Salvador

Dois homens prestam queixa após serem confundidos com estuprador de médica em redes sociais

Segundo a assessoria da Polícia Civil, os homens são inocentes e não têm nenhum envolvimento com o crime

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Dois homens registraram queixa nesta quinta-feira (21) na 10ª Delegacia (Pau da Lima) depois de serem apontados em redes sociais como o autor do estupro de  uma médica na última sexta-feira (15), em um matagal do bairro de Águas Claras. 





Eles são inocentes e não têm nenhum envolvimento com o crime. Ainda de acordo com a Polícia Civil, um inquérito já foi instalado para investigar os responsáveis por espalhar na internet informações que ligam os dois homens ao crime. Até a noite de quarta (21) a polícia não tinha prendido o autor do estupro.Por volta das 18h40 da sexta-feira, uma  médica de 32 anos foi abordada pelo criminoso no estacionamento Well Park, que fica em frente ao Hospital São Rafael, onde a vítima trabalha.  O criminoso foi descrito pela médica como um homem um homem negro, de 1,70 m, que no momento do crime trajava  jaleco, calça jeans e camisa social.O homem obrigou a médica a dirigir o  veículo dela, um Honda Civic prata, até um matagal do bairro de Águas Claras, onde a violentou. O rapaz teria afirmado à médica que tinha medo de ser identificado através de um exame de DNA  e por isso optou por usar camisinha.


Depois disso, o bandido fugiu, com o tablet e celular da vítima, e a médica dirigiu o carro até encontrar um estabelecimento comercial, onde ligou para os familiares para socorrê-la.  O caso está sendo investigado pelo delegado Willian Achan, titular da 10ª Delegacia (Pau da Lima).

Correio24horas