Música

"Quero que todas as mulheres negras tenham lugar de protagonismo", revela IZA

Cantora se apresenta em Salvador nesta sexta (12), na San Sebastian

Priscila Morais* (priscila.morais@redebahia.com.br)
- Atualizada em

Isabela Lima jamais imaginou que as performances que fazia para os vizinhos e a família renderiam frutos. A carioca, que começou a se apresentar em paróquias e retiros aos 14 anos, viu que os projetos com a música estavam dando certo em 2016, quando foi contratada pela gravadora Warner Music e ganhou destaque nacional com seu apelido IZA.

Foto: Reprodução | Instagram
Muitos não sabem, mas a artista chegou a se formar no curso de Publicidade e Propaganda e trabalhou como editora de vídeos.  Mas o dom da música falou mais alto e ela largou tudo para se dedicar à carreira artística. Iza criou canal no Youtube, onde fazia vídeos de covers e, assim, passou a ficar conhecida nas redes sociais. Do YouTube para o sucesso no cenário nacional foi um pulo.  

Em 2017, a artista deu uma alavancada na carreira e já conta com mais de 900 mil seguidores no Instagram. Entre um sucesso e outro, a artista sempre busca mostrar ao público a sua autenticidade e talento. Em suas músicas, ela gosta de enfatizar o empoderamento feminino e negro. "Acho que já conquistamos algumas coisas em prol da mulher, principalmente da mulher negra, mas ainda falta muito", afirma.

Com show marcado em Salvador nesta sexta (12), a cantora conversou com o iBahia e falou sobre o sucesso que tem feito na música atual, além de sobre a sua primeira apresentação na capital baiana. Confira: 

iBahia: Como surgiu a ideia de gravar a música 'Pesadão' e sua parceria com Marcelo Falcão?
IZA: Nós somos da mesma gravadora e sempre fui muito fã. Ele aceitou o convite na hora e foi muito legal, foi a realização de um sonho poder cantar com ele.

iB: Ultimamente, a música pop vem crescendo muito no cenário nacional. Como você avalia esse momento?
IZA: Surgiram artistas incríveis nos últimos tempos e eu adoro esse tipo de música. Acho que 2017 foi um ano intenso e cheio de coisas boas, que tem tudo pra se repetir nos próximos anos.

iB: IZA, você e Pabllo Vittar deram um 'boom' nas plataformas digitais e se tornaram referências na música pop no momento. O que você acha disso?
IZA: Fico feliz em saber que algumas pessoas se sentem representadas pelo meu trabalho. Acho que a gente só tem noção do papel que exercemos na vida das pessoas quando elas nos retornam contando as vivências delas com a nossa música, as experiências que elas tiveram lendo uma entrevista nossa ou assistindo a gente na TV. Esse é o verdadeiro trabalho de um artista, ser inspiração.


iB: Você sofreu algum tipo de preconceito por ser mulher, negra, feminista e empoderada? Aliás, qual sua opinião sobre o empoderamento feminino?
IZA: Acho que já conquistamos algumas coisas em prol da mulher, principalmente da mulher negra, mas ainda falta muito. Somos a parcela da população que mais sofre ainda com homicídios, com machismo, racismo e preconceito em geral. Então, eu quero cada vez mais poder falar sobre isso através do meu trabalho. Acho que a luta feminista é muito diferente da luta das mulheres negras, são prioridades e histórias diferentes. Ambas estão na minha lista de prioridades, mas quero poder conseguir oportunidade para que todas as mulheres negras tenham lugar de protagonismo também.

Foto: Reprodução | Instagram
iB: Suas músicas sempre reforçam a beleza da mulher e é muito também do que Karol Conka prega nas músicas dela. Qual sua opinião sobre a mulher no meio artístico atualmente?
IZA: As mulheres, de uma forma geral, estão tomando as rédeas de suas vidas. Não interessa o que a sociedade diz contra nós, o que fale do nosso corpo, o que ela imprime nas nossas vidas. Somos nós quem decidimos sobre nossas escolhas e eu tenho visto muito isso no meio artístico.

iB: Por falar nisso, quais são suas principais influências e inspirações na música?
IZA: Muitas. Nina Simone, Donna Summer, Elza Soares, Beyoncé, Rihanna. Não só pela música em si, mas principalmente pela força de cada uma, pelo discurso, pela maneira como conduzem ou conduziram suas carreiras na música.

iB: Esse é seu primeiro show em Salvador. O que podemos esperar para este primeiro contato com os fãs da capital baiana?
IZA: Eu estou ansiosa para levar meu show pra Salvador. A energia do povo baiano é contagiante e eu espero que todos se divirtam muito com a nossa apresentação.

Foto: Reprodução | Instagram
iB: Pode nos contar quais serão os próximos passos e projetos da Iza? 
IZA: Tem disco novo chegando, em breve. Acho que as pessoas poderão me conhecer melhor com o novo álbum. Existem várias vozes, várias emoções e vários ritmos diferentes no disco, mas todos conversam entre si e me classificam muito bem.


SERVIÇO
O quê: IZA
Onde: San Sebastian
Quando: Sexta-feira, 12 de janeiro
Horário: 23h
Ingressos: R$40


* Sob supervisão e orientação do repórter Guinho Santos