Salvador

Moradores de São Caetano culpam polícia por morte de criança de seis anos

Segundo vizinhos Mirela Barbosa foi atingida por dois tiros na varanda de casa durante uma operação policial

Redação Correio 24h, com informações de Saulo Miguez

Moradores do bairro do São Caetano culpam a polícia pela  morte de uma menina de seis anos na noite desta sexta-feira (17). O crime aconteceu na Rua Goméia, por volta das 20h30. De acordo com os moradores, Mirela Barbosa estava com a mãe na varanda de casa quando uma equipe da Polícia Militar chegou ao local em busca de um celular que havia sido roubado.

Na ação, os policiais fizeram disparos para o alto. Os tiros atingiram a criança no peito e cabeça. Ela chegou a ser socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento do bairro do San Martin, mas não resistiu aos ferimentos e já chegou morta a unidade médica.

Foto: Leitor do Correio 24h/Via Whatsapp

"Por volta das 20h30 ela estava na varanda com a mãe quando viu quatro PMs agachados junto com um rapaz que era dono de um celular que tinha sido roubado. Os policiais estavam procurando esse celular pelo GPS. Nisso os policiais deram tiros para cima que atingiram a menina", conta Nivia de Assis, vizinha de Mirela que, depois que a menina foi baleada, pediu ajuda aos PMs para socorrer a criança.

Uma outra moradora do local afirmou que é comum que policiais cheguem atirando no bairro. Ela pediu justiça. "Era uma menina muito amada, muito querida aqui no bairro. Isso acontece sempre aqui. (policiais chegarem atirando). Direto policiais da base de São Caetano chegam atirando. É um absurdo, queremos justiça", afirmou. 

Após a morte, a mãe de Mirela, Neide Barbosa, passou mal e foi socorrida para um hospital. O estado de saúde dela não foi divulgado. O CORREIO entrou em contato com a Polícia Militar, mas até o momento não obteve resposta sobre o acontecido. 

Protesto


Na manhã deste sábado (18)  manifestação deixou o trânsito lento na BR-324. Moradores de São Caetano fecharam as duas vias da pista por volta das 8h30, no quilômetro 623, na localidade conhecida como Jaqueira do Carneiro em protesto pela morte de Mirela. De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os manifestantes colocaram fogo em objetos e usaram pedras para impedir a passagem dos carros. A via só foi liberada por volta das 9h40. 

Comentários
Veja Mais