V√™nus, Lua e Merc√ļrio na alvorada de 25 de julho. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Posi√ß√£o de V√™nus, Lua e Merc√ļrio na alvorada de 25 de julho de 2014. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

V√™nus segue se movendo rapidamente entre as estrelas dos G√™meos, onde permanece todo o restante do m√™s. Nas madrugadas de 21 entra em conjun√ß√£o com Propus e na de 23 com Tejat. Dia 24, a Lua, minguante, passa a menos de 5¬ļ de V√™nus.

Marte pode ser observado no zênite ao início das próximas noites, próximo da estrela Spica, em Virgem. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Marte pode ser observado no zênite ao início das próximas noites, próximo da estrela Spica, em Virgem. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Marte pode ser observado no zênite ao início das noites no céu da Bahia. Sua coloração avermelhada e sua luz contínua o difere das estrelas. Na metade do mês assistimos a linda conjunção de Marte com a estrela Spica e a Lua. Desde então o planeta vem se afastando angularmente de Spica em direção leste. Se mantém em Virgem todo restante do mês.

Conjun√ß√£o de J√ļpiter e o Sol no dia 24 de julho de 2014. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Conjun√ß√£o de J√ļpiter e o Sol no dia 24 de julho de 2014. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

J√ļpiter est√° de f√©rias, invis√≠vel atr√°s do Sol, na constela√ß√£o do C√Ęncer. Fazendo falta no c√©u. Saudade.

Saturno pode ser facilmente observado na constelação da Balança (Libra) próximo ao zênite ao início das noites. www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Saturno na constelação da Balança (Libra). www.stellarium.org. Blog O Guardador de Estrelas.

Saturno segue na constelação da Balança, podendo ser facilmente observado no início da noite próximo ao zênite.

Lua cheia em 11 de julho de 2014. Foto: Plínio Nelville. Blog O Guardador de Estrelas.

Lua cheia em 11 de julho de 2014. Foto: Plínio Nelville. Blog O Guardador de Estrelas.

Neste dia 20 comemorou-se o anivers√°rio de 45 anos dos primeiros homens na Lua. Um bom motivo para comemorar, certamente. E tivemos uma bela fase cheia este m√™s, com a proximidade entre o plenil√ļnio e o perigeu.

Dia 21 Lua em Touro.

Dia 22 Lua passa a 2¬ļ de Aldebaran.

Dia 23 Lua nasce por volta de 3 horas da madrugada, em Touro e alcança os Gêmeos ao longo do dia.

Dia 24 Lua nasce a menos de 5¬ļ de V√™nus, em G√™meos.

Dia 25 Lua passa a cerca de 5¬ļ de Merc√ļrio, em G√™meos.

Dia 26 Lua nova, em C√Ęncer.

Dia 27 Lua em C√Ęncer.

Dia 28 Lua aparece no quadrante oeste do céu como um delgado crescente, próxima ao horizonte.

Dia 29 o delgado crescente surge √† hora crepuscular cerca de 5¬ļ da estrela R√©gulus, em Le√£o.

Dia 30 e 31 Lua crescente em Le√£o.

Uma boa semana a todos!

 


Publicado em Uncategorized | Com a tag , , , , , | Deixar um coment√°rio

ESTRELANDO: O SOL! 21 DE JULHO DE 2014.

O Sol, hoje.

Sol em 21 de julho de 2014. AIA 94 / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 21 de julho de 2014. AIA 94 / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 21 de julho de 2014. HMI / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 21 de julho de 2014. HMI / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Quando tivermos dominado a arte do v√īo, n√£o haver√° com certeza falta de pioneiros humanos para a viagem ao espa√ßo. Criemos navios e velas adequadas ao √©ter celeste e haver√° in√ļmera gente sem medo dos desertos vazios.¬†Enquanto isso, preparemos, para os bravos viajantes, mapas dos corpos celestes. √Č o que farei para a Lua e v√≥s, Galileu, para J√ļpiter.

Carta de Johannes Kepler para Galileu Galilei,

datada de 19 de abril de 1610.


Publicado em Uncategorized | Com a tag , , , | 1 coment√°rio

ESTRELANDO: O SOL! 20 DE JULHO DE 2014.

