Santa Casa

Cinco curiosidades sobre o Cemitério Campo Santo que você não conhecia

Cemitério acumula mais de 170 anos de atividade

- Atualizada em

Oferecimento
Muitas vezes temos familiaridade com um local no nosso dia a dia, mas não fazemos nenhuma ideia sobre sua história. Muitos dos que vivem em Salvador e passam em frente ao Campo Santo não imaginam que o cemitério, que acumula mais de 170 anos de atividades, já foi alvo de protestos, por exemplo.

Ficou curioso sobre essa e outras histórias? Confira cinco curiosidades sobre o local!

Foto: Bapress / Divulgação

1) Origem do nome Campo Santo

A ideia de denominar com o nome de 'Campo Santo' os cemitérios construídos fora dos limites urbanizados das cidades surgiu na Itália. Seguindo esta tendência, após ganhar a concessão do Governo do Estado da Bahia, àquela época chamado Governo Provincial, para a construção do cemitério, a então Empresa dos Cemitérios da Cidade, batizou o novo local com este nome, 1836. Para serem assim batizados, os cemitérios deveriam estar situados em um campo, em áreas elevadas e arborizadas, para evitar a 'sujeira associada ao mundano'.

2) Fazenda São Gonçalo

O terreno do Cemitério Campo Santo fica em uma área antes conhecida como Fazenda São Gonçalo, que hoje corresponde às localidades do Calabar, Alto das Pombas, além de um trecho da Av. Centenário.

Apenas escravos e indigentes eram enterrados ao ar livre. Os que eram considerados cidadãos da sociedade eram enterrados dentro das igrejas. Naquela época, acreditava-se que os sepultados em igrejas estariam mais próximos de Deus e dos santos, além de ser um sinal de prestígio. Mas as novas noções de higiene e saúde pública levaram à criação de uma lei que passou a proibir enterros dentro dos templos. No dia da abertura do Campo Santo, 25 de outubro de 1836, quase 4 mil pessoas, lideradas pelas irmandades religiosas, se reuniram para protestar.

4) Campo Santo e Santa Casa da Bahia

A Santa Casa da Bahia passa ser dona Cemitério Campo Santo em 1840, ano em que comprou a Fazenda São Gonçalo. Na época, a instituição já contava com a confiança e prestígio da população baiana, o que foi muito importante no processo de aceitação dos enterros a céu aberto. O primeiro sepultamento do Cemitério Campo Santo aconteceu em 1844.

5) Sepultamentos como uma missão

As Obras de Misericórdia são as ações caridosas pelas quais vamos em ajuda do nosso próximo, nas suas necessidades corporais e espirituais. Em um total de 14, as Obras de Misericórdia inspiram a atuação de todas as Santas Casas existentes no mundo, desde a fundação da primeira delas, em Lisboa. "Enterrar os Mortos", com dignidade, é uma das Obras de Misericórdia e a Santa Casa da Bahia a cumpre por meio do Cemitério Campo Santo.