Salvador

Traficante diz que mandou matar Valdir Cabeleireiro por ciúmes

Segundo ele, cabeleireiro 'acobertava' caso do irmão. Traição foi descoberta pelo celular

Redação Correio 24h, com Hilza Cordeiro

Dois suspeitos pela morte de Valdir Cabeleireiro foram apresentados à imprensa nesta quarta-feira (11) à tarde. O traficante Edgar Silva Santos, o Chocolate, e Patric Ribeiro Tupinambá confessaram o crime em depoimento à polícia. Segundo Chocolate, que é mandante do homicídio, Valdir foi morto porque estaria "acobertando" o caso do irmão, Reginaldo, com a namorada do traficante, facilitando encontros entre os dois. Ele pagou R$ 20 mil para que comparsas matassem Reginaldo, que sobreviveu ao atentado.

Os dois foram presos em imóveis diferentes em Simões Filho, na Região Metropolitana de Salvador, na manhã de hoje, com ajuda do Disque-Denúncia. Ao perceber a aproximação da polícia, Chocolate tentou fugir subindo no telhado da casa, mas acabou capturado. A polícia apreendeu uma pistola calibre 40 com ele e outra com Patric, além de uma espingarda com Chocolate. Nenhuma destas armas foi usada na morte de Valdir nem na tentativa de homicídio contra Reginaldo - a polícia acredita que as armas dos crimes foram vendidas para fora da Bahia.

Chocolate e Patric foram presos nesta quarta-feira (Foto: Hilza Cordeiro/CORREIO)

Outros três participantes dos crimes estão sendo procurados pela polícia, mas não tiveram os nomes divulgados.

Chocolate contou à polícia que matou Valdir por ciúmes da namorada, Jucilene Alves dos Santos, depois de tentar matar Reginaldo, que tinha um caso com ele. Ele descobriu que estava sendo traído pelo celular. À polícia, o irmão de Valdir afirmou que não sabia que estava envolvido com a mulher de um traficante e que ela dizia que tinha um relacionamento, mas estava se separando. Para a polícia, Chocolate afirmou que seu único arrependimento era não ter conseguido matar Reginaldo.

Em 2008, Chocolate e a namorada foram presos por tráfico de drogas, além de estarem com 6 kg de pedras preciosas. Este ano, ele foi condenado por este crime a 19 anos e seis meses de prisão. Jucilene foi condenada a 11 anos. Em 2015, o traficante foi preso novamente por tráfico de drogas. Ele é apontado como líder do tráfico em Mussurunga, Stella Maris e Ipitanga. Já Patric foi preso em 2015 por tentativa de roubo na Avenida Paralela.

Chocolate foi autuado em flagrante por porte ilegal de armas e falsidade ideológica -ele estava com uma identidade falsa ao ser preso. Ele também vai responder pela tentativa de homicídio contra Reginaldo e pela morte de Valdir. Chocolate ainda é suspeito de ser mandante da tentativa de homicídio de uma funcionária do salão, que é amiga de Jucilene, em dezembro do ano passado, em Pernambués. Já Patric foi autuado em flagrante por porte ilegal de arma e vai responder pelo homicídio de Valdir - ele não teve envolvimento na tentativa contra o irmão do cabeleireiro.