O Sol, hoje.

Sol em 20 de julho de 2014. AIA / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 20 de julho de 2014. AIA / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 20 de julho de 2014. HMI / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 20 de julho de 2014. HMI / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Para mim, o s√≠mbolo mais ir√īnico desse momento hist√≥rico √© uma placa assinada pelo presidente Richard M. Nixon que a Apollo 11 levou √† Lua. Nela se l√™: ‚ÄúViemos em paz em nome de toda a humanidade‚ÄĚ. Enquanto os Estados Unidos despejavam 7 ¬Ĺ megatons de explosivos convencionais sobre pequenas na√ß√Ķes no Sudeste Asi√°tico, n√≥s nos congratul√°vamos de nossa humanidade: n√£o far√≠amos mal a ningu√©m numa rocha sem vida.”

Carl Sagan, P√°lido Ponto Azul (p√°g. 258).

Companhia das Letras – 1996 .

 


Publicado em Uncategorized | Com a tag , , , | Deixar um coment√°rio

A CONQUISTA DA LUA – Parte II

 

Terra fotografada por "Buzz" Aldrin a bordo da Apollo 11. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Terra fotografada por "Buzz" Aldrin a bordo da Apollo 11. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Cerca de doze minutos depois de deixar o Cabo Canaveral, a Apollo e as 136 toneladas do terceiro est√°gio do foguete Saturno V entraram em √≥rbita ao redor da Terra, a chamada √≥rbita de espera, at√© que no momento certo os motores do terceiro est√°gio foram acionados, propulsionando-os no rumo da Lua. Seguiu-se uma s√©rie de manobras previstas de desacoplamento e reacoplamento para configurar corretamente os m√≥dulos que formavam a Apollo, e ent√£o o terceiro est√°gio do foguete Saturno foi finalmente descartado, tornando-se um novo sat√©lite do Sol (eufemismo para lixo espacial). Da√≠ em diante a Apollo seguiu por conta pr√≥pria, efetuando as corre√ß√Ķes de rumo necess√°rias com os motores do m√≥dulo de servi√ßo.

Apollo 11: ilustração do terceiro estágio do foguete Saturno V. Blog O Guardador de Estrelas.

Nos dois dias seguintes os astronautas navegaram pela imensid√£o do “mar oceano espacial” entre Terra e Lua. Estiveram o tempo todo monitorados e em contato com a base, em Houston, mas tamb√©m puderam descansar e certamente refletiram sobre tudo o que estava acontecendo em suas vidas. Seguiam revisando mentalmente todos os procedimentos da miss√£o para a qual tinham se preparado com tanta dedica√ß√£o.

Assim como os navegadores do s√©culo 16, os astronautas do Projeto Apollo tamb√©m utilizaram as estrelas para se guiar. Consideradas como pontos fixos no c√©u, as estrelas servem como referenciais de posi√ß√£o, possibilitando que as observa√ß√Ķes com aux√≠lio de um sextante tamb√©m alimentassem os computadores das naves e do centro de controle em Houston. Capella, Rigel, Navi e Altair foram as estrelas que orientaram os astronautas nas fases mais cr√≠ticas da miss√£o.

Na madrugada de 19 de julho (hor√°rio de¬†Houston), a Apollo 11 ultrapassou o chamado ponto neutro de atra√ß√£o, e passou a estar sob atra√ß√£o gravitacional da Lua. No romance da “Terra √† Lua”, de Julio Verne, h√° uma refer√™ncia a este momento, e questionamentos sobre o que poderia acontecer nesse ponto da viagem. O comandante Barbicane, personagem de Verne, nos explica:

“Ou, finalmente, animado de uma velocidade suficiente para¬†atingir o ponto neutro, mas insuficiente para ir al√©m dele,¬†ficaria eternamente suspenso nesse lugar, como o pretenso¬†t√ļmulo de Maom√©, entre o z√™nite e o nada.”

No domingo, 20 de julho, quatro¬†dias depois de ter deixado a Terra no interior do super foguete Saturno V, Armstrong e Aldrin se despediram de Collins e ocuparam o m√≥dulo lunar, batizado de Eagle – √Āguia, em ingl√™s, em alus√£o √† √°guia americana, animal emblem√°tico para os EUA.

