Gastronomia

Estudo afirma que macarrão pode ajudar a emagrecer

Comida não ameaça a dieta como a gente imaginava

Redação Correio 24h
- Atualizada em

Essa sim é uma notícia que nenhum de nós esperava: o macarrão não é um vilão da dieta. E pode até ajudar no emagrecimento. Isso é o que afirma um estudo publicado no British Medical Journal.

A vantagem da comida é o índice glicêmico (IG) dela, considerado baixo. Explicamos: se o alimento tiver um IG alto, significa que ele é digerido rapidamente, aumentando depressa a concentração de glicose (açúcar) no sangue e a produção de insulina. Quando circula em excesso, o hormônio faz o corpo acumular mais gordura.

Se já não bastasse, a tendência é que os níveis de açúcar despenquem na mesma velocidade. Ou seja: a fome volta rapidinho.

Foto: Divulgação
Com os alimentos de IG baixo, acontece o contrário: eles não favorecem nem o ganho de peso e nem o aumento da gordura corporal. E é nesse caso que o macarrão se encontra, segundo John Sievenpiper, principal autor do estudo.

Uma equipe do Hospital St. Michael, no Canadá, avaliou pesquisas em que os participantes recebiam cerca de 3,3 porções de massa (aproximadamente 1 ½ xícara) por semana. Tudo associado a uma dieta saudável, rica em frutas, verduras e legumes. Depois de três meses, a surpresa: nenhum deles ganhou peso. E melhor ainda - alguns até emagreceram cerca de meio quilo.

E por que o IG do macarrão é mais baixo que o de pão ou outras fontes de carboidrato? Uma possibilidade é que a proteína presente no trigo tipo grano duro (da massa italiana) se aglutina ao amido com o superaquecimento na fabricação. Assim, há uma digestão mais prolongada. Já nas versões nacionais do macarrão, o calor aglutina a proteína do ovo ao amido.

Uma versão integral é ainda melhor, já que as fibras reduzem ainda mais o tempo de digestão da massa.