Moda e Beleza

Moda praia para gordas é desafio no mercado de Salvador

Longe dos padrões estabelecidos, marcas criam peças sem distinções para atender demanda de 'mulheres reais'

Naiá Braga (naia.braga@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Foto:Divulgação/Quero Bloom
Desafiar os padrões de beleza em uma cidade litorânea como Salvador é um exercício diário. Vencer os constantes olhares de julgamento e vestir o que deseja sem medo do que vai ouvir faz parte da rotina da produtora cultural Carla Galrão (@gordaroupa). Com mais de 10 mil seguidores no Instagram, a blogueira se descreve como feminista e militante contra a gordofobia.

Questionada como discute a relação do corpo gordo e autoestima, a jovem explica que usa o próprio corpo como ferramenta de empoderamento feminino. "O processo da autoestima começa quando você percebe que pode, quando se nota que ser gorda não  tem nada de errado. Quando se entende que falar a palavra gorda não é ofensa, é só o contrário de magra. É um processo longo", reflete. 

Quando o assunto é moda praia para mulheres gordas, a produtora critica o mercado da capital baiana. "Apesar de ser uma cidade litorânea, calorenta e populosa, a indústria da moda nega as pessoas gordas. Em Salvador é muito pior. Em pouquíssimas lojas o atendimento é especializado. Colocam mulheres que usam 38 e não atém ideia de como vestir e vender para uma mulher gorda", opina. 

 Laís e Camila, donas da Quero Bloom. Foto: Divulgação
Foi a ideia de oferecer peças de moda praia para todas a mulheres que surgiu a "Quero Bloom", em 2014. Criada pelas empresárias Laís Praxedes e Camila Gonzalez, a marca tem como objetivo de valorizar a diversidade da beleza mulher brasileira. "Gostamos sempre de afirmar que não somos uma marca de moda plus size, somos uma marca de moda praia, e fazemos o possível para que todas as mulheres encontrem peças ideais pra ela nas nossas coleções", explicam. As empresárias afirmam que a modelagem não foi um desafio durante a criação da marca, mas parte fundamental para a a identidade da marca. 

O perfil do público da marca é formado por mulheres, principalmente, jovens que gostam de praia e piscina e também por clientes que depois de muito tempo voltaram  a ter coragem de usar biquínis e maiôs. Em todas as coleções da marca, as peças de tamanhos maiores são as que esgotam primeiro.

Foto: Divulgação/Quero Bloom
Nas fotos dos editorais, aparecem modelos gordas e sem recursos de edição em marcas e cicatrizes pelo corpo. Laís e Camila garantem que assumiram o risco da escolha. "Sabíamos que as fotos dos nossos editoriais poderiam afastar muitas clientes, afinal o mundo está acostumado a mostrar mulheres "perfeitas" nas fotos de biquíni. Mas nunca abrimos mão disso, a Bloom gosta de “mulheres reais”...que você vai encontrar no seu dia a dia. Ficamos muito felizes quando recebemos comentários e elogios em relação a essa mulher que aparece na nossas redes, é o maior reconhecimento que temos", afirmam. 


Com 26 anos de existência e quatro lojas, a Smob vende peças para moda praia até o número 54. Para Giovana Brito, filha da empresária Sônia Brito, o segredo do sucesso da marca é a divulgação boca a boca e a possibilidade de venda de peças avulsas. "A mesma estampa que fazemos para numerações pequenas, fazemos para o tamanho plus size. Não temos distinções. As mulheres gordinhas pedem estampas coloridas, florais, chamativas. Nada de nude, cor discreta", explica. A marca, que tem confecção própria também vende a varejo.

Serviço: 
Quero Bloom
@querobloom
71 99106-9669 | 71 99118-5999
Smob
@smoboficial
Barra Center: 3264-1067
Center Lapa: 3488-0512
Salvador Norte: 3043-9009
Itaigara: 3358-0762