Nem Te Conto

'Pago impostos desde os nove anos de idade', diz Marina Ruy Barbosa

Atriz falou sobre boatos de ter salário de R$ 80 mil, contratos milionários e casamento

Marina Carus, da Agência O Globo
- Atualizada em

Ela tem 22 anos, 24 milhões de seguidores no Instagram, oito contratos gordos de publicidade, está no ar com a 12ª novela e será protagonista da próxima trama das 21h na Globo. São cinco da manhã, e Marina Ruy Barbosa mal se espreguiça e cai dentro de um carro rumo a um hotel em São Conrado, na Zona Sul do Rio. Às 6h, como uma velocista das celebs, já está maquiada e vestida, posando para o primeiro ensaio fotográfico do dia, uma sessão para o comercial de um carro. Às 7h30, lava o rosto, troca a maquiagem, muda o cabelo e vai para a beira do mar. Começa o segundo ensaio, desta vez, para uma revista feminina.

A atriz global tem pouco tempo para almoçar — e o faz enquanto dita, à assessora de imprensa, respostas a entrevistas enviadas por e-mail. Às 13h, Marina muda outra vez a maquiagem, prende o cabelo ruivo num rabo de cavalo alto e veste um tubinho de paetês. É este seu look para o grande evento daquele dia: o lançamento de um carro, longe dali, em Santa Teresa.

Chega lá pouco depois das 16h, quando uma horda de jornalistas já a espera. Senta-se entre três executivos da marca de carro do qual é garota-propaganda. Fala sobre as gravações do comercial (ficou 15 horas numa piscina, vestindo uma cauda de sereia), repete que “ama” atuar e, em poucos minutos, tem fim a entrevista coletiva à imprensa.

Foto: Raul

Dois dias depois, a cena se repete. Mas, em vez de carro, Marina lança uma linha de roupas com seu nome, em um shopping da Barra da Tijuca. Nos eventos, geralmente intercalados entre gravações da novela “Deus Salve o Rei”, dá uma entrevista a cada dez minutos, faz seguidas pausas para selfies e grava stories com fãs. Sentada no braço de um sofá ao lado, a mãe, Gioconda Ruy Barbosa, analisa o desempenho do Instagram da filha.

A dois metros, a atriz responde a perguntas ecléticas dos jornalistas: sobre seu vestido (“Minha mãe escolheu, é ela quem me veste!”), seus vícios (“Sou viciada em sopa de legumes, acreditam?”), possíveis apelidos secretos (“Meu marido me chama de “mor’ e ‘coisinha’”), se vai ao açougue (“Não, mas ao mercado vou!) ou ainda o que levaria para uma ilha deserta (“Hum… eu e meu marido mesmo.”). Às 18h, Marina clama pela assessora: “Rango! Rango!”. Entre garfadas num mini bowl de ravióli e goles de água de coco, conversa com a repórter Audrey Furlaneto e pede: “Por favor, sejam bonzinhos comigo, tá?”. A seguir, os melhores trechos.

Dizem que você é a atriz mais bem paga do Brasil, tem um salário mensal de R$ 80 mil e ganha milhões com publicidade. É tudo verdade?

A atriz mais bem paga do Brasil? Ah, eu não sei. Não tenho como te falar isso. Posso dizer que trabalho desde os 9 anos, sempre amei atuar e soube o que queria para minha vida. Sou focada, e tudo aconteceu aos poucos. Então, não tenho a sensação de que de dois anos para cá minha vida mudou completamente, entende? Estou na 12ª novela, já fiz três séries, rodei dois filmes no ano passado. Tudo o que tenho é porque trabalho pra caramba.

A exposição no Instagram e o volume de campanhas publicitárias dão a sensação de “boom” na sua carreira, não?

Acho que não. Tenho meu Instagram há quatro anos, e ele vem crescendo aos poucos. Não é uma coisa de “de repente”. É um negócio que é uma constante. Eu encaro como uma construção. Quando converso com meus pais, sempre digo: ‘Tijolinho por tijolinho, vou construindo’.

E já teve fases ruins nessa ‘construção’?

Tive. Em vários momentos, pensei: será que vai dar certo? Será que um dia eu vou ser escalada como protagonista de uma novela? Tive medo. A gente quer, sonha e se esforça, mas tem coisas que não dependem só da gente. Não tinha certeza de nada, como até hoje não tenho. Me questiono todos os dias: estou no caminho certo? Ganho 100 mil, 120 mil seguidores por semana no Instagram. E fico me perguntando: “Gente, por quê? O que as pessoas enxergam ali? O que elas querem ver?”.

Sua vida... Você costuma dizer que ela vai muito além dos posts, mas está sempre lá, postando.

A vida real não começa quando chego em casa. Isso aqui também é minha vida, minha realidade. Meu marido (Xande Negrão, com quem se casou em outubro) agora me ajuda com tudo. O bom da minha geração é poder fazer as próprias escolhas. Muita gente me critica, por exemplo, pelo fato de eu ter me casado muito cedo. Mas escolher casar aos 22 anos também é ter a liberdade de poder decidir a própria vida. Essa é a mulher de hoje.

Você estreou cedo, na novela “Começar de novo”, em 2004. Sente que teve a infância roubada?

Não, porque trabalho com o que amo. Sou muito privilegiada. Descobri cedo o que queria. Então, cara, tenho que agradecer. Sou viciada em trabalho. Obviamente por isso precisei ter disciplina e responsabilidade para lidar com certas coisas desde cedo, com dinheiro, até com impostos.

Quantas campanhas ao todo você faz? Dizem que é a celebridade brasileira que mais aparece na TV. Não teme ficar exposta demais?

Ao todo, são oito campanhas (começa a listar as marcas): de carro, produtos para cabelo, moda nacional, moda internacional, sapatos, óculos, maquiagem e joias. Eu diria que meu trabalho como atriz está muito atrelado à publicidade. Sim, esse dado (ser a celebridade que mais aparece na TV brasileira) é real, veio de uma pesquisa do ano passado. Mas não dou muita atenção pra isso. Meu ofício é ser atriz. O que acontece além disso são outras coisas. Mas acho super legal e não acredito que deva me rotular só como atriz. Se quiser desfilar, eu posso. Se quiser desenhar uma coleção de joias, eu posso, sabe?

Como é ser milionária aos 22 anos?

(Fica em silêncio por alguns segundos) Ai… Não sei… Ganho bem pelo que faço, sou bem remunerada, trabalho com o que eu amo. Sim, sou muito feliz com tudo. Mas não penso em grana quando vou fechar algo... Você só vai falar em dinheiro?