Saúde

Alimentação: Veja como aproveitar ao máximo os alimentos e seus nutrientes

Um alimento só deve ser congelado uma vez, após descongelar não deve voltar ao freezer

Evelin Azevedo, da Agência O Globo

O desperdício de alimentos é um problema que afeta o mundo inteiro. Todos os anos, cerca de 1.300 toneladas de comida, o que equivale a um terço de tudo o que é produzido para consumo humano, vai parar no lixo, segundo dados da FAO, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura. A quantidade de comida jogada fora é quatro vezes maior do que a necessária para acabar com a fome no planeta.

— O brasileiro está colocando em seu prato mais comida do que precisa. Mas existem algumas estratégias para mudar isso, como não se servir com fome, pois irracionalmente você coloca mais comida no prato. Isso também serve para quando vamos fazer compras: com fome, o consumidor leva para casa muito mais alimentos do que precisa. Acabamos comprando um pouquinho de tudo e sempre alguma coisa é desperdiçada — alerta a nutricionista do BioMais, Ronimara Santos.

Para evitar que o consumidor seja seduzido pelos produtos das prateleiras, a nutricionista Haline Dalsgaard, do projeto online “Saúde no prato” recomenda que seja feita uma listinha dos itens que faltam na despensa e dá outras dicas:

— Ao comprar verduras, procure lavá-las e secá-las no dia da compra, antes de armazená-las em saquinhos ou potes, pois assim podem durar até dez dias. E, na hora de cozinhar, dê preferência aos alimentos que estão próximos do prazo da validade, para não ter que descartá-los.

Outra forma de não desperdiçar os alimentos é aproveitando todas as suas partes. Cascas, folhas e talos, também possuem nutrientes e podem ser usados em novas preparações.

— As sobras de arroz podem virar um bolinho, lasanha de arroz, arroz de forno ou risoto. As cascas de melão, melancia, abacaxi, jabuticaba, banana e laranja podem virar uma deliciosa geleia ou até mesmo um bolo — exemplifica a nutricionista Letícia Masulck, do BioMais.

Confira dicas da nutricionista:

Reprodução
1. Por quanto tempo podemos guardar um suco de fruta?
Para que todas as suas propriedades nutricionais sejam mantidas a recomendação é beber o suco na hora. No caso de sobras, para não haver desperdício, deve-se guardar o suco tampado na geladeira e consumir em até 24h.

2. Por quanto tempo uma caixa de leite pode ficar aberta?
Leites e derivados, depois de abertos, têm vida útil de 4 a 5 dias.



3. Quantas vezes podemos ferver o feijão?

Deixar o feijão já pronto e congelado é uma ótima solução. O mais recomendável é congelá-lo sem tempero e temperar na hora. Ele pode ficar congelado por aproximadamente um mês. O ideal, depois de congelado, é que ele seja fervido apenas mais uma vez.

LegendaG
4. Por quanto tempo podemos guardar uma vitamina de fruta sem que ela perca seus nutrientes?
O ideal é consumir imediatamente após o preparo, pois com o passar do tempo se perde vitaminas e minerais.

5. Quais alimentos são recomendados para se congelar e manter uma marmita equilibrada?
À exceção das saladas folhosas cruas, a maioria dos alimentos prontos pode ser congelada, como carne refogada e arroz.

Alimentos com alto teor de água, ovos com casca e molhos à base de maionese e iogurtes não devem ser congelados. Fora esses alimentos, as preparações frescas podem ser congeladas por até 3 meses.

6.  Por quanto tempo podemos deixar a comida em cima do fogão?

Os alimentos não podem permanecer na temperatura ambiente por mais do que 2h.

Foto:Reprodução
7. Quantas vezes podemos congelar e descongelar um alimento?
Um alimento só deve ser congelado uma vez. Depois de descongelado não deve voltar ao freezer.

8. Para manter os nutrientes, é mais recomendado esquentar as comidas no fogão ou no micro-ondas?
O micro-ondas aquece de forma desigual os alimentos, por isso, os nutrientes apresentavam maior probabilidade de serem degradados em lugares que ficaram extremamente quentes e as partes que não atingiram a temperatura adequada podem estar suscetíveis a uma degradação microbiana.