O m√≥dulo de comando chamava-se Columbia, mesmo nome do canh√£o que lan√ßou o proj√©til tripulado para a Lua,¬†no romance de Julio Verne. O nome Columbia era uma maneira dos astronautas homenagearem Verne e Colombo ao mesmo tempo. Ap√≥s os procedimentos padr√Ķes, teve in√≠cio mais uma das etapas cr√≠ticas da miss√£o, o m√≥dulo lunar¬†foi desacoplado do m√≥dulo de comando e come√ßou sua descida para a superf√≠cie lunar, enquanto Collins permaneceu no m√≥dulo de comando, orbitando a Lua.

Apollo 11: o módulo lunar - Eagle, fotografado por Collins desde o módulo de comando - Columbia. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Apollo 11: o módulo lunar Eagle, fotografado por Collins desde o módulo de comando Columbia. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Durante a descida, sob comando autom√°tico, houve grande tens√£o quando em dado momento um alerta come√ßou a soar e a princ√≠pio os controladores n√£o souberam o que fazer. Consideraram ser uma sobrecarga dos computadores com o n√ļmero de informa√ß√Ķes do radar-alt√≠metro e a manobra continuou. A 150 metros de altitude Armstrong pediu permiss√£o a Houston para assumir o controle manual, e escolheu uma √°rea mais limpa para alunissar, um pouco afastada do local inicialmente previsto, o que aumentou muito a tens√£o, pois ¬†o combust√≠vel para a manobra estava no limite e caso n√£o alunissassem a tempo teriam que abortar o pouso.

lano de v√īo para a Lua. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

O di√°logo entre nave e centro de controle continuou durante a descida e logo os astronautas reportaram que j√° viam¬†os retrofoguetes¬†do Eagle levantar poeira do solo lunar. Estavam a 18 metros de altitude e a cerca de 38 km/h. Em Houston os controladores n√£o tiravam os olhos dos medidores de combust√≠vel, a poucos segundos de se esgotar. A tens√£o era m√°xima, quando finalmente os p√©s da √Āguia tocaram a Lua.

- Luzes de contato acesas… Ok… Motores desligados” – disse Aldrin, seguindo o procedimento de pouso.

Passaram-se alguns segundos, como se fossem uma eternidade… At√© que a voz do comandante Neil Armstrong foi ouvida em tom seguro, como se reportasse o final de uma manobra de rotina:

- Houston, aqui Base Tranquilidade. A √Āguia Pousou.

Seus batimentos cardíacos, no entanto, marcavam 150 por minuto.

E Houston respondeu, na voz embargada do capcom Charles Duke:

- Ok, entendido. Tem um monte de gente roxa por aqui, mas j√° estamos respirando de novo. Muito obrigado.

Apollo 11: os controladores de v√īo em Houston comemoram o pouso bem sucedido na Lua. Blog O Guardador de Estrelas.

Apollo 11: os controladores de v√īo em Houston comemoram o pouso bem sucedido na Lua. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Vencido o momento crítico e passada a euforia inicial, tanto em Houston como na Lua, os astronautas iniciaram uma série de procedimentos de segurança, como a checagem dos equipamentos e cálculos de posição, que seriam necessários para o retorno à Terra.

Apollo 11: Terra no zênite. Foto: Neil Armstrong. NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Parecia um sonho, aquela nave desajeitada em meio a paisagem extraterrestre do Mar da Tranquilidade. Ao seu redor, uma imensidão estéril e cinza estendia-se até o horizonte. Tudo era diferente naquele domingo 20 de julho, os astronautas voltavam a sentir a força da gravidade (embora seis vezes menor do que na Terra), e tentavam distinguir nuances nas cores da superfície daquele mundo onde nenhum ser vivo havia estado. Entre as estrelas de um céu negro, a Terra, como um giboso crescente, próxima ao zênite, clareava o deserto da Lua.

Pelo r√°dio se ouviu a voz de um dos astronautas dizer, com algum humor:

- Magnífica desolação!

