Cinema

Com Amor, Simon é sobre descobertas, revelações e consequências

Comédia dramática baseado em livro de sucesso discute homossexualidade na adolescência

Doris Miranda, do Correio 24h

Em construção, todo adolescente tem medo de ser desaprovado. Pela família, na escola, pelos amigos... E vive negociando com a imagem que fazem dele. A comédia dramática Com Amor, Simon é um filme exatamente sobre isso. Com o plus de que a identidade em questão é a de um garoto que se descobriu gay,  mas não tem coragem de assumir publicamente.

Diferente do charmoso Elio, personagem de Timothée Chalamet no drama Me Chame Pelo Seu Nome, Simon, 17 anos, nunca de se envolveu com ninguém do mesmo sexo. Mas sabe, talvez pelo fracasso de seus namoros com garotas, que seu interesse está no mesmo sexo. Um dia, inicia uma correspondência com um garoto da escola e vai narrando em e-mails emocionantes como é viver dentro do armário.

A história é inspirada no livro Simon vs. A Agenda Homo Sapiens, da psicóloga Becky Albertalli, que atendia adolescentes antes de virar escritora. Ela diz que o personagem não é baseado em ninguém específico, mas que ouviu com atenção seus pacientes. “Por ter trabalhado com homossexuais adolescentes, pude escrever o Simon com maior consciência dos problemas a que adolescentes gays estão mais sujeitos ultimamente”, revela.

Veja trailer:



O diretor Greg Berlanti, que  está atrelado a séries da DC Comics, como Flash e Supergirl, conduz sua narrativa de maneira muito divertida. O drama de Simon (Nick Robinson, do drama adolescente Tudo e Todas as Coisas/2017) está presente o tempo todo, claro. Mas o público jovem adulto, ao qual o filme se destina em essência, dá risada com muita naturalidade das elaborações mentais do adolescente.

Além de Simon, a trama apresenta os estudantes do colégio Creekwood, onde estão seus amigos, que, apesar de inseparáveis, não sabem que Simon encara um dilema que o consome. A virada é o ponto alto: com sua intimidade publicada no blog da escola, o garoto precisa lidar com as consequências de suas revelações. Passado o choque inicial, o jovem decide enfrentar o bullying e a chantagem para  encontrar seu correspondente anônimo, por quem se apaixonou. O bacana é que Simon percebeu que estava se aprisionando num lugar desnecessário: a tranquilidade de suas reações é um trunfo que ele não sabia possuir.