Saúde

Instagram é a rede com pior impacto para saúde mental dos jovens, diz pesquisa

Estudo verificou que plataformas ligadas diretamente à imagem abalam mais os jovens

Agência O Globo
- Atualizada em

O impacto das redes sociais na vida dos jovens é alvo de diversos estudos ao redor do mundo. Em uma dessas pesquisas, a Sociedade Real para Saúde Pública (RSPH, na sigla em inglês) verificou que o Instagram é a rede que traz mais danos à saúde mental dos jovens.

O estudo pediu a 1.479 usuários, com idade entre 14 e 24 anos, que classificassem Instagram, YouTube, Snapchat, Facebook e Twitter em relação 14 quesitos, entre eles, ansiedade, depressão, solidão, bullying, e imagem sobre o próprio corpo. Ao final da avaliação, o Instagram era a rede social com piores resultados, seguido do Snapchat. O YouTube foi a rede social classificada mais positivamente pelos jovens. Os pesquisadores destacaram o fato de que as redes que ficaram na pior colocação estão muito relacionadas à imagem pessoal.

— É interessante ver que Instagram e Snapchat aparecem no ranking como os piores para a saúde mental e bem-estar. Ambas as plataformas são muito focadas na imagem e parece que eles estão gerando sentimentos de inadequação e ansiedade nos jovens — afirmou Shirley Cramer, chefe executiva da RSPH.


De acordo com a RSPH, as redes sociais podem estar alimentando uma crise de saúde mental entre os jovens. Especialistas em saúde pedem que as empresas responsáveis por essas redes tomem algumas medidas. Uma das sugestões é que as redes exibam alertas de uso excessivo da plataforma. Outra medida é que essas empresas sinalizem quando a foto for alterada digitalmente no caso de redes de celebridades, modelos e propaganda de marcas.

— À medida que cresce a evidência de que pode haver danos potenciais devido ao uso intenso de mídias sociais, e à medida que melhoramos o status de saúde mental dentro da sociedade, é importante que tenhamos controle e equilíbrio para fazer com que as mídias sociais não sejam como um "velho oeste" no que diz respeito à saúde mental e ao bem-estar dos jovens — disse Cramer.

Em resposta à pesquisa, a diretora de política do Instagram, Michelle Napchan, divulgou uma nota. Leia na íntegra: "Manter o Instagram um lugar seguro e de apoio, onde as pessoas se sentem confortáveis se expressando, é nossa prioridade máxima — especialmente quando se trata de jovens. Diariamente, pessoas do mundo todo utilizam o Instagram para compartilhar suas trajetórias pessoais em busca de saúde mental e obter apoio da comunidade. Queremos que as pessoas que precisam lidar com problemas de saúde mental possam encontrar no Instagram o apoio necessário a qualquer momento. Por isso, trabalhamos em parceria com especialistas para disponibilizar as ferramentas e informações necessárias para que as pessoas saibam como denunciar conteúdo, obter apoio para um amigo que está precisando ou entrar em contato diretamente com um especialista para pedir conselhos sobre uma questão com a qual eles estejam lidando".

Veja Mais