Superfície lunar: "Magnífica desolação". Apollo 11 / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Superfície lunar: "Magnífica desolação". Apollo 11 / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

√Č realmente ir√īnico que, ao alcan√ßar seu sonho mais antigo e maravilhoso, o ser humano, ali representado por aqueles dignos astronautas, se encontrasse em meio a um imenso deserto, formidavelmente √°rido e silencioso… O importante n√£o era onde se havia chegado, mas o que se aprendera no caminho. Estar ali era um pequeno passo dado pelo homem, mas um grande salto para a humanidade. Foi mais ou menos essa a idea que expressou o comandante Armstrong ao pisar na Lua.

- That’s one small step for a man, one giant leap for mankind.

A gente volta com a continuação desta história.

 


Publicado em Uncategorized | Com a tag , , , , , | 4 coment√°rios

ESTRELAS DA LITERATURA – ADEUS RUBEM ALVES

Rubem Alves (1933 - 2014).
“Sentia que o rel√≥gio chamava para o seu tempo,
Que era o tempo de todos aqueles fantasmas,
O tempo da vida que passou…
Tenho saudades dele.
Por sua tranquila honestidade,
Repetindo sempre, incans√°vel, “tempus fugit”.
Ainda comprarei um outro que diga a mesma coisa.
Relógio que não se pareça com este meu, no meu pulso,
Que marca a hora sem dizer nada,
Que não tem histórias para contar.
Meu relógio só me diz uma coisa:
O quanto eu devo correr para não me atrasar…
Mas o relógio não desiste.
Continuar√° a nos chamar √† sabedoria: “tempus fugit‚Ķ”
Quem sabe que o tempo est√° fugindo descobre, subitamente,
a beleza √ļnica do momento que nunca mais ser√°‚Ķ
Mas é preciso escolher.
Porque o tempo foge.
N√£o h√° tempo para tudo.
N√£o poderei escutar todas as m√ļsicas que desejo,
N√£o poderei ler todos os livros que desejo,
Não poderei abraçar todas as pessoas que desejo.
√Č necess√°rio aprender a arte de ‘abrir m√£o’
‚Äď a fim de nos dedicarmos √†quilo que √© essencial.‚ÄĚ
Trecho de Tempus Fugit – Rubem Alves.
“Sei que n√£o me resta muito tempo. J√° √© crep√ļsculo. N√£o tenho medo da morte. O que sinto, na verdade, √© tristeza. O mundo √© muito bonito! Gostaria de ficar por aqui‚Ķ Escrever √© o meu jeito de ficar por aqui. Cada texto √© uma semente. Depois que eu for, elas ficar√£o. Quem sabe se transformar√£o em √°rvores! Tor√ßo para que sejam ip√™s-amarelos‚Ķ”
Rubem Alves

Publicado em Uncategorized | Com a tag , , | 1 coment√°rio

ESTRELANDO: O SOL! 19 DE JULHO DE 2014.

Sol em 19 de julho de 2014. AIA / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 19 de julho de 2014. AIA / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 19 de julho de 2014. HMI / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 19 de julho de 2014. HMI / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Bravos colegas, de h√° muito tempo que uma paz infecunda veio mergulhar os membros do Clube do Canh√£o numa lament√°vel inatividade. Ap√≥s um per√≠odo de alguns anos, t√£o cheio de incidentes, foi necess√°rio abandonar os nossos trabalhos e deter-nos na senda do progresso. N√£o receio proclamar em voz alta que uma guerra que voltasse a colocar as armas em nossas m√£os seria bem-vinda…

‚Äď Sim, a guerra! ‚Äď exclamou o impetuoso J. T. Maston.

‚Äď Ou√ßam! Ou√ßam! ‚Äď gritaram de todos os lados.

‚ÄstMas a guerra, ‚Äď continuou Barbicane ‚Äď a guerra √© imposs√≠vel nas circunst√Ęncias atuais, e, apesar do que possa esperar o meu honrado colega, passar-se-√£o muitos anos antes que os nossos canh√Ķes voltem a troar nos campos de batalha. Devemos, portanto, tomar uma decis√£o e procurar em outro campo de a√ß√£o alimento para a atividade que nos devora!

