Nem Te Conto

"Não quero ninguém perto de mim por pena", diz Gleici

A acreana participou do Mais Você e contou sobre a experiência e emoção de participar do programa

Redação Correio 24h

A emoção de ter vencido o BBB18 ainda está forte para Gleici Damasceno. A acreana que ganhou o público do país e conseguiu levar o prêmio do programa na noite desta quinta-feira (19). Durante participação no Mais Você nesta sexta (20), ela contou como foram as primeiras horas depois da grande noite e como foi essa experiência.

Foto: Reprodução

A acreana contou que nem conseguiu dormir depois da festa que foi organizada para os ex-BBBs. "Eu não imaginava que seria tão demais", contou a campeã sobre a participação no programa.

Gleici disse ainda que não queria que as pessoas tivessem pena dela por causa da sua história de superação. "Eu gosto que as pessoas gostem de mim, de quem eu sou. Não quero ninguém perto de mim porque sente pena de mim. Eu quero que elas fiquem perto de mim porque gostam, porque sou agradável", contou.

Ela disse ainda que ficou feliz com a receptividade das pessoas após sair do programa. "As pessoas estavam me abraçando e brincando e isso que é legal porque as pessoas se divertiram comigo lá dentro", afirmou.

Demonstrando humildade, a estudante de psicologia disse à Ana Maria que conseguiu vencer o programa por querer demais. "Acho que no fundo todos nós, os participantes, acreditamos que podemos ganhar, mas eu quis muito isso. Quis muito ganhar! Acho que foi o meu querer mesmo!", concluiu.

Gleici também falou sobre as dificuldades que enfrentou. "As pessoas não sabem muito da minha vida, elas não tem noção. É um filme! De onde eu nasci, onde eu cresci, tudo que eu tentei fazer para mudar onde eu morava. Eu sempre tentei mudar o mundo. As pessoas falavam para eu deixar de fazer isso: 'Você não vai conseguir". Eu sempre pensei no todo".

Mais emoção

O Mais Você ainda teve a participação de Ayrton e Ana Clara, da família Lima, e Kaysar, que ficou em segundo lugar. E não foi fácil segurar a emoção!

Foto: Reprodução/TV Globo

Ayrton foi às lágrimas novamente depois de que viu novamente o vídeo que mostrou a trajetória da família no programa. "Eu tinha quase que a certeza de que a final seria essa. Era o meu desejo ir para a final com eles", contou Ayrton.

Kaysar também chorou ao rever os momentos na casa. "É louco. Muito emocionante!", disse.

Ele garantiu que vai ficar no Brasil e revelou que quer casar e ter seis filhos.


Trajetória de Gleici

A discreta Gleici vem do Acre, onde a violência contra a mulher e jovens negros é grande. Ela teve o pai assassinado e luta contra formas de opressão como o racismo e o machismo e defende o poder da educação. Mandou suas mensagens sem ficar se lamentando. O sucesso dela foi tanto que a TV Globo até transmitiu, pela primeira vez, a final ao vivo no estado (o fuso horário do estado é atrasado em duas horas em relação ao de Brasília). A torcida dela acompanhou tudo do bairro de Baixada da Sobral e chegou a lotar um ginásio em Rio Branco. O shopping Via Verde, da cidade, também exibiu à final em telões. 

Na dela, Gleici se revelou aos poucos no jogo. À medida que seus adversários a colocavam continuamente no paredão, alegando que ela era quietinha e afastada dos outros, ela foi crescendo dentro da casa e com o público. Mesmo sendo alvo de várias ofensas e injúrias dentro da casa, manteve-se sempre educada com todos na casa. A sister foi sempre companheira com seus aliados e ainda conquistou Wagner. 

O jogo virou quando ela voltou do paredão com direito a ficar num quarto especial por alguns dias. E ainda pode ouvir o que todos falavam dela pelas costas. Gleici também descobriu sobre o grupo que se uniu para combinar votos, e decidiu usar essas informações para cortar o mal pela raiz. Na hora que voltou para a casa, ela expôs as pessoas falsas da casa e conseguiu eliminá-los um a um, sempre deixando bem claro o que sentia.

De origem humilde, Gleici cresceu na zona rural e vive na periferia da Baixada da Sobral - uma das áreas mais violentas da capital do Acre - com a mãe, o irmão mais velho e a sobrinha de 3 anos em uma casa simples, de madeira e alvenaria, com três cômodos. Ela teve o pai assassinado pelo tráfico de drogas que domina a região há três anos dentro de casa e na frente da irmã mais nova. O pai dela era dependente químico e se separou da mãe quando Gleici tinha 6 anos.

Também há três anos, a mãe, Vanuzia, 39, foi diagnosticada com um câncer no útero e teve que abandonar o emprego no gabinete de uma vereadora (sua ex-patroa). Para a função, ela ganhava R$ 2 mil, renda essa que era complementada como zeladora da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) à noite. Coube a Gleici assumir as despesas da família.

Sem internet e TV a cabo em casa, Vanuzia, e o irmão da sister, Agleuson, de 24 e desempregado, acompanham o programa graças aos vizinhos, que cederam um ponto de pay-per-view. A acreana tem ainda uma irmã mais nova, Gleiciely, 19, que é mãe da sobrinha da sister.