Gastronomia

É doido numa maniçoba? Aprenda uma receita tradicional de Cachoeira

Maktub existe há exatos 16 anos e o nome foi inspirado em uma das expressões mais comuns da novela "O clone (2001)

Naiá Braga (naia.braga@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Prato popular brasileiro de origem indígena, a maniçoba é uma das receitas queridinhas da culinária das regiões Norte e Nordeste. Na Bahia, uma das cidades mais conhecidas pelo preparo da iguaria é Cachoeira, no Recôncavo Baiano, e como o iBahia estava lá, ou melhor, aqui, fomos atrás de uma receita saborosa e tradicional.

Depois de consultar alguns moradores da cidade para saber qual a melhor maniçoba, finalmente, chegamos ao Restaurante Maktub, situado na Rua João Vieira Lopes, bem pertinho da praça da Igreja Matriz. Fomos recebidos, gentilmente, pelo proprietário Ivanildo Paulo Santana.

O Maktub existe há exatos 16 anos e o nome foi inspirado em uma das expressões mais comuns da novela "O clone (2001), de Glória Perez: "Maktub", palavra de origem árabe, que em português, significa "Estava escrito". Para o ex-garçom de 39 anos, a expressão foi representativa para o momento que ele enfrentava. "Eu assumi uma dívida de um restaurante que eu trabalhava em São Félix e foi quando eu voltei para Cachoeira e consegui abrir o restaurante. Então, eu acredito que estava escrito." explicou.

Ivonildo e sua mãe Dona Ana Maria
O Maktub é uma empresa familiar, com oito funcionários e, atualmente, Dona Ana Maria Santana, mãe de Ivanildo é quem cozinha e prepara as delícias servidas no restaurante. Mãe e filhos são naturais de Cachoeira. De acordo com o empresário, a Festa Literária de Cachoeira (Flica) tem um papel fundamental na movimentação da economia do estabelecimento."Eu digo que a Flica é fundamental para gente em três momentos: antes, durante o evento e depois. E o pós tem um papel muito importante porque acaba trazendo pessoas para o restaurante, que vieram indicados por causa da festa. O efeito Flica é mais significativo do que o São João, ou a festa da Boa Morte, por exemplo", compara.

O número de clientes do restaurante duplica: em uma semana comum, o local recebe entre 1000 e 1200 pessoas. No período da Flica, esse número chega a 2 mil pessoas. O restaurante fica aberto de domingo a domingo, sempre das 11h30 às 15h.
Foto: Naiá Braga

"O efeito Flica é mais significativo do que o São João, ou a festa da Boa Morte, por exemplo", compara. O número de clientes do restaurante duplica: em uma semana comum, o local recebe entre 1000 e 1200 pessoas. No período da Flica, esse número chega a 2 mil pessoas.
Foto: Naiá Braga


O restaurante fica aberto de domingo a domingo, sempre das 11h30 às 15h. Para Dona Maria Santana explica que o segredo da maniçoba é o bom cozimento da folha da maniva, que pode ser comprada já pré-cozida, o que diminui em 30% o tempo total usado para fazer todo o prato. Então, vamos aprender uma receita deliciosa e que pode ser servida para até 10 pessoas.

Ingredientes:
500g de carne de porco
250g de bacon
1 pé de porco
1kg de carne de sertão
500g de chouriça de porco
2 linguiças
4 folhas de maniva limpas e cozidas
Cebola
Alho
Pimenta do reino 
Pimenta de cheiro
10 folhas de louro

Modo de preparo
Coloque a maniva pré-cozida em uma panela grande com água. Enquanto isso, corte e prepare as carnes e coloque na panela de pressão por 30 a 40 minutos. Faça um refogado com cebola, alho, pimenta de cheiro, folhas de louro, bacon e deixe dourar.Depois que saírem da panela de pressão, acrescente todas as carnes nesse refogado e mexa bem. Após cozinhar bem jogue as carnes,  dentro da panela com a maniva. Deixe cozinhar bastante e sirva.