A assembleia sentiu que o seu presidente ia abordar o ponto delicado. Redobrou, portanto, de atenção.

‚Äď Desde h√° alguns meses, meus bravos colegas ‚Äď continuou Barbicane ‚Äď que pergunto a mim mesmo se, embora continuando a manter-nos dentro da¬†nossa especialidade, n√£o poder√≠amos empreender alguma grande experi√™ncia digna do s√©culo XIX, se os progressos da bal√≠stica n√£o nos permitiriam lev√°-la a bom termo. Procurei, trabalhei, calculei, e dos meus estudos resultou a convic√ß√£o de que poderemos ter √™xito numa empresa que pareceria impratic√°vel para qualquer outro pa√≠s. Este projeto, longamente elaborado, vai ser o objeto da minha comunica√ß√£o; √© digno de v√≥s, digno do passado do Clube do Canh√£o, e n√£o poder√° deixar de fazer sensa√ß√£o no Mundo.

‚ÄstMuita sensa√ß√£o? – perguntou um artilheiro apaixonado.

‚ÄstMuita sensa√ß√£o no verdadeiro sentido do termo! – respondeu¬†Barbicane.

‚ÄstN√£o interrompam! – repetiram muitas vozes.

‚ÄstPe√ßo-lhes, portanto, caros colegas, para me darem toda¬†a vossa aten√ß√£o.¬†Um fr√™mito correu pela assist√™ncia. Barbicane, depois de¬†ter num gesto r√°pido assegurado a posi√ß√£o de seu chap√©u¬†na cabe√ßa, continuou o seu discurso com voz calma.

‚ÄstN√£o h√° um s√≥ de v√≥s, caros colegas, que n√£o tenha visto¬†a¬†Lua, ou pelo menos n√£o tenha ouvido falar nela. N√£o se¬†admirem de eu vir aqui falar do astro¬†da¬†noite. A n√≥s est√°¬†talvez reservado sermos os colombos desse mundo desconhecido.¬†Compreendam-me, apoiem todo o vosso poder,¬†e eu conduzi-los-ei¬†√†¬†sua conquista, e o vosso nome¬†juntar-se-√° ao dos trinta e seis Estados que formam este¬†grande pa√≠s!

‚ÄstViva a¬†Lua! – exclamou o Clube do Canh√£o numa s√≥ voz.

 

Trecho do discurso do Presidente do Clube do Canh√£o aos associados, incitando-os ao desafio de construir um canh√£o capaz de mandar um proj√©til √† Lua. O proj√©til acabaria ¬†levando tr√™s tripulantes. Do romance “Da Terra √† Lua” – 1865, de Julio Verne.


Publicado em Uncategorized | Deixar um coment√°rio

APROVADO DESTE S√ĀBADO 19 DE JULHO DE 2014:

 

Aprovado deste sábado vai a Anguera, onde o leigo católico Pedro Régis diz receber recorrentes mensagens de Nossa Senhora. Blog O Guardador de Estrelas.

Qual o poder da fé?

Aprovado deste sábado vai a Anguera, cidade a 150 km de Salvador, onde o leigo católico Pedro Régis diz receber recorrentes mensagens de Nossa Senhora. Blog O Guardador de Estrelas.Aprovado deste sábado vai a Anguera, cidade a 150 km de Salvador, onde o leigo católico Pedro Régis diz receber recorrentes mensagens de Nossa Senhora. Blog O Guardador de Estrelas.

No Aprovado deste s√°bado, dia 19 de julho, voc√™ vai descobrir porque todos os anos milhares de fi√©is cat√≥licos se re√ļnem na zona rural do munic√≠pio de Anguera no sert√£o da Bahia. O que faz com que tanta gente saia de suas cidades para ir a este lugar? H√° mais de vinte anos, o mission√°rio Pedro R√©gis diz ver Nossa Senhora e √© essa hist√≥ria de mist√©rio e revela√ß√£o que voc√™ acompanha no Aprovado deste s√°bado que come√ßa √†s 8h da manh√£.

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/a-fe-na-cidade-de-anguera/3507137/

Aprovado de 19 de julho 2014: Pablo Vasconcelos vai ao arquivo p√ļblico. Blog O Guardador de Estrelas.

