Salvador

Publicada em 09/01/2014 às 20h23. Atualizada em 09/01/2014 às 20h31

Tio de vendedora morta em passarela dá murro em suspeito pelo crime


A agressão aconteceu no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) nesta tarde; Jean confessou crime


Redação Correio 24h
publicidade

Um dos tios da jovem vendedora que foi assassinada pelo ex-marido em uma passarela da avenida Paralela agrediu o suspeito Jean Silva Cerqueira, 34 anos, com um soco no rosto na tarde desta quinta-feira (9). Antes de ser contido, o tio ainda foi para cima de Jean, que estava caído no chão, e conseguiu dar uma gravata nele. Logo depois, o homem foi contido e levado para uma sala.

A agressão aconteceu no Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), onde Jean se apresentou nesta tarde acompanhado por um advogado. No momento, ele aguardava o elevador para subir e ser ouvido por uma delegada.

Cerca de 8 a 10 parentes de Jéssica Ramos dos Santos, 20 anos, ficaram de plantão em frente à delegacia desde as 13h de hoje, quando souberam que Jean deveria se entregar hoje. Eles não viram o momento em que o suspeito entrou, mas assim que souberam que ele estava no prédio, entraram na unidade.

Jean prestou depoimento para uma delegada de plantão e agora fala com a delegada Jamila, responsável pela investigação. Ele já confessou o crime e alega que agiu tomado pela emoção. O advogado Denis Leão diz que seu cliente não premeditou o homicídio da ex.

Jéssica deixa um filho de 2 anos, da sua relação com Jean. O corpo da jovem vendedora foi sepultado ontem à tarde no cemitério de Portão, de Lauro de Freitas.

Crime
Na manhã da última terça-feira (7), Jéssica foi esfaqueada e morta na passarela do Shopping Paralela, onde ela trabalhava como vendedora de calçados. Segundo testemunhas, Jean falava no celular e avançou contra a vítima quando ela passou por ele, por volta de 9h.

Jéssica é ex-mulher de Jean e tinha prestado queixa contra ele no último dia 6 de dezembro na Delegacia Especial de Atendimento à Mulher (Deam). Na denúncia, o homem é acusado de entrar na casa dela e cortar o cabelo da mulher com uma faca de cozinha, além de arranhar o seu rosto com a mesma faca.

A jovem entrou com uma ação para impedir que o ex se aproximasse dela, já que ele ligava constantemente e a ameaçava desde que os dois se separaram, há cerca de 1 ano. Segundo familiares, a primeira audiência aconteceria na segunda-feira. Os dois tinham juntos um filho de 2 anos.

Protestos
A casa dos pais do rapaz suspeito de assassinar a vendedora de 20 anos na passarela do shopping Paralela, pegou fogo na manhã seguinte ao homicídio. De acordo com informações da Central de Polícia, o crime aconteceu por volta das 4h na rua Oeste, Lote 4, no bairro Parque São Cristóvão. Testemunhas teriam visto um homem ateando fogo à residência dos pais de Jean Silva Marques, 35 anos.

Também na última quarta-feira (8), cerca de 70 pessoas protestaram pela morte de Jéssica na Avenida São Cristóvão. O grupo, composto por familiares da vítima, queimou pneus e chegou a fechar a entrada do Shopping Salvador Norte. Em meio à revolta, o corpo da jovem foi enterrado ainda ontem no Cemitério Municipal de Portão, em Lauro de Freitas, Região Metropolitana de Salvador.



Matéria original Correio 24h:
Tio de vendedora morta em passarela dá murro em suspeito pelo crime





Tags: crime, passarela, ex-marido, mulher, vendedora, familiares, agressão, preso, delegacia, depoimento
Agenda Cultural