Mundo

Menino pergunta ao Papa se pai ateu que morreu está no céu

‘Deus não abandona os seus filhos’, respondeu Francisco ao pequeno Emanuele

Agência O Globo
- Atualizada em

A pergunta de um menino ao Papa Francisco comoveu os fieis durante uma visita dominical do Pontífice à Paróquia de São Paulo da Cruz, no bairro Corviale, no sul de Roma. Antes de rezar a missa, o Santo Padre abriu espaço para questionamentos de crianças. Entre elas estava Emanuele, de 8 anos. Chorando, ele se aproximou do líder da Igreja Católica e questionou se seu pai, um ateu morto há pouco tempo, estava no céu.

Visivelmente emocionado, Francisco abraçou e consolou o menino durante alguns minutos, antes de revelar ao público a pergunta de Emanuele: “Pedi permissão a Emanuele para dizer a pergunta em público e ele disse que sim. É por isso que eu a direi a vocês: ‘Pouco tempo atrás, meu pai morreu. Ele era ateu, mas teve todos os quatro filhos batizados. Ele era um bom homem. Está no céu, papai?’”.

— Para que seus filhos pudessem dizer: “Ele era um bom homem”, ele deve ter dado um belo testemunho a seus filhos — respondeu Francisco. — Aquele homem não tinha o dom da fé, ele não era crente, mas ele tinha seus filhos batizados. (...) Quem diz quem vai para o céu é Deus, mas como está o coração de Deus diante de um pai assim? Um coração de papai. Deus tem o coração de um pai. E diante de um pai, não crente, que foi capaz de batizar seus filhos e dar essa bravura aos seus filhos, vocês acham que Deus seria capaz de deixá-lo longe?

O Papa ressaltou a coragem do menino que, diante do público, teve a coragem de se levantar e revelar a dúvida que o afligia.

Foto: Reprodução
— Quem dera todos nós pudéssemos chorar como Emanuele quando temos uma dor como ele tem em seu coração. Ele chorou por seu pai e teve a coragem de fazer isso na nossa frente, porque em seu coração há amor por seu pai — destacou Francisco. — É um belo testemunho do filho que herdou a força de seu pai e, também, teve a coragem de chorar diante de todos nós. Se aquele homem era capaz de criar filhos assim, é verdade, ele era um bom homem.

Então, Francisco respondeu aos fieis presentes se “Deus abandona seus filhos quando eles são bons?”, e o público respondeu que “não”.

— Aqui, Emanuele, esta é a resposta — disse Francisco. — Deus certamente estava orgulhoso de seu pai, porque é mais fácil ser um crente, batizar crianças, que batizá-las sendo incrédulo. Certamente isso agradou muito a Deus. Fale com seu pai, reze seu pai. Obrigado Emanuele por sua coragem.