O programa Aprovado de 19 de julho 2014 visita o Arquivo P√ļblico do Estado da Bahia. Blog O Guardador de Estrelas.

O programa tamb√©m mostra algumas rel√≠quias do Arquivo P√ļblico do Estado da Bahia, documentos e registros deste e de outros s√©culos que perpassam o tempo e mant√™m viva a nossa mem√≥ria. Em um passeio pelas instala√ß√Ķes do Arquivo, abrigado desde 1980 em um pr√©dio constru√≠do no s√©culo XVI e que foi morada dos jesu√≠tas, o rep√≥rter Pablo Vasconcelos conhece as salas onde os documentos s√£o restaurados, digitalizados e o local onde o p√ļblico pode ter acesso ao acervo, que tem ‚Äď por exemplo ‚Äď a carta de doa√ß√£o das terras da Ilha de Itaparica por Thom√© de Souza. Esse local que guarda parte da nossa mem√≥ria j√° foi, entre outras coisas, morada do padre Antonio Vieira.

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/conheca-o-arquivo-publico-da-bahia/3507148/

Aprovado de 19 de julho 2014: Jackson Costa entrevista Helena Oliveira, representante da Unicef na Bahia. Blog O Guardador de Estrelas.

Aprovado de 19 de julho 2014: Jackson Costa entrevista Helena Oliveira, chefe do escritório da Unicef na Bahia. Blog O Guardador de Estrelas.

No jardim do Arquivo P√ļblico, o apresentador Jackson Costa recebe a chefe do escrit√≥rio da UNICEF na Bahia, Helena Oliveira para falar sobre a import√Ęncia desse √≥rg√£o para as crian√ßas e adolescentes; as a√ß√Ķes que ele desenvolve e a atual situa√ß√£o da juventude baiana. Helena destaca o trabalho do UNICEF no semi√°rido brasileiro, principalmente no que tange a redu√ß√£o do trabalho infantil.

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/acoes-do-unicef-na-bahia/3507175/

Aprovado de 19 de julho 2014: o historiador Ricardo Carvalho nos conduz por uma visita à história de Salvador. Blog O Guardador de Estrelas.

Aprovado de 19 de julho 2014: o historiador Ricardo Carvalho nos conduz por uma visita ao bairro histórico da Ribeira. Blog O Guardador de Estrelas.

Al√©m disso, o Aprovado faz um tour em um dos bairros mais bonitos de Salvador, a Ribeira. Quem comanda esse passeio √© o historiador Ricardo Carvalho que traz as hist√≥rias do primeiro hidroporto de Salvador e da Igreja da Penha. J√° o professor e poeta Jorge Portugal bate um papo com Guilherme Machado sobre um dos grandes nomes da m√ļsica popular brasileira: Luiz Gonzaga. A vida e obra do mestre Gonzag√£o √© relembrada durante a conversa, que traz ainda hist√≥rias curiosas da carreira do artista.

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/ricardo-carvalho-conta-a-historia-da-ribeira/3507164/

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/fa-de-luiz-gonzaga/3507154/

Aprovado de 19 de julho 2014: o professor Jorge Portugal entrevista Guilherme Machado para falar de um dos maiores nomes da m√ļsica popular brasileira. Blog O Guardador de Estrelas.

Comece sua manh√£ com mais conhecimento e cultura.

Veja também as matérias do Aprovado sobre Astronomia:

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/observatorio-antares/3423505/

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/planetario-parque-do-saber/3423508/

http://redeglobo.globo.com/ba/redebahia/aprovado/videos/t/edicoes/v/astronomia-em-igatu/3075227/

 

 


Publicado em Uncategorized | Com a tag , , , , , , , , , | Deixar um coment√°rio

ESTRELAS DA LITERATURA: A BAHIA E O BRASIL SE DESPEDEM DE JOÃO UBALDO RIBEIRO.

Jo√£o Ubaldo Ribeiro fotografado por Pedro Martinelli nas ru√≠nas da igreja de Nosso Senhor de Vera Cruz, em Itaparica, constru√≠da pelos jesu√≠tas em 1560. Na √©poca Jo√£o Ubaldo estava escrevendo ‚ÄúO Sorriso do Lagarto‚ÄĚ. Blog O Guardador de Estrelas.

