Salvador

Guarda municipal e amigo são mortos a tiros em Águas Claras

Polícia ainda não tem motivação nem autoria do crime

Correio 24h

O guarda municipal Antônio Luiz Moreira Soares, 37 anos, e o amigo dele, Leonardo Silva de Oliveira, 37 anos, foram mortos a tiros, na noite de sexta-feira (12), na Rua Presidente Médici, em Águas Claras. De acordo com a polícia, o crime ocorreu por volta das 23h30.

O coordenador da Guarda Municipal de Salvador, Maurício Lima, confirmou que Antônio era integrante da corporação. "Estamos acompanhando o caso desde a madrugada, mas as informações a respeito do que ocorreu ainda estão muito desencontradas. O que podemos falar nesse momento é que estamos muito sentidos com a morte do colega", disse.

Antônio foi nomeado na Guarda Municipal em 2008 e já havia feito treinamento no Grupo de Operações Especiais. Segundo a Guarda Municipal, atualmente, ele estava lotado no  Posto Conselho Tutelar VII, situado no bairro de Castelo Branco.

Em nota, a Polícia Militar informou que policiais da 3ª Companhia Independente de Polícia Militar (CIPM/Cajazeiras) foram acionados pelo 190, logo após terem recebido informações de disparos de arma de fogo com vítimas.

"Ao chegar ao local, a guarnição constatou o fato encontrando dois indivíduos feridos e já sem vida. Em seguida a área do crime foi isolada e o Serviço de Investigação em Local de Crime (SILC) acionado para proceder com a remoção dos corpos e a perícia", diz a nota.

Moradores do local contam que o guarda municipal estava em uma moto parada com o amigo, quando cinco homens que seriam da facção Bonde do Maluco (BDM), chegaram no local a pé e se aproximaram das vítimas. "Eles foram abordados e revistados. Quando perceberam que o guarda estava armado, eles se afastaram e começaram a atirar", contou um morador, que pediu para não ser identificado.

Outra moradora do local conta que estava dormindo e acordou com o barulho dos tiros. "Foram muitos tiros, quase cem", disse.  Tanto o guarda municipal quanto o amigo dele não são conhecidos dos moradores da localidade. Eles também não souberam informar o que os dois estavam fazendo no local antes de serem abordados.

O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) investiga a motivação e autoria do caso. A Polícia Civil informou que há equipes na rua investigando o caso no momento e que familiares das vítimas e possíveis testemunhas do crime também estão sendo ouvidas. 

Equipes da 3ª CIPM chegaram a realizar rondas e buscas na região a procura de suspeitos, mas ninguém foi preso. Os corpos foram levados para o Instituto Médico Legal Nina Rodrigues (IML) e ainda não há informações sobre horário e local do enterro.