Mundo

Freira processada por Katy Perry morre aos 89 anos, no tribunal

Catherine Rose Holzman estava envolvida no imbróglio do convento disputado pela cantora

Agência O Globo

A freira Catherine Rose Holzman, 89 anos, que era processada pela cantora Katy Perry, morreu nesta sexta-feira justamente quando compareceu a um tribunal de Los Angeles para pedir a anulação da briga judicial. Segundo o canal "Fox 11", ela caiu e morreu inesperadamente, mas antes disse: "Katy Perry: por favor, pare. Isso não está fazendo bem a ninguém."

A batalha nos tribunais envolvia os direitos de venda de um convento no bairro de Los Feliz, em Los Angeles. A cantora queria comprar a propriedade, mas esbarrou nos interesses de uma empresária e de freiras.

Foto: Reprodução


ENTENDA O CASO

Catherine Rose Holzman e outras freiras compraram o convento em 1971, mas foram despejadas pela Arquidiocese de Los Angeles em 2011.

Em 2015, a instituição concordou em vender o convento para Katy por US$ 14,5 milhões. Mas as freiras decidiram vendê-lo para a empresária Dana Hollister, por um valor maior: US$ 15,5 milhões. Ela pretendia transformar o local em um hotel boutique.

Foi aí que Kary Perry, junto com a Arquidiocese, decidiu entrar com um processo contra as freiras. O argumento era de que as freiras não detinham o direito de vender a propriedade. E mais: afirmaram que Dana Hollister havia "manipulado" as freiras para fechar a compra do convento.

Eventualmente, a Justiça deu ganho de causa a Katy Perry e à Arquidiocese. Em dezembro de 2017, determinou que a artista recebesse US$ 5 milhões por danos morais.