Viver Cabula

Museu das Coisas Antigas é memória histórica e cultural afro-brasileira no Cabula

Inauguração aconteceu em 1982 e o museu foi instalado no andar inferior da Casa de Xangô

Especial de Conteúdo

Oferecimento
A história do Cabula se confunde com a história dos africanos aqui em Salvador. Isso porque o bairro foi povoado por negros, principalmente de origem do Congo e de Angola, que tocavam e dançavam o ritmo kabula, o que acabou dando origem ao nome do bairro. Nos anos seguintes, terreiros e sacerdotes quicongos famosos do candomblé se estabeleceram por ali e, depois, os nagôs passaram a se alojar, aos poucos, na região.

Em 1910 foi fundado o terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, na Rua Direta do São Gonçalo do Retiro, no bairro do Cabula. Assim, os costumes dos primeiros povos a habitarem o bairro se mantiveram vivos através dos membros da Casa de Xangô, como também é conhecido o terreiro.  

Foto: Divulgação

Hoje, esses costumes podem ser vistos no Museu Ilé Ohun Lailai, que significa Casa das Coisas Antigas, em iorubá. A sua inauguração aconteceu em 1982 e o museu foi instalado no andar inferior da Casa de Xangô. No local é possível encontrar a história do terreiro e das ialorixás, com objetos de culto e roupas em exposição.

Museu conta história da comunidade 

O núcleo inicial do museu é composto por bens culturais doados pela comunidade. Esses itens representam os hábitos e costumes da população religiosa afrodescendente e dos primeiros moradores do Cabula.

A importância do museu, contudo, vai além de sua materialidade. O lugar representa e conta histórias, sendo símbolo de identidade e orgulho para as pessoas da comunidade. O acervo do Museu das Coisas Antigas é composto por insígnias, indumentária, mobiliário, medalhas e utensílios domésticos, vivenciando assim as influências etino-culturais dos yorubá na Bahia.

O objetivo da fundação do museu foi proteger, difundir e dinamizar o patrimônio e o acervo do Ilê Axé Opô Afonjá, constituindo um espaço vivo, onde são preservadas a memória e as tradições seculares da casa de culto. Ele também serve de espaço para quem pesquisa sobre a religião afro-brasileira.

Funcionamento

O museu funciona de segunda à sexta, das 8h às 12h e das 14h às 18h. Aos sábados, o local também abre, funcionando das 8h às 12h. O museu está localizado na Rua Direta de São Gonçalo do Retiro, 557, Cabula. A entrada é gratuita.   

Requalificação

A Casa das Coisas Antigas passou por uma requalificação no ano de 2011, realizada pela Secretaria de Cultura do Estado da Bahia, através da Diretoria de Museus do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural da Bahia (DIMUS/IPAC). A reforma requalificou estruturalmente o espaço interior do museu, readequado suas instalações físicas a uma nova concepção expográfica.