Campus Party BA

"A ciência é ainda um lugar machista", diz feminista durante Campus Party

Edição baiana da Campus Party é marcada pelo debate de temas do universo feminino, suas demandas e intercessões com o ambiente digital

Naiá Braga (naia.braga@redebahia.com.br)

Foto: Naiá Braga
A primeira edição da Campus Party na Bahia também está sendo marcada pelo debate de temas do universo feminino, suas demandas e intercessões com o ambiente digital. Nesta sexta-feira (11), além da palestra de Mônica Sousa, coordenadora do projeto feminista "Donas da Rua", a Campus recebeu a feminista, pesquisadora e doutora e mestre em Comunicação e Cultura Contemporânea, Graciela Natansohn. Com o tema "Princípios para a #internetFeminista - para crackear o sexismo". No palco "Criatividade", a pesquisadora falou das dificuldades da inclusão digital feminina.

"É preciso falar de uma diversidade de identidade, sexual e racial contra o hetero-cis-normativismo. No Brasil, o IBGE com as estatísticas comprova o crescimento  do acesso à internet pelo celular, as empresas de telefonia têm feito essa inclusão digital. Mas o acesso à internet não é só isso. A gente (mulheres) sabe o lugar que a gente ocupa. A ciência é machista.É ainda um lugar machista, criada com pressupostos.É fundamental criar espaço dentro da ciência que ainda tem um caráter androcêntrico", refletiu.

Veja Mais