Viver Cabula

Árvores enfeitadas: atração chama atenção de moradores e visitantes do Cabula

Nas árvores, público encontra objetos: carrinhos de bebê, discos antigos, bichos de pelúcia, bolsas, fax, máquinas fotográficas e capacetes

Especial de Conteúdo

Oferecimento
Pode até parecer esquisitice, mas duas mangueiras conseguiram chamar a atenção de moradores e de pessoas que passam pela Avenida Edgar Santos, no limite entre os bairros da Narandiba e do Cabula VI. Isso porque há uma grande variedade de objetos pendurados nessas duas árvores – o que torna impossível não observá-las.

A autoria dessa obra é o ex-caminhoneiro e agora artista plástico Ivo Conceição Lisboa. Há 15 anos, ele decidiu pendurar objetos nessas duas mangueiras, que estão localizadas em frente à loja de cerâmicas onde trabalha. Nas árvores, você encontra uma diversidade de objetos: carrinhos de bebê, discos antigos, bichos de pelúcia, bolsas, fax, máquinas fotográficas, capacetes para motocicletas, dentro outros.

A iniciativa começou como uma forma de chamar atenção para a quantidade de lixo que é produzida diariamente. Muitos dos objetos que ficam expostos nas mangueiras vêm de doações. “Deixam de tudo o que você imaginar por aqui, geladeira, televisão”, contou ele em entrevista ao “G1”.

Atração curiosa

As árvores enfeitadas chamam a atenção de quem é novo na região ou não costuma passar pelo bairro com frequência. E tem gente que não concorda com a atitude do artista plástico, chegando, inclusive, a xingá-lo por causa da iniciativa.

Os objetos são colocados em ganchos antes de serem pendurados na árvore, evitando assim que as mangueiras sejam machucadas. Para retirar um objeto do local não é preciso pagar nada: basta pegar e ir embora. Os objetos que ficam pendurados nas árvores ficam expostos seja na chuva, no sol ou no período da noite. Os livros, discos e outros materiais, porém, são retirados no final do dia.