Santa Casa

Museu da Misericórdia contém acervo que passeia pela história da Bahia e do Brasil

Museu foi instalado em um palacete do século XVII que já abrigou o primeiro hospital da cidade

Especial de Conteúdo

Oferecimento
Visitar o Pelourinho é aquele tipo de passeio imprescindível para os turistas que visitam Salvador. Os soteropolitanos também valorizam as idas ao local. As opções de lugares para ir são muitas, entre instituições, museus, igrejas, lojas, restaurantes e bares. Ao chegar no bairro pela Praça Municipal, você avistará um palacete localizado entre a Prefeitura e a Praça da Cruz Caída.

Esse é o Museu da Misericórdia, que está entre as maiores fontes de cultura da cidade de Salvador. Inaugurado em 2006 pela Santa Casa da Bahia, o museu foi instalado em um palacete do século XVII que já abrigou o primeiro hospital da cidade – também fundado pela Santa Casa. O espaço possui acervo que contextualiza diretamente com a história da Bahia e do Brasil.

Foto: Divulgação
“É uma excelente opção de lazer para quem deseja mergulhar por um passeio pelas raízes históricas da nossa cidade e do Brasil como um todo, entendendo como se dão as relações entre o passado e o presente”, recomenda a museóloga da Santa Casa da Bahia, Osvaldina Cezar.

O acervo do museu abriga 468 anos de história, com obras que passam pelo século XVII até os dias atuais, sendo mais de 3 mil peças catalogadas, entre pinturas, mobiliário, esculturas, alfaias e imagens sacras.

Destaques

Com acervo tão grande e culturalmente importante, escolher o que merece mais destaque é tarefa difícil. Entre as peças que devem ser evidenciadas, estão os azulejos de 1712. Eles reproduzem a Procissão do Fogaréu, que era realizada pela Irmandade da Santa Casa da Bahia na noite de Quinta-Feira Santa.

Do ponto de vista da arquitetura, Osvaldina destaca a Igreja da Misericórdia, que fica no interior do museu, o átrio – um pátio interno com uma cisterna –, e a loggia, que é um espaço de inspiração italiana, formado por uma varada coberta e recortada por arcos.

Além das peças e da arquitetura, para a museóloga, a visita ao local traz a possibilidade “de conhecer um pouco mais das suas origens, da história de fundação da cidade e de como foi implantada a assistência social e a saúde na Bahia, aos moldes da herança portuguesa”.

Vai lá

O Museu funciona de terça a sexta-feira, das 8h30 às 17h30, aos sábados, das 9h às 17h, e domingos e feriados, das 12h às 17h. Visitas de grupos escolares precisam ser agendadas por meio do telefone 2203-9832. Endereço: Rua da Misericórdia, nº 6. Praça da Sé.