Música

Alok se consagra e Brasil tem 4 DJs no top 100 mundial; confira ranking

A lista que saiu neste sábado (21) também teve como destaque a subida meteórica de Vintage Culture

Do blog Trancenda* (carla.leticia@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Ótimas notícias para os admiradores da música eletrônica brasileira. O ranking de 2017 da revista DJ Mag, a maior referência mundial quando o assunto é EDM, saiu na tarde deste sábado (21) e trouxe o já esperado: o Brasil na mais alta posição já alcançada pelo país na história do top 100. 

Alok é o brasileiro que chegou mais longe na história da premiação

E o nome que representou esse marco também não foi surpresa nenhuma: o goiano Alok, dj brasileiro que este ano estourou para o mundo. Com hits que caíram nas graças da galera como 'Hear Me Now' e 'Fuego', e muitas (coloca muitas nisso) viagens pelos quatro cantos do planeta, o artista subiu seis posições e se consagrou com o 19º lugar no ranking. Mais um ponto pra ele. 

Apesar de ser o mais badalado quando o assunto é fama, Alok não foi o único brasileiro a subir na lista. Logo atrás vem Vintage Culture, não por acaso eleito o DJ nº 1 do Brasil pela House Mag, também este ano. Nome por trás do projeto, o jovem Lukas Ruiz, nascido no Mato Grosso do Sul, saltou 23 posições no ranking mundial e conquistou a 31ª posição este ano. 

Vintage Culture subiu 23 posições no ranking... 

... e Cat Dealers apareceu pela primeira vez na lista
(Fotos: Reprodução/Instagram)
A outra grande surpresa brasileira esse ano foi o duo carioca Cat Dealers, que pela primeira vez conquistou lugar na lista. O projeto, na 74ª posição, tem apenas dois anos de existência. Dá pra acreditar? 

Os líderes 

Lá no topo da lista, pouca surpresa e mudança. O holandês Martin Garrix lidera, assim como em 2016, seguido por Dimitri Vegas & Like Mike e o rei do 'Space of Trance', Armin Van Buuren, que voltou a subir no ranking. O duo pop The Chaismokers e o francês David Guetta (que caiu uma posição), os mais conhecidos no Brasil, ocupam o 6º e o 7º lugar, respectivamente. 

A participação feminina também cresceu esse ano, fato pelo qual  todos nós comemoramos. A DJ Mag, assim como a indústria da música eletrônica mundial, sempre foi dominada pelos homens... mas agora temos Miss K8 (58º), Mariana Bo (84º) e Alison Wonderland (89º) na lista. Ponto pra nós!