Moda e Beleza

Mãe de modelo de anúncio considerado racista defende H&M

Internautas acusaram varejista de discriminação por agasalho com a frase 'O macaco mais legal'

Agência O Globo

A mãe do modelo mirim que posou usando um moletom da rede H&M criticado por conter uma frase considerada racista defendeu a marca e pediu que o caso "seja superado". A americana Terry Mango comentou em postagens do Facebook sobre o polêmico agasalho, que exibe a frase "Coolest monkey in the jungle" (O macaco mais legal da selva).

Internautas acusaram a gigante varejista sueca de racismo após a marca publicar em seu site uma foto do menino, que é negro, usando o moletom. Na propaganda, ele veste o agasalho com a menção ao macaco, enquanto um jovem branco posa com a blusa de estampa "Especialista em sobreviver (na selva)". Diante da repercussão negativa, a companhia pediu "sinceras desculpas".

"Sou a mãe e esta é uma das centenas de roupas com que meu filho modelou. Parem de choramingar o tempo todo, é um caso desnecessário esse. Superem", pediu a americana, que rebateu as críticas de outros usuários da rede social à marca.


Em outras mensagens, Terry reforçou que esteve em todas as sessões de foto e que não via problema no anúncio. "Eu realmente não entendo, mas não porque eu escolhi não entender, e sim porque este não é o meu modo de entender", explicou a americana, em debate com os usuários da rede social que condenaram a propaganda.

Com o posicionamento de Terry, internautas como o escritor Ronnie Sidney II, que compartilhou a reprodução das conversas no Instagram, destacou aos 15 mil seguidores que se sentia mal por Terry. Segundo ele, a mãe do modelo mirim não entendeu o motivo de tamanho ultraje e a dor de quem se sentiu ofendido.

"Eu meio que sinto pena dela. Eu acho que ela tem responsabilidade nisso, mas a H&M deveria ser mais consciente ao lançar o anúncio", opinou Sidney. A rede sueca pediu desculpas e ordenou a retirada do anúncio dos sites da marca. "Ela (a peça) já foi removida de todos os sites, e o produto não será comercializado nos Estados Unidos. Nós acreditamos na diversidade e inclusão em tudo o que fazemos e vamos rever nossas atividades cotidianas", completou a H&M em nota enviada à rede "CBS".

Em meio à polêmica, o astro pop The Weeknd rompeu o contrato com a companhia. Ele afirmou aos seguidores que se sentiu ofendido pelo anúncio.