Mundo

Atropelador de Toronto matou 9 e feriu 16, diz polícia

Motorista já foi preso, mas ainda não se sabe se atropelamento foi deliberado; ministros do Exterior do G7 se reúnem na cidade

Agência O Globo

Nove pessoas morreram e 16 ficaram feridas quando o motorista de uma van branca alugada avançou sobre pedestres que estavam em uma calçada em Toronto, no Canadá, informou a polícia canadense no fim da tarde desta segunda-feira. O motorista foi preso, mas a polícia ainda não revelou se o atropelamento foi um ato deliberado dele ou se foi um acidente. A colisão ocorreu no cruzamento entre a rua Yonge e a Avenida Finch East, no norte da cidade, numa região que mistura residências e comércio.

— A investigação está em um estágio no qual mais nenhuma informação pode ser confirmada — disse o ministro da Segurança Pública do Canadá, Ralph Goodale, em entrevista coletiva. — A polícia está obviamente realizando uma investigação completa para determinar o que aconteceu e por que aconteceu, as motivações envolvidas.


Veja vídeo:

 

O incidente aconteceu às 13h30, hora local (12h30 no Brasil), quando as ruas estavam cheias de pessoas que haviam saído dos escritórios para o almoço. Uma testemunha do atropelamento, identificada como Ali, disse à rede de TV CNN que o motorista parecia agira propositalmente. "Ele estava matando todo mundo. Ia avançando cada vez mais, atingindo as pessoas uma após a outra", disse. Ele contou que algumas das vítimas eram idosos e que viu um carrinho de bebê ser lançado pelo ar.

O atropelamento foi a 30 quilômetros do centro de Toronto, onde se reúnem os ministros do Exterior do G7, formado por Estados Unidos, Reino Unido, Canadá, França, Alemanha, Itália e Japão. Depois do atropelamento, a segurança ao redor do hotel não chegou a ser reforçada, segundo a agência Reuters. Até agora não foi estabelecida nenhuma relação entre o incidente e a reunião dos representantes do grupo, que costumava reunir as sete maiores economias do mundo capitalista, mas perdeu relevância com a ascensão da China ao posto de segunda economia global.

— Ainda estamos reunindo informações e, assim que pudermos, vamos compartilhá-las com os canadenses — disse o premier do país, Justin Trudeau.

A empresa Ryder, que alugou a van, disse que está colaborando com as autoridades

Em outros casos recentes nos Estados Unidos e na Europa, atropelamentos se revelaram ações terroristas.