Nem Te Conto

Silvio Santos comenta demissões no SBT em festa de fim de ano

O apresentador brincou dizendo que a filha Patrícia vai ser pastora e que o SBT terá um templo, "igual à Record"

Da Redação, Correio 24h (redacao@correio24horas.com.br)

Silvio Santos foi presença surpresa na festa de fim de ano do SBT, na última sexta-feira (15), segundo o UOL. O dono da emissora fez um discurso no qual afirmou a importância dos funcionários para as empresas do grupo. Ele falou ainda sobre os cortes na folha. "As empresas nesses dois anos só têm dado maus resultados. Se eu disser a a vocês que nesses dois anos as empresas perderam R$ 400 milhões, vocês vão dizer que eu estou querendo provocar lágrimas em vocês, e não é verdade", disse.

Reprodução | SBT

"O ano passado e este ano foram muito ruins, e por essas razões que às vezes os meus diretores falam que vamos ter que fazer dispensas. Não é com alegria que eu recebo a informação de que vão dispensar. Mas eles alegam, se não fizermos dispensas não vamos economizar essa importância. Se não economizarmos essa importância, nós vamos ter que fechar a empresa. Então é preferível sacrificar 50, 100, 150 pessoas do que sacrificar esta multidão que está aqui", justificou.


Filha do patrão e apresentadora da casa, Patrícia Abravanel também estava no palco. Depois do discurso de Silvio, falou sobre Deus e comemorou os 87 anos do pai. Ela perguntou se o público queria pedir a Deus que Silvio vivesse até os 120 anos e houve comemoração.

O apresentador disse que a filha, casada com o deputado federal Fábio Faria (PSD-RN) , vai concorrer a um cargo público no futuro e, depois, virar pastora. Ele ainda brincou que a emissora, no futuro, terá um templo como a Record. Patrícia garantiu que não e emendou: "Aqui a gente crê em Deus. Vocês estão livres para usufruir da fé, ser quem vocês quiserem".

O apresentador contou também que outras empresas do grupo, como a Jequiti, são geridas por seus funcionários e que ele "só coloca dinheiro". "Eu nunca fui na Jequiti. Eu passo na porta da Jequiti e nunca entrei. No banco (PanAmericano, hoje Pan) eu só fui uma vez quando fui receber os sócios da Caixa Econômica."

Este ano, vários artistas e jornalistas foram demitidos do SBT. Confira:

Moacyr Franco foi demitido após 20 anos de casa, vários dedicados à ‘A Praça É Nossa’. O humorista afirmou que recebia R$ 40 mil por mês da emissora, o que considerava um 'salário insignificante'.

Carlinhos Aguiar pertenceu ao quadro de empregados por 30 anos. Integrava o ‘Jogo dos Pontinhos’, do 'Programa Silvio Santos', quando teve seu contrato encerrado.

Paulo Pioli foi outro humorista a dar adeus ao SBT, que interpretava o personagem Caipira, dono do bordão “Êta fuminho bão”. Ele estava em ‘A Praça É Nossa’ havia 14 anos.

Charles Gutemberg foi demitido da emissora após 15 anos de trabalhos na casa. Ele era um dos veteranos de ‘A Praça É Nossa’ e fazia o personagem Rapadura, do quadro ‘Tropa de Malucos

Marcelo Benny era outro integrante da ‘Tropa de Malucos’ que deixou o SBT após 15 anos. Ele fazia o papel de Bananinha.

Jean Paulo Campos começou a carreira no SBT em 2011 e foi um dos protagonistas da novela ‘Carrossel’. Em 2017 gravou a novela ‘Carinha de Anjo’, que ainda estava no ar quando ele foi dispensado

Matheus Ueta ficou na emissora por seis anos, atuou em ‘Carrossel’ e esteve à frente do ‘Bom Dia & Companhia’

Hermano Henning fazia parte da equipe do SBT desde 1994 e, ao longo dos 23 anos de casa, foi âncora de muitos telejornais.

Joyce Ribeiro trabalhou para o SBT por 12 anos. Em 2016 foi apresentadora do telejornal ‘Primeiro Impacto’.

Patricia Rocha foi jornalista da emissora por sete anos. Apresentou o telejornal ‘Primeiro Impacto’ em 2016.