Salvador

Em assembleia, rodoviários decidem greve em Salvador a partir de 0h de terça (23)

Negociações continuam nesta sexta-feira (19) para tentar evitar o movimento grevista na capital baiana

Redação Correio 24h

A população de Salvador ficará sem ônibus a partir da 0h da próxima terça-feira (23). A informação foi confirmada na manhã desta quinta-feira (18) pelo diretor de imprensa do sindicato dos rodoviários da Bahia, Daniel Mota. "A decisão foi tomada pelos rodoviários em assembleia. Decidimos que nenhum ônibus vai circular em Salvador a partir de 0h de terça-feira caso não haja uma mudança no posicionamento dos patrões.Se não houver acordo, a greve vai ser estendida para toda Bahia", afirmou Daniel destacando que o movimento em Salvador deixaria de colocar 13 mil rodoviários nas ruas. No estado, o sindicato representa 18 mil trabalhadores. 


Na última terça-feira (16)  rodoviários atrasaram a saída dos ônibus em quatro garagens 
Foto: Mauro Akin Nassor/Arquivo Correio

O número de trabalhadores que participou da assembleia que deliberou a greve não foi divulgado. Apesar da decisão da assembleia existe a possibilidade do movimento grevista não acontecer já que há duas novas reuniões da direção do sindicato nesta sexta (19). “Vamos ter amanhã reunião com o prefeito de Salvador e outra no Ministério do Trabalho e Emprego. Se tiver alguma mudança a greve pode ser suspensa", afirmou Mota. Na segunda-feira (22) os rodoviários fazem outra assembleia. "Se tiver avanço nas reuniões de sexta será para deliberar isso. Se não tiver será para ajustar as ações da greve", completa Mota. 

A categoria, que está em campanha salarial, reivindica 5% de aumento real, tíquete refeição de R$ 20, fim da dupla função de motorista - quando ele dirige e cobra passagem - e manutenção do cargo de cobrador em todas as linhas e horários.  

O CORREIO procurou representantes do Sindicato das Empresas de Transporte de Salvador (Setps) , mas até o momento da publicação desta matéria ninguém foi localizado. 

Atraso nas saídas 

Na última terça-feira (16) os motoristas das garagens de ônibus Plataforma G1, OT Trans G1, CSN Iguatemi e uma da Stec ficaram quatro horas parados. Por conta da parada dos veículos - a maioria que circulava por linhas que saem do Subúrbio - o dia começou com transtornos para os soteropolitanos.

Comentários
Veja Mais