Amor por Salvador

Antes e depois: relembre as obras que mudaram Salvador nos últimos anos

Nos últimos oito anos, Prefeitura realizou grandes intervenções nas ruas da cidade

Especial de Conteúdo

Oferecimento
Nos finais de ano, costumamos ficar mais nostálgicos e relembrar as coisas boas que vivemos. Se formos falar de cidade, o soteropolitano tem muito a lembrar. Nos últimos oito anos, Salvador passou por um processo de transformação. 

A cidade ganhou novas orlas, novas avenidas, um centro histórico requalificados, novos espaços de lazer e negócios, novas praças e por aí vai. Para refrescar sua memória, listamos as principais intervenções que mudaram Salvador. Confira: 

Jefferson Peixoto / Divulgação PMS 

Novas Orlas:

Há oito anos, a requalificação das orlas da cidade é uma constante. Ainda em 2014, nos primeiros anos de mandato, a gestão municipal entregou a nova orla da Barra, uma das principais da cidade, que passou a ter mais espaço para os pedestres curtirem o local.

Outras orlas importantes da cidade, como Rio Vermelho, Itapuã e Ondina também passaram por mudanças, essa última, que faz parte do circuito Dodô, sendo inaugurada em fevereiro deste ano, pouco antes do Carnaval. 

A orla de Amaralina também passou por importante mudanças em 2020, ganhando uma homenagem às baianas de acarajé, pescadores e capoeiristas. 

Orlas de bairros menos turísticos não foram esquecidas, como a região suburbana. Locais como Lobato, entregue também neste ano, ganharam uma orla com uma nova cara. 

Em 2015, a orla da Ribeira, um dos bairros mais conhecidos e visitados da Cidade Baixa, também ganhou nova pavimentação, calçadas mais amplas e espaço para prática de esporte.

Centro da Cidade:

Um dos pontos de atenção dessa gestão foi a requalificação do centro histórico de Salvador. Os arcos da Ladeira da Conceição, assim como a Avenida Joana Angélica, a Avenida Sete e a região da Praça Castro Alves passaram por intervenção neste ano. 

Na Joana Angélica, importante via do Centro, as obras tiveram o intuito de modernizar e adequar os fluxos de pedestres e veículos às novas necessidades urbanas e sociais.

Na Avenida Sete e na Praça Castro Alves, as modificações, que já estão em fase final, envolvem também uma nova concepção na ocupação do espaço público por parte dos comerciantes informais. Esses trabalhadores irão deixar as calçadas e terão um espaço ordenado e reservado na própria via. Dessa forma, as calçadas ficam livres apenas para a circulação de pedestres. 

A Nova Avenida Sete teve o calçadão de pedras portuguesas renovado, o que  preservou as características históricas originais do local. Além disso, foram colocados piso tátil e rampas de acessibilidade, tornando o trajeto mais inclusivo para pessoas com deficiência.

As obras realizadas em 2020 também levaram em consideração o distanciamento social seguro imposto pela pandemia do novo coronavírus, para a redistribuição dos comerciantes informais nas vias. 

Foto: Jefferson Peixoto / Divulgação PMS

Comércio:

Em 2019, pontos importantes do bairro do Comércio também passaram por melhorias. Na Rua Miguel Calmon, importante via da região, as modificações transformaram a rua em um ambiente urbano moderno, sustentável e ainda mais acessível, um dos símbolos de preservação e transformação da Cidade Baixa. 

A requalificação da Rua Miguel Calmon envolveu colocação de nova pavimentação, serviços de macro e microdrenagem, além de mobiliário urbano e ciclovia desde as imediações do Mercado Modelo até a entrada do Plano Pilar.

Praças:

Ainda na região do Comércio, houve a revitalização da Praça Riachuelo, cujo entorno ganhou piso intertravado. Em 2020, foram entregues as novas praças Visconde de Cairu, a mesma que abriga o Mercado Modelo e Marechal Deodoro (conhecida com Praça das Mãozinhas).

Além delas, a Praça da Inglaterra, em dezembro de 2018, teve pavimentação renovada e instalação de meio-fio, requalificação do sistema de drenagem e paisagismo.

