Nova Concha

Gal Costa lota Nova Concha em show de comemoração de reabertura

O público estava ansioso pelo show de Gal Costa, ponto alto da noite. Pessoas que são do meio artístico reencontraram amigos e viveram momentos de plateia

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Milhares de pessoas compareceram ao show da cantora Gal Costa, neste sábado (13), em noite que celebra um ano de reabertura da Concha Acústica do Teatro Castro Alves (TCA), após reforma realizada pelo Governo do Estado.

O som dançante de uma das artistas da nova safra que mais tem sido reconhecida pela crítica e pelo público, Márcia Castro, agitou a plateia e abriu a festa, seguida de Nara Gil, que participou do projeto Janela Baiana e lançou a plataforma colaborativa sobre os 50 anos do TCA. 


Gal Costa em seu show na Nova Concha. Foto: Carol Garcia/GOVBA

Márcia revelou a alegria de fazer parte da festa de celebração desse espaço que é tão importante para a música baiana e brasileira. “Esta é uma noite de muita alegria. A Concha faz parte da minha história como artista, e também como plateia. Aqui, já assisti a shows antológicos, como o Caia na Gandaia, de Gilberto Gil, o acústico de Cássia Eller, que ela fez três meses antes de morrer, entre tantos outros que influenciaram meu campo de percepção em relação à música, destacou a cantora.

A bibliotecária Roquelina Conceição dos Santos, 50 anos, diz que já foi com a filha, Queli Nascimento, 30, a uns 15 shows desde a reinauguração da Concha Acústica. “Eu estou achando a festa ótima, comemorar o Dia das Mães com minha filha é maravilhoso. Eu sou assídua tanto da Concha como do TCA, mas aqui a gente descontrai mais”. Queli também aprovou. “Viemos na reinauguração da concha há um ano e hoje eu trouxe minha mãe para comemorar também o dia das mães” .

Animação da plateia
O público estava ansioso pelo show de Gal Costa, ponto alto da noite. Pessoas que são do meio artístico reencontraram amigos e viveram momentos de plateia, como a produtora Ju Veloso, 54 anos. “Para mim, nada é mais belo do que comemorar um ano assistindo ao show da Gal. E a Concha é um espetáculo, é um lugar que traz a alegria de tudo o que a gente viveu aqui, está lindíssima”. 

Segundo o diretor-geral do TCA, Moacyr Gramacho, a Concha movimenta uma cadeia de espetáculos, atrai turistas, movimenta o mercado das artes e gera empregos. “É um equipamento que incrementa a cadeia produtiva da cultura”, destacou.

A reabertura da concha, há um ano, finalizou a primeira fase do projeto novo TCA. As obras custaram ao Governo do Estado R$ 80 milhões e mais um aporte de R$ 10 milhões do Ministério da Cultura. O resultado se traduz em aumento de público. A diretora artística do TCA, Rose Lima, faz o balanço. “A gente conseguiu aumentar em muito o público médio anual, que era de 120 mil e está em 240 mil pessoas. Foram 66 shows maravilhosos em um ano para públicos diferenciados, para crianças, adolescentes, adultos, hip hop, mpb, axé. A Concha é um espaço democrático”.

Também presente no show, Ivan Farias, 43 anos, elogiou a infraestrutura e acessibilidade da nova Concha. “Já vim cinco vezes depois da reabertura e gostei bastante das mudanças. Frequento a Concha desde a adolescência. Parte da minha vida foi marcada por experiências em shows realizados aqui. É o lugar que eu mais gosto em Salvador”.

Acessibilidade
Durante as comemorações, foram inauguradas na Concha dez plataformas de acessibilidade para portadores de deficiência. O espaço também é ideal para acomodar os gêmeos Renato e Rafael, enquanto oito pessoas da família curtiram a festa, o pai, Herval Júnior, a mãe, o bisavô, a mãe, a avó, a tia avó. “A estrutura da Concha melhorou bastante. A acessibilidade era um pouco complicada, mas com essa reforma eu pude trazer a família, inclusive os meus filhos, que ainda nem completaram dois anos. A gente pode assistir e ouvir o show sossegado. Tudo de bom”, disse Herval.

Veja Mais