Santa Casa

Com mais de 150 anos de atividade, Campo Santo é local de repouso de personalidades

Desde o início das suas atividades, em 1844, inúmeros sepultamentos foram realizados no local

Especial de Conteúdo
- Atualizada em

Oferecimento
Não faltam histórias para contar sobre o Cemitério Campo Santo.  Desde o início das suas atividades, em 1844, inúmeros sepultamentos foram realizados no local e muitos de personalidades e figuras importantes da sociedade baiana. 

Desde figuras de destaque na literatura, como Castro Alves, até políticos que fazem parte da história de Salvador, como Antônio Carlos Magalhães e seu filho, Luis Eduardo Magalhães, passando por personalidades que batizaram ruas da cidade - Otávio Mangabeira e Luiz Viana - descansam no local. Confira esses e outros nomes:

Foto: Bapress / Divulgação

- CASTRO ALVES (1847-1871)

Os restos mortais do poeta patrono da cadeira nº 7 da Academia Brasileira de Letras hoje estão depositados aos pés da estátua localizada na Praça Castro Alves. Mas ele foi enterrado em mausoléu construído no Cemitério Campo Santo após falecer, em 1871, aos 24 anos de idade. Castro Alves demonstrou talento na poesia ainda na adolescência e logo levou para as linhas que escrevia seu entusiasmo pelas causas da liberdade e da justiça, como a independência da Bahia, a luta contra a escravidão e a proclamação da república. O Navio Negreiro é um de seus poemas mais famosos.

- BERNARDO MARTINS CATHARINO (1843-1924)

Quem for visitar o Campo Santo vai encontrar um mausoléu esculpido em mármore de Carrara, com uma imagem de Cristo. O espaço pertence a família Catharino e é onde descansa Bernardo Martins Catharino, português de origem que chegou à Bahia com 17 anos. Ficou conhecido no século XX como próspero homem de negócios do Estado.

- ERNESTO SIMÕES FILHO (1886-1957)

Jornalista, advogado e político, Ernesto Simões Filho é o fundador do jornal A Tarde, jornal impresso mais antigo de Salvador, e teve cargos públicos como deputado federal e ministro da Educação e Saúde no segundo governo de Getúlio Vargas. No dia 24 de novembro de 1957, Simões Filho morreu no Rio de Janeiro. O local escolhido para o seu sepultamento foi a capital da Bahia, no Cemitério Campo Santo, palco maior das suas grandes lutas.

- LUIS VIANA E LUIS VIANA FILHO (1866-1942 e 1901-1970)

Luis Viana, o pai, governou a Bahia no final do século XIX, quando ocorreu a Guerra de Canudos. 

Luis Viana Filho, professor da Faculdade de Direito da Bahia, foi jornalista, escritor, membro da Academia de Letras da Bahia e da Academia Brasileira de Letras. Foi ainda Deputado Federal, Senador da República, Presidente do Senado e do Congresso Nacional e Governador da Bahia.

Pai e filho estão sepultados em uma Campa da quadra 7 no Cemitério Campo Santo.

Foto: Bapress / Divulgação

- MAMEDE PAES MENDONÇA (1915-1995)

Destacado comerciante de alimentos, de origem sergipana, introduziu na Bahia o sistema comercial de auto-serviço. Sua empresa de supermercados chegou a ser a maior rede de auto-serviço do país, com lojas em Sergipe, Bahia, Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais. 

O empresário morreu em São Paulo, aos 80 anos, e foi enterrado no Campo Santo em 23 de outubro de 1995. 

A morte do então deputado Luis Eduardo Magalhães gerou comoção em Salvador. Na época, a Polícia Militar estimou que cerca de 60 mil pessoas acompanharam o velório. Durante o percurso até o cemitério Campo Santo, o cortejo foi acompanhado por admiradores, que se posicionaram em barrancos e nas passarelas, sobre as ruas da cidade. Está sepultado na quadra 16, onde posteriormente foi sepultado o corpo de seu pai, Antônio Carlos Magalhães.

- ANTÔNIO CARLOS MAGALHÃES (1928-2007)

O então senador Antônio Carlos Magalhães (ACM) morreu aos 79 anos, em decorrência de uma infecção generalizada. O corpo do político foi sepultado no Cemitério Campo Santo, ao lado dos filhos Luís Eduardo Magalhães e Ana Lúcia Magalhães, dos pais e irmãos. O túmulo fica localizado na quarta 16 do cemitério.