Carnaval

Pitty anima Campo Grande e fala sobre cantar no Carnaval de Salvador

Cantora também esteve na Casa SKOL, durante o Carnaval, e disse que não imaginava que poderia um dia cantar na folia

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Pelo segundo ano consecutivo, a Secretaria de Políticas para as Mulheres (SPM-BA) promoveu a campanha 'Respeita as Mina' durante o Carnaval. Ela esteve presente, por exemplo, em trio especialmente promovido para o assunto, que desfilou no Campo Grande, no início da noite desta segunda-feira (12), atraindo milhares de foliões pipoca.

Foto: Divulgação/ GovBA

Liderada pelas cantoras baianas Larissa Luz, Pitty e Karina Buhr, a passagem do trio incluiu a distribuição de materiais de conscientização, como adesivos, tatuagens temporárias e plaquinhas com as expressões 'pode' e 'não pode'.

Antes de subir ao trio, no sábado (10), a roqueira Pitty fez show na Casa SKOL, no circuito Barra-Odina, e falou sobre sua participação na campanha.

"É simbólico pra mim poder fazer isso hoje em dia. Eu agradeço muito esse convite de Larissa e estar aqui com a Karina que eu acho foda pra caralho, essas duas mulheres aqui são fodas", disse ela. "Subir no trio na minha cidade depois de tantos anos de relação, relação esquisita, de tentar ocupar um espaço, de batalhar por isso e de repente ter a oportunidade de fazer parte dessa festa, dentro desse contexto, é muito especial", completou a cantora.

A baiana também falou que nunca imaginou que um dia cantaria na folia. "Eu não imaginava porque a gente nem tinha espaço, a gente teve que criar o nosso espaço. Não era nem uma coisa que você almejava, você fazer hardcore e rock em uma cidade como Salvador é difícil, então a gente criou. Tem o Palco do Rock que continua ai, mas ter essa oportunidade de juntar todo mundo é massa. Esse negócio de segregar é foda, a ideia não é essa, a ideia é que cada um respeite o seu posto, o seu contexto e possa conviver", afirmou.