Minha Salvador

Festival da Cidade: Pablo e Harmonia do Samba agitam Cajazeiras

Além disso, teve Pato Fu no Rio Vermelho e, mais cedo, Adão Negro no Parque da Cidade

Juliana Montanha, do Correio 24 h (juliana.montanha@redebahia.com.br)

Uma multidão de 70 mil pessoas lotou o Campo da Pronaica, em Cajazeiras X, para comemorar o aniversário de 468 anos de Salvador, em seu oitavo dia de festa. “O que é isso, Cajazeiras?”, vibrou o cantor Xanddy, ao ver a quantidade de gente que foi ao Festival da Cidade. E ainda teve Pablo. O público pulou, dançou e arrochou.

Harmonia do Samba foi o primeiro a subir no palco (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)


O vocalista do Harmonia do Samba disse ter ficado impressionado com quem foi assistir ao show. “Tem novinha, criança e vovó. Está sendo muito bacana tocar para vocês no aniversário da cidade. A gente não se recorda de ter se apresentado aqui antes. A partir de agora, a gente vai ter que tocar aqui direto”, disse ele, que já morou ali do lado, em Fazenda Grande I.

A estimativa de público - 70 mil - é da Empresa Salvador Turismo (Saltur).

Moradora de Cajazeiras X e fã do Harmonia desde o início da carreira da banda, a copeira Ana Cláudia Melo, 31 anos, até se emocionou: “Eu fico muito feliz em receber eles no nosso bairro para o aniversário de Salvador. Não pude ir no ensaio (A Melhor Segunda-feira do Mundo) ou durante o Carnaval, e poder ter Xanddy aqui é muito gratificante”, afirmou ela.

Presente

De Mata Escura, a estudante Bianca de Oliveira, 13, veio com a mãe, a doméstica Ana Paula, 38, o pai Valnei Teixeira e a amiga Tanara. “Eu amo Xanddy desde os oito anos. Minha mãe também é fã. Ter ele aqui é um presente, com certeza”, afirmou Bianca.

Enquanto a banda disparava sucessos como Desce com a Gente, Molejinho, Paradinha e Daquele Jeito, o cantor comentou sobre a festa: “A noite é de alegria, diversão e comemoração pelos 468 anos da cidade e, com muito orgulho, quero dizer que sou filho de Salvador”.

A balconista Roberta Alves, 34, já tinha levado a filha Clarice, 10, para o Carnaval este ano só para ver o Harmonia. “E aqui é o primeiro show dela. Acho que quem não está aqui hoje é porque está trabalhando”, apostou Roberta.

A emoção durou até o final quando a menina Luna subiu ao palco e requebrou com Xanddy na música Desce com a Gente. De tão descontraída, revelou para todo mundo que vai ganhar uma irmãzinha. 

Pablo também se apresentou no Campo da Pronaica em Cajazeiras (Foto: Evandro Veiga/CORREIO)


O segundo show da noite na Pronaica ficou por conta de Pablo, que começou a apresentação por volta das 21h. “Já estive em Cajazeiras em alguns eventos e, agora, é uma satisfação e uma responsabilidade muito grande tocar no aniversário da cidade”, disse o cantor, conhecido por ser o Rei do Arrocha.

Um mix de músicas antigas, desde os tempos do Asas Livres, e as mais novas - todas românticas - fizeram parte do repertório de Pablo para o público de Cajazeiras.

Nível de Carência é a melhor música para a fã Letícia Aparecida, 32 anos, que mora e trabalha como caixa em um restaurante de Cajazeiras. “As canções dele parece que falam com a gente. Não acreditei que ele iria estar aqui”, disse ela.

O pequeno Júlio César, 10, veio com a mãe e deixou em casa mais duas fãs de Pablo: as irmãs de 7 e 9 anos que sabem de cor a música Fui Fiel. Já a adolescente Amanda Lima, 13, disse que prefere Se Não Tem Amor, Tem Dó. “Eu amo ele”, declarou.

Mais atrações

Além de muita música ontem em Cajazeiras, o Festival da Cidade teve ainda o ator Frank Menezes, no Farol da Barra, levando para todos o seu espetáculo O Corrupto, e mais cedo, no Parque da Cidade, centenas de fãs prestigiaram a apresentação da banda Adão Negro (veja mais ao lado). 

No Rio Vermelho, teve a feira Eu, Você e a Praça, com um mix de atrações de arte e diversão para todas as idades e que continua hoje, das 13h às 22h, no Largo da Mariquita. Quem foi ao local ontem também conferiu o show da banda Pato Fu, que trouxe para a capital baiana a turnê Não Pare Pra Pensar. Entre os sucessos, o público curtiu Made In Japan e Canção para Você Viver Mais.

Interessados na Salvador do fim do século XIX a meados do XX podem conferir a mostra “Salvador 468 anos: Uma Viagem no Tempo”, do Museu Tempostal. Fotos e postais do acervo do museu estarão expostos de hoje a terça-feira, na Estação Pirajá, e de quarta até o próximo dia 7 na Estação Rodoviária. A mostra já passou pelas estações Lapa e Acesso Norte.