Foto: Maax Haack / Divulgação PMS

Mobilidade urbana:

Em 2019, a prefeitura deu início à requalificação da Avenida Cônego Pereira, apenas um dos exemplos de melhorias urbanísticas realizadas nos últimos dois anos. Agora, a avenida conta com nova pavimentação e passeios, além de ciclovias, micro e macrodrenagem, instalação de equipamentos urbanos, iluminação pública e paisagismo.

Neste ano, a prefeitura finalizou as obras de requalificação na Estrada Velha do Aeroporto. No local, foram realizados serviços de drenagem, pavimentação, iluminação em LED, meio-fio, passeio e sinalização horizontal. Além disso, alguns pontos tiveram a pista alargada para melhorar a visibilidade dos motoristas e o fluxo de veículos.

Ainda teve a inauguração do Caminho da Fé, na Avenida Dendezeiros, que faz a integração entre a Basílica do Bonfim e o Santuário de Irmã Dulce.

Guerreira Zeferina:

Em 2018, a gestão municipal entregou a primeira etapa da requalificação da comunidade Guerreira Zeferina, antes conhecida como Cidade de Plástico.

Localizada no Subúrbio Ferroviário, o local ganhou 257 imóveis, além da Escola Municipal Guerreira Zeferina, campo de futebol, miniquadra, três quiosques, espaço de convivência e lazer, calçadão de acesso à praia, deck e estacionamento.

O Conjunto Habitacional Guerreira Zeferina teve o projeto urbanístico desenvolvido pela Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), em conjunto com os próprios moradores.

Foto: Divulgação / Seinfra

Novas moradias, novo restaurante e unidades de acolhimento:

Além do Guerreira Zeferina, nos últimos oito anos Salvador ganhou novas casas populares no Conjunto Baixa Fria 2, no Loteamento Azul e no Novo Barro Branco. 

Além disso, mais de 30 mil casas foram reformadas no programa Morar Melhor. Unidades de acolhimento foram criadas para receber pessoas em situação de rua e a população ganhou um novo restaurante popular, localizado em Pau da Lima, que fornece, diariamente, quentinhas para moradores do bairros e regiões vizinhas.

Ainda na questão da moradia, a cidade passou a ter centenas de novas geomantas e encostas, e vários bairros passaram por processos de macrodrenagem e reurbanização. 

Centro de Convenções:

Em janeiro de 2020, Salvador ganhou um novo Centro de Convenções, após quase seis anos sem um local voltado para a realização de eventos econômicos e de negócios. 

Localizado na orla da Boca do Rio, o local tem capacidade para receber 14 mil pessoas simultaneamente em congressos e feiras, ou 20 mil em shows nas áreas externas e internas. Além disso, possui espaços moduláveis de 800 m² cada, que podem ser adaptados de acordo com as necessidades dos clientes.

Possui também seis salões de 522 m² cada, 12 salas de 236 m² e 28 salas de reunião que podem virar camarotes tanto para os shows externos quanto internos. O estacionamento tem espaço para 1,4 mil veículos. 

Escolas e creches:

Na área da educação, mais de 240 escolas foram construídas ou reformadas. Salvador, nos últimos oito anos, se tornou uma das capitais que mais avançou no Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb).

Foram criados programas educacionais como o Primeiro Passo, o Pé na Escola e o Agente da Educação. Nas creches, mais de 40 mil vagas foram criadas nos últimos anos. 


Para incentivar a prática de esportes, a prefeitura requalificou a nova Arena Pronaica, em Cajazeiras X, que agora possui dois campos com grama sintética, uma quadra poliesportiva, um campo de futebol, além de vestiários e sanitários.

A estrutura ainda conta com áreas de lazer, paisagismo, área destinada para a montagem de palcos e realização de eventos e um estacionamento com quase 20 vagas.

Saúde:

Nos últimos anos, Salvador ganhou nove novas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs), tendo multiplicado por 10 o número de unidades durante os oito anos de gestão. Além disso, postos de saúde foram reformados.

O grande marco na área da saúde foi a construção do primeiro Hospital Municipal de Salvador. Localizado na Boca da Mata, região próxima a Cajazeiras, um dos bairros com o maior número de população carente de Salvador, o equipamento funciona de maneira ininterrupta com 252 leitos (sendo 42 de emergência) e capacidade para atender cerca de 60 mil pacientes por mês, através da atuação de 2 mil profissionais.