Mundo

Conheça as 7 marcas de chocolate que utilizam trabalho escravo infantil

"Vocês desfrutam de algo que foi feito com o meu sofrimento", disse uma criança libertada

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

"Vocês desfrutam de algo que foi feito com o meu sofrimento. Trabalhei duro para eles, sem nenhum benefício. Estão a comer a minha carne", a frase chocante de uma criança liberada do trabalho escravo em uma plantação de cacau mostra a falta de fiscalização contra o trabalho escravo infantil. O documentário 'Escravidão: uma investigação Global' entrevistou crianças que foram libertadas do trabalho escravo na África Ocidental.


Marcas mundialmente conhecidas se comprometeram em 2001 a acabar com o trabalho escravo infantil das suas empresas até 2005. O prazo tem sido repetidamente adiado e sua meta atual é até 2020. Enquanto isto, o número de crianças que trabalham na indústria do cacau aumentou 51% entre 2009 e 2014, segundo um relatório de julho de 2015 da Universidade Tulane.


"Sempre que te carregavam com sacos [de grãos de cacau] e caías enquanto os transportavas, ninguém te ajudava. Em vez disso, batiam-te e batiam-te até que te levantasses de novo", disse uma outra criança ao documentário.


As 7 marcas de chocolate que utilizam cacau proveniente de trabalho escravo infantil são:


    Hershey

    Mars

    Nestlé

    ADM Cocoa

    Godiva

    Fowler’s Chocolate

    Kraft