Mais Esportes

Agora na luta principal, Amanda defende cinturão dos galos do UFC

Será a segunda defesa de cinturão da baiana de Pojuca. Na primeira, ela acabou com Ronda Rousey em menos de um minuto

Ivan Dias Marques, Correio 24 horas (ivan.marques@redebahia.com.br)

Pode ser um sinal de boa sorte para a baiana Amanda Nunes. Relegada à luta preliminar do UFC 215, após passar mal na véspera da edição 213, que seria em 8 de julho, e ter o combate contra a quirguistanesa Valentina Shevchenko cancelado, a campeã dos galos se viu do outro lado da moeda para o embate com Valentina. Agora foi Ray Borg, que faria a luta principal do UFC 215 (card principal a partir das 23h) contra o campeão dos moscas Demetrius Johnson, quem passou mal e foi retirado do evento, no Canadá. Chance para Amanda novamente comandar uma edição do UFC. 

Amanda Nunes acena antes de treino aberto (Jef Bottari/UFC/Divulgação)

Será a segunda defesa de cinturão da baiana de Pojuca. Na primeira, ela acabou com Ronda Rousey em menos de um minuto com um nocaute técnico, sendo alçada ao estrelato do MMA pela forma que a luta se desenvolveu. 

Na última quinta, no treino aberto do UFC 215, Amanda mostrou que está bem melhor do que em julho, quando uma crise de sinusite a tirou da luta. Chegou a arriscar uns golpes de capoeira. “Eu sou do Brasil, né? A gente conversou ali no momento e decidiu jogar alguma coisa pra galera ver algo diferente. A capoeira é uma coisa que vem da Bahia, da minha terra e eu queria mostrar um pouquinho. Acho que mostrei alguma coisa aí, mas não sou especialista, não”, disse a campeã.

Cansaço

Amanda e Valentina já se enfrentaram antes. Em março do ano passado, a baiana venceu por decisão unânime dos árbitros, mas quase se dá mal já que acabou cansando no último round e sofreu nas mãos da quirguistanesa, que treina no Peru.

Assim, o segredo para ela manter o cinturão passa por mostrar que a condição física está melhor do que em 2016, já que aquela luta era de três rounds e a de hoje pode ir até cinco. “Se eu realmente tiver a oportunidade de decidir a luta no primeiro ou no segundo round, eu vou decidir. Se tiver que ir para os cinco rounds, eu vou para os cinco rounds, porque estou muito bem preparada e me preparei para isso”, garantiu a baiana.

Veja Mais