Literatura

Primeira noite da Flica mostra Dorival Caymmi em seu lado mais humano

A noite contou ainda com a ilustre presença da homenageada da Festa, Mãe Stella de Oxóssi

Daniel Silveira (daniel.cruz@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Uma festa cuja homenageada principal é uma das principais matriarcas da cultura afro no Brasil, a ialorixá Mãe Stella de Oxóssi, na cidade onde nasceu a Irmandade da Boa Morte não poderia começar de outro jeito senão com uma saudação aos orixás. Foi para abrir os caminhos da Festa Literária Internacional de Cachoeira, a Flica 2014,  que o grupo Gêge Nagô se apresentou na noite de quarta (29) no Convento do Carmo, na cidade do recôncavo.

O grupo se apresentou na Igreja da Ordem Terceira do Carmo e abriu com muita música regional a quarta edição da Flica

A homenagem às entidades do candomblé foi feita pelo grupo nascido em Cachoeira e que tem se apresentado por diversas cidades da Bahia. A apresentação contou com números de canto e dança e embalou os presentes na festa de abertura da Flica 2014. O grupo apresentou canções clássicas como 'É D'Oxum' e 'Cordeiro de Nanã'. Logo após a apresentação do grupo local, a mesa de abertura 'O Tempo de Caymmi' pediu espaço. Com a presença de Stella Caymmi, neta e biógrafa de  Dorival Caymmi, além do escritor Marielson Carvalho, a mesa foi um bate-papo sobre a vida do cantor e compositor baiano. Intitulado por muitos como o pai da baianidade e do ideal baiano através do Brasil, a história de Caymmi foi contada para as pessoas que lotaram o claustro do Convento do Carmo.

Um bate-papo sobre um dos maiores representantes da Bahia na música: assim foi a mesa de abertura da Flica 2014

Uma das primeiras afirmações da noite foi a de que, ao invés de criar a baianidade, Caimmy teria a ressignificado. "Ao falarem isso, as pessoas esquecem as individualidades de Caymmi", declarou Marielson, que já lançou uma biografia sobre o compositor e está se preparando para lançar outro livro. Seu próximo lançamento, que só deve sair em 2015, vai trazer as personagens presentes nas músicas do compositor, como a baiana e os pescadores.A obra do gênio baiano foi mostrada com intimidade pela neta de Dorival, Stella, filha da cantora Nana Caymmi. Com mais de 80 horas de entrevistas, além de pesquisa em acervos, incluindo os do próprio avô, Stella juntou material suficiente para três livros. "Meu maior trabalho foi catalogar todo o material que eu já tinha, foi a parte mais difícil. Por outro lado, foi fácil porque eu tinha sempre que pudesse", conta a escritora, que também se prepara para o lançamento de um livro colaborativo, em 2015.

Presença ilustre

Caymmi também foi lembrado pela escritora e personalidade homenageada desta edição da Flica, Mãe Stella, que esteve presente na mesa de abertura. Os dois tinham uma relação muito próxima de amizade. Convidada a se pronunciar, ela declarou: "tenho muita saudade dele". E ainda falou com Stella Caymmi, "você imitou a simpatia e herdou o dom de contar histórias", completou emocionada.

A matriarca do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, Mãe Stella de Oxóssi, é homenageada da Flica 2014 e assistiu à mesa de abertura sobre seu amigo Dorival Caymmi

Mãe Stella é a primeira escritora homenageada pela Flica. De acordo com Emannuel Mirdad, coordenador geral do evento e curador da festa, a intenção é manter essa homenagem. "A gente quer todo ano homenagear um escritor brasileiro vivo", contou. "Esse ano, não podia ser outra pessoa senão Mãe Stella, até por estarmos em Cachoeira e ser uma demanda do povo de santo", completou.A Festa

A Flica acontece em Cachoeira no Recôncavo Baiano até domingo (2) com mesas de debate e atrações musicais. "Todo dia uma atração local abre o show de um de Salvador", revela Mirdad. Além da festa com música, a Flica 2014 tem um novo espaço destinado para as crianças que vão curtir a Fliquinha, programação inteiramente voltada para o ppúblico infantil.Também segundo Mirdad, uma das expectativas é aumentar o público do evento em cerca de 33%. "Ano passado tivemos 30 mil pessoas visitando, este ano esperamos 40 mil", contou. Uma das apostas desta edição é a mesa com a homenageada que acontece no sábado (1), às 14h. Todos os eventos da Flica 2014 têm entrada gratuita.*Com orientação e supervisão de Márcia Luz

Comentários