Meia Maratona

Publicada em 16/04/2012 às 13h12. Atualizada em 20/04/2012 às 09h43

Formato do pé e modo de pisar influenciam na prática da corrida


"A pisada não é algo corrigível, e sim uma característica da pessoa. Mas, com o tênis certo, é possível absorver o impacto que aquela pisada gera", explica médico


Alan Rodrigues - Correio*
(alan.rodrigues@redebahia.com.br)
publicidade

José Andrade faz avaliação da pisada: predisposição para correr

Parece óbvio, mas nem todo mundo atenta para um fator essencial no treinamento de corrida. O modo como se pisa determina o rendimento do corredor, e a falta de um tênis apropriado pode precipitar uma lesão. Principal "equipamento" dos corredores, o pé é o responsável pela estabilidade e absorção de impacto durante os treinos e provas.

Correr com o calçado errado pode levar a lesões de tornozelo, joelho, quadril e coluna. Joelho e coluna, no entanto, são as partes mais agredidas. "Se a pessoa não estabiliza o pé, pode ter uma ruptura de menisco ou uma hérnia de disco", alerta o ortopedista cirurgião Fábio Costa, especializado em joelho.

Membro do corpo médico do Esporte Clube Bahia, Costa diagnostica os tipos de pé e pisada e orienta atletas e corredores de final de semana na utilização do equipamento correto. Em geral, o formato do pé determina a maneira de pisar e o esforço repetido das passadas irregulares é o que se pretende evitar com a correção proporcionada pelos variados modelos de tênis.

"A pisada não é algo corrigível, e sim uma característica da pessoa. Mas, com o tênis certo, é possível absorver o impacto que aquela pisada gera", explica o médico. Até mesmo quem já possui algum trauma nas articulações pode desenvolver um programa de treinamento de corrida. "Com a alta tecnologia e acompanhamento médico, fisioterápico e fisiológico, é possível correr pelo resto da vida", anima Costa.

Riscos - O ortopedista explica que, ao contrário do que se pensa, quem compete não tem tanta propensão a lesões. "Qualquer corredor tem o corpo preparado para suportar intempéries. O atleta não profissional tem muito mais riscos de se lesionar que um profissional, que já conhece seus limites", esclarece.

Outro fator importante é a escolha do piso para treinar. Seja qual for, é preciso desenvolver um treino específico. "Não existe o melhor piso", explica Fábio, que faz ressalvas quanto ao treino na praia. "Correr na areia dá mais resistência e aumenta a massa muscular, mas é extremamente perigoso. É preciso correr de tênis. E como a faixa de areia na orla de Salvador é curta, há uma inclinação que pode provocar lesões na coluna e bacia. É preciso estar muito preparado". Sempre.

Novidade - A Meia Maratona Caixa da Bahia, promovida pela empresa Latin Sports em parceria com o jornal Correio*, traz uma grande novidade para este ano. Todo o trajeto, independente das opções, será realizado todo pela orla de Salvador, à beira-mar. Em 2011, parte do percurso entrava pela Avenida Manoel Dias da Silva, na Pituba. A largada e chegada no Jardim dos Namorados estão mantidas. "Além de fazer a corrida, a gente tem que explorar uma das coisas que de mais bonito a Bahia e Salvador têm", finalizou Galvão.

As inscrições para a Meia Maratona Caixa da Bahia já estão abertas e estão sendo realizadas pelo site da prova. Para as categorias 21k (geral e elite), 10km e 5km, o valor é de R$ 70. 






Tags: Corrida, Meia Maratona 2012, Formato do Pé, Pisada
{{ commentsTitle }}
Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem. Ao comentar o autor da mensagem esta aceitando os Termos e Condições de Uso.
{{comment.username}} {{comment.creation_tstamp*1000 | date:'dd/MM/yyyy - HH:mm'}}
{{comment.comment}}
  • {{comment.dislike_count | number}}
Comentário aguardando moderação
Agenda Cultural