Saúde

Tentativas de suicídio entre crianças e adolescentes dobraram em menos de dez anos

Estudo feito nos EUA revela que casos acontecem principalmente ao longo do ano letivo

Agência O Globo
- Atualizada em

Uma pesquisa publicada no periódico científico "Pediatrics" revelou que o número de crianças e adolescentes hospitalizados por tentar suicídio ou pensar nisso dobrou em menos de uma década. Embora esse índice ainda seja baixo, o aumento da taxa chamou atenção dos pesquisadores.

Enquanto em 2008 o índice de internações de crianças e adolescentes em hospitais americanos devido a tentativa de suicídio ou pensamentos suicidas foi de 0,66%, em 2015, essa taxa tinha chegado a 1,82%.

O maior aumento nesse índice foi registrado na faixa etária de 12 a 14 e 15 a 17 anos. Os pesquisadores também chamaram atenção para o fato de que a prevalência desses casos é maior durante o ano letivo. No caso dos adultos, tentativas de suicídio e pensamentos suicidas são mais frequentes na primavera e no verão.

Há ainda um recorte por gênero, as meninas apresentaram um crescimento maior nessa taxa do que os meninos. Os pesquisadores apontam que entre as hipóteses para explicar o aumento desses casos entre crianças e adolescentes, está uma maior frequência da depressão entre os jovens. O uso das redes sociais também é uma questão que deve ser considerada, segundo os pesquisadores.

Para chegar a esses dados, os médicos acessaram o banco de dados do Sistema de Informação de Saúde Pediátrica dos EUA. Na pesquisa, foi identificada a ocorrência de 115.800 tentativas de suicídio ou idealizações do ato por crianças e adolescentes ao longo de sete anos.