Economia

Os cuidados a serem tomados ao usar o cheque especial

Economista do Idec lista orientações para que o consumidor não se endivide ainda mais

Agência O Globo

Fez uso do cheque especial? Com as novas regras anunciadas pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que passam a valer em 1º de julho, é preciso ter cuidado redobrado ao utilizar o crédito. Economista do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), Ione Amorim, diz que o consumidor deve avaliar a origem do seu endividamento, avaliar a capacidade de pagamento e planejar as alternativas, se possível evitando o refinanciamento por períodos mais longos. É muito importante, acrescenta, que o consumidor organize o planejamento financeiro, pois não existem soluções padronizadas como o sistema se apresenta.

— Um consumidor inadimplente por falta de emprego é diferente de um consumidor endividado por descontrole financeiro, e os acordos devem considerar a situação que resultou no processo de endividamento — afirma Ione Amorim.

Confira as dicas da economista para não perder o controle e se endividar ainda mais:

— O cheque especial é uma linha de crédito muito cara deve ser utilizada em caráter de urgência e por período inferior a 30 dias.

— Nunca incluir o limite do cheque especial ao salário mensal.

— Reduza o limite do cheque para o patamar mínimo, que não coloque em risco o seu controle financeiro.

— Ao renegociar o saldo, solicite a redução ou a suspensão temporária para colocar as contas em ordem.

— Lembre-se: o seu limite de gastos é somente o saldo da sua movimentação e não o cheque especial.

— Evite parcelamentos múltiplos a cada mês, o saldo se tornará incontrolável

— Esteja atento ao parcelar o saldo do cheque especial, estará comprometendo a sua renda futura.