A Casa Que Eu Quero

Queda na taxa de juros e ampliação de incentivos facilitam compra de imóveis

Mercado vem buscando alternativas para se manter aquecido e o principal beneficiado é o consumidor

Especial de Conteúdo
- Atualizada em


Oferecimento
A pandemia do novo coronavírus afetou não só o setor de saúde do país, mas também a economia, o que gerou, consequentemente, um impacto no setor imobiliário. Por conta disso, o mercado vem buscando alternativas para se manter aquecido e o principal beneficiado é o consumidor.
Foto: Reprodução / JVF

Atualmente, a taxa de juros, que é definida de acordo com os percentuais do mercado financeiro, apresenta uma queda, se comparado com anos anteriores, já que a Selic – taxa básica de juros da economia - atingiu uma taxa histórica e hoje está fixada em 2,25% ao ano. Além disso, houve queda significativa nas tarifas praticadas, o que tem atraído os consumidores.


Outra novidade veio no dia 9 de abril, quando a Caixa Econômica Federal anunciou medidas de estímulos à construção civil. Entre os incentivos, pessoas físicas e jurídicas podem adiar parcelas de financiamento por três meses. Outra medida anunciada à época dá seis meses de carência para o início dos pagamentos de novos contratos de financiamento de imóveis.

Dessa forma, os compradores poderão pausar o pagamento caso estejam em dia ou tenham, no máximo, duas parcelas de atraso. Os clientes podem optar também por pagar parcialmente as parcelas durante três meses.

A Casa Que Eu Quero
Para quem está buscando um imóvel próprio, a JVF oferece condições exclusivas, como entrada facilitada, podendo utilizar o FGTS, 60 dias para correção da parcela de financiamento e descontos de até 88 mil, durante a campanha ‘A Casa Que Eu Quero’, da ADEMI.

A incorporadora participa do salão com três opções de empreendimentos localizados no bairro do Cabula. O Vivace e o Allegri, prontos para morar, e o Adorato com obras em andamento.

Para aproveitar as ofertas, basta acessar o site da campanha.