Jo√£o Ubaldo Ribeiro fotografado por Pedro Martinelli nas ru√≠nas da igreja de Nosso Senhor de Vera Cruz, em Itaparica, constru√≠da pelos jesu√≠tas em 1560. Na √©poca Jo√£o Ubaldo estava escrevendo ‚ÄúO Sorriso do Lagarto‚ÄĚ. www.pedromartinelli.com.br. Blog O Guardador de Estrelas.

Na ilha de Itaparica, onde eu morava no Brasil, minha fama de mentiroso deve-se muito [...] aos invernos alem√£es, americanos e canadenses que testemunhei e descrevi. Uma vez, depois que contei como rios e cachoeiras ficam congelados, como se faz buracos no gelo de um lago para pescar e como √© ainda escuro √†s nove horas da manh√£, um pescador amigo meu p√īs as m√£os em minha testa.

‚ÄĒ S√≥ para ver se voc√™ n√£o est√° com febre ‚ÄĒ explicou ele [...] ‚ÄĒ Voc√™ acha que eu vou acreditar nessa conversa, eu sou besta? Eu posso n√£o ter estudo como voc√™, mas n√£o sou besta.

‚ÄĒ Mas √© verdade! O lago congela, o sujeito vai l√°, serra um buraco no gelo, enfia a linha e por ali pesca.

‚ÄĒ E o peixe j√° sai congelado, escamadinho, desossadinho e empacotado, n√£o sai

não? [...] Essa conversa toda é chute [...] esse negócio de ainda estar escuro às 9 horas da manhã [...].

‚ÄĒ [...] Nessa √©poca do ano, √†s quatro horas da tarde j√° est√° escuro outra vez.

‚ÄĒ [...] Quer dizer que quatro horas da tarde j√° √© noite! Essa nem aqui, nem na China, n√£o est√° vendo que n√£o pode ser? [...]

 

“Um brasileiro em Berlim” (p√°ginas 83-85), de Jo√£o Ubaldo Ribeiro.

Nova Fronteira – Rio de Janeiro, 1995.

 


Publicado em Uncategorized | Com a tag , , | 3 coment√°rios

ESTRELANDO: O SOL! 18 DE JULHO DE 2014.

O Sol, hoje.

Sol em 18 de julho de 2014. HMI Dopplergram / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

Sol em 18 de julho de 2014. HMI Dopplergram / SDO / NASA. Blog O Guardador de Estrelas.

‚Äú√Č minha terra, √© o lugar onde eu nasci, eu moro na casa onde eu nasci, venho ver meus amigos de inf√Ęncia e √© uma terra encantadora. √Č simplesmente isso. Eu n√£o penso nunca em me desvincular daqui (…) s√≥ quando eu morrer”.

 

João Ubaldo Ribeiro se referindo à Ilha de Itaparica,

em entrevista para a jornalista Anna Valéria, da Rede Bahia.

 

 


Publicado em Uncategorized | Com a tag , , , | Deixar um coment√°rio

LUA EM 17 DE JULHO

Aspecto da Lua em 17 para 18 de julho de 2014. MiraSilva. Blog O Guardador de Estrelas.

Aspecto da Lua em 17 para 18 de julho de 2014. MiraSilva. Blog O Guardador de Estrelas.

Agora √© noite e de onde escrevo vejo a Lua, linda, gibosa minguante, sobre o mar. Parece especialmente bonita. Desde a antiguidade, questionamentos envolvendo a Lua e o desejo de alcan√ß√°-la povoaram o imagin√°rio humano. O que √©? A que dist√Ęncia est√°? Do que √© formada? Por que apresenta fases que se repetem ciclicamente? Esses questionamentos remontam √† pr√≥pria origem do processo de pensar e correlacionar ideias a partir da observa√ß√£o do mundo f√≠sico ao nosso redor. Da√≠ a Lua estar presente de forma marcante e recorrente nas mais distintas mitologias, e as viagens √† Lua se tornarem lugar comum na literatura. Ao longo dos s√©culos, seguiram-se para a Lua carruagens encantadas, seres alados, detentores de f√≥rmulas m√°gicas e expedi√ß√Ķes maravilhosas, muitas das quais deram por l√° com seres lunares e paisagens fant√°sticas, ao modo que os sonhos permitem. Ariosto (1532), Kepler (1634), Godwin (1638), Wilkins (1640), Bergerac (1656) foram alguns dos nomes que nos deixaram romances sobre viagens √† Lua nos s√©culos 16 e 17.

