Salvador

Ivete pede prisão perpétua para pedófilos: 'Isso me revolta demais'

Cantora demonstrou revolta contra criminosos na internet

Redação do Correio 24 Horas

A cantora Ivete Sangalo, 45 anos, defendeu a pena de prisão perpétua para o crime de pedofilia, durante uma postagem em sua conta pessoal, no Instagram, nesta sexta-feira (20). 

"Prisão perpétua para esses indivíduos. Isso me revolta demais. Denuncie", escreveu a artista, ao reproduzir uma notícia sobre a Operação Luz na Infância, que prendeu mais de 90 pessoas em 24 estados, incluindo a Bahia, e no Distrito Federal, na manhã desta sexta.

Na rede social, a artista – que é mãe de Marcelo, de 8 anos, e está grávida de gêmeas – tem 17,7 milhões de seguidores, mas nenhum deles pode comentar a postagem, pois é uma sessão com essa opção desabilitada.


Legislação 

No Brasil, não existe prisão perpétua para nenhum crime – a pena máxima que uma pessoa deve cumprir é de 30 anos. Quanto à pedofilia, ela é classificada como transtorno mental pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Os pedófilos, normalmente, são pessoas adultas que têm preferência sexual por crianças pré-púberes ou no início da puberdade. Segundo a polícia, o complexo ambiente da internet e a ausência de fronteiras no mundo virtual são elementos que propiciam terreno fértil à atuação desses criminosos.

Um dos objetivos da operação foi prender pessoas que compartilham material com conteúdos sexuais envolvendo crianças. Além do compartilhamento ilegal, há crime quando há relação sexual ou ato libidinoso (todo ato de satisfação do desejo ou apetite sexual) praticado por adulto com criança ou adolescente menor de 14 anos, como observa o Código Penal.

Oito presos na Bahia

De acordo com a Polícia Civil, o nome Luz na Infância foi escolhido porque a internet facilita a pedofilia e, via de regra, "os criminosos atuam nas sombras, nos 'guetos' da rede mundial de computadores. Luz significa propiciar a essas crianças e adolescentes -vítimas- o resgate da sua dignidade, bem como retirar da obscuridade esses criminosos".

Até o início da tarde desta sexta, oito pessoas já haviam sido presas em flagrante durante a maior ação da história de combate à pedofilia, deflagrada pela Polícia Civil em parceria com a Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP). A operação só não acontece nos estados do Amapá e Piauí. Os nomes dos presos ainda não foram divulgados, mas segundo policiais que participaram da operação, entre os acusados de pedofilia presos na Bahia estão um pediatra e o filho de um juiz. 

Os nove mandados de busca e apreensão em Salvador foram cumpridos nos bairros do Stiep, Chame-Chame, Pituba, Barbalho, Barroquinha, Itapuã, Coutos e Caminho de Areia. Setenta e seis policiais civis, em 21 viaturas, estão envolvidos na operação. As investigações acontecem há seis meses.