No in√≠cio do s√©culo 17, Johannes Kepler (1571 ‚Äď 1630), astr√īnomo e matem√°tico que formulou as leis do movimento planet√°rio escreveu uma hist√≥ria com o sugestivo t√≠tulo de “Sonho”, ou, Somnium, em latim, cujo manuscrito original se perdeu. O sonho de ir √† Lua, no entanto, resistiu ao tempo, atravessou a hist√≥ria. Gera√ß√£o ap√≥s gera√ß√£o, a inquietude humana perscrutou os c√©us, o ar, as montanhas, as depress√Ķes, os mares, o mundo, do gra√ļdo ao mi√ļdo, o corpo e a mente. Desenvolvemos a matem√°tica, desvelamos e descrevemos as leis fundamentais da f√≠sica e da qu√≠mica ‚Äď leis da natureza, e aos poucos, engenhosamente fomos construindo nosso caminho para subir ao c√©u e alcan√ßar a Lua.

Isaak Newton aos 46 anos (1689), por Godfrey Kneller. Blog O guardador de Estrelas.

Isaak Newton (1643 - 1727). Retratado em 1689 por Godfrey Kneller. Blog O Guardador de Estrelas.

Em 1687, Isaak Newton deu um grande passo na constru√ß√£o desse caminho, descrevendo a gravita√ß√£o universal e as chamadas leis de Newton, fundamentos da mec√Ęnica cl√°ssica. Em meados do s√©culo dezenove, o sonho de ir √† Lua j√° parecia exequ√≠vel o suficiente para que um escritor a par do conhecimento de sua √©poca, como Julio Verne, pudesse criar uma fic√ß√£o rica em elementos bastante pr√≥ximos da realidade.

Julio Verne (1828 - 1905) fotografado em 1878 por Felix Nadar. Blog O Guardador de Estrelas.

Julio Verne (1828 - 1905) fotografado em 1878 por Felix Nadar. Blog O Guardador de Estrelas.

Um dos aspectos mais interessantes previstos por Julio Verne, talvez seja o que mais demonstra sua perspic√°cia. √Č que mesmo sendo franc√™s e vivendo numa √©poca em que Inglaterra e Fran√ßa encabe√ßavam a economia mundial e representavam os principais referenciais da cultura ocidental, no romance “Da Terra √† Lua” Julio Verne escolhe os EUA como cen√°rio para lan√ßar sua expedi√ß√£o √† Lua, e situa a base do lan√ßamento na regi√£o de Tampa, na Fl√≥rida, pr√≥ximo ao Cabo Canaveral, de onde um s√©culo depois foram lan√ßadas as miss√Ķes do projeto Apollo. Como n√£o existia a propuls√£o a jato, o artif√≠cio usado por Verne para colocar sua nave em √≥rbita foi o tiro de um super canh√£o.

 

A regi√£o de Tampa, na Florida, foi escolhida por Verne para lan√ßar um proj√©til tripulado √† Lua, fica muito pr√≥xima ao Cabo Canaveral, de onde foram lan√ßadas as miss√Ķes Apollo. Imagem Google Earth. Blog O Guardador de Estrelas.

A regi√£o de Tampa, na Florida, foi escolhida por Verne para ser o local de lan√ßamento de um proj√©til tripulado √† Lua, fica muito pr√≥xima ao Cabo Canaveral, de onde foram lan√ßadas as miss√Ķes Apollo. Imagem Google Earth. Blog O Guardador de Estrelas.

Mas as semelhanças não param por aí, voltaremos a elas em outro texto.

Abraço.

 


Publicado em Uncategorized | Com a tag , | 1 coment√°rio