‘Precisamos ter ousadia para ser quem somos’, afirma Tay Lai, empreendedora baiana dona da hair boutique Bem Gaiata


Foto: Reprodução/ Bahia FM

O combo de ousadia, gaiatice e muita vontade de fazer acontecer, levou Tay Lai, de 23 anos a ter ao menos três títulos já no início de sua vida adulta: o de publicitária, empresária e influenciadora digital.

Mulher preta, “bem gaiata” e em busca de realizar um grande sonho, o de ter uma mansão, Tay bateu um papo com o iBahia para contar um pouco da sua história. Convidada deste domingo (7) do programa Atitude, da Bahia FM, a influenciadora relembrou o início de sua carreira na internet e o que a motivou a dar esse primeiro passo rumo ao “desconhecido”.

“Crio conteúdo para as redes sociais há quase seis anos e eles sempre foram voltados para o meu cabelo que está diretamente ligado a minha história. Uma mulher preta tem todos aqueles padrões impostos pela sociedade de que a gente precisa alisar o cabelo para se enquadrar. E eu comecei a pensar, ‘e se eu não quiser só liso? E se eu quiser loiro? Ou ruivo? Ou black?’ Foi nesse processo, nessa minha descoberta, que eu entendi que estava tocando outras pessoas e também me descobrindo e me amando com vários cabelos, e aí investi no meu próprio negócio”.

O Bem Gaiata – Hair Boutique é o segundo filho de Tay Lai, já que a a carreira como influenciadora veio antes de tudo isso, quando deu início a faculdade de Publicidade.

“Entrei no mundo dos cabelos orgânicos, que é uma categoria de cabelos que não são cabelos humanos, mas tem um preço um pouco mais acessível. E com ele nossos clientes podem brincar, usar e abusar enquanto o cabelo ainda está crescendo, funciona também como um suporte na transição. Investi nisso porque percebi que minhas seguidoras começaram a perguntar de onde era o cabelo que eu estava usando, e já que eu era referência, porquê não ter o meu próprio negócio? Daí surgiu a ‘Bem Gaiata’, com esse nome de justamente de entregar ousadia. Nós, mulheres pretas, precisamos ter ousadia para ser quem somos ao longo da vida”.

Com mais de 50 mil seguidores no Instagram e alguns sonhos realizados, entre eles uma viagem para a Disney a convite de uma marca, Tay afirma que não se imaginava em um lugar de tamanho destaque quando iniciou sua carreira.

“Há um ano atrás eu nunca imaginaria estar já nessa posição. As coisas vão acontecendo quando a gente tem muita determinação, e essa sempre foi uma qualidade minha, eu sempre fui atrás das minhas oportunidades. Nada aconteceu da noite para o dia, eu batia na porta das pessoas pedindo para fazer provador, para mostrar o meu trabalho. Mas acho sim, que agora chegou o momento de reconhecer esses frutos que estou colhendo”.

A empresária citou suas inspirações baianas em negócios de sucesso e carreira dupla, muitas vezes, tripla.

“Eu acho Cristian Bell um cara sensacional. Ele é visionário, tem todas as nuances, é influenciador, empresário e estratégico. Assisto as coisas dele e fico orgulhosa de ver onde ele chegou, acompanho desde a época do Humor Cyclonizados. Gosto muito de Rafa Moreira e Sheila (Sheuba), que conheci na época em que eu não sonhava ser isso aqui”.

Ao site, Tay também falou sobre o apoio da família que foi essencial para o crescimento da ‘Bem Gaiata’ no mercado e para dar o pontapé em um outro grande negócio, o ‘My Stage 360’, palco 360 graus e vídeo, sensação do momento nas festas.

“Minha mãe sempre me apoiou como blogueira, ela é mais a parte da doçura. Meu pai teve um pouco mais de resistência, mas foi de ver o sucesso da ‘Bem Gaiata’ e da minha carreira na internet que ele percebeu que nós podíamos crescer juntos, e criamos a sociedade com o ‘My Stage 360’. É um empreendimento que veio de fora, que é um palco de vídeo lá do Oscar, que é uma referência bem bacana, usam lá no Red Carpet, eu trouxe palco de vídeo para trazer essa revolução aqui para o mercado em Salvador, e vem sendo muito bom”.

Para quem quer fazer como Tay, a influenciadora, publicitária e empresária dá um conselho: saia do mundo da imaginação. A baiana acredita que é necessário ir atrás para conseguir fazer seu próprio nome e encoraja suas seguidoras no caminho do empreendedorismo.

“Tem uma frase que eu levo para a minha vida. Às vezes a gente tem que dar um passo para trás para dar dois para frente. Abrir o próprio negócio é abrir mão também, logo no início, de uma estabilidade. É difícil largar um emprego CLT para investir no desconhecido, requer muita coragem e dedicação. Confia nesse propósito, estude muito sobre o mercado que você quer atuar, procure sempre referências e tenha coragem para iniciar. Não fique sempre no campo da imaginação, parta para a ação que vai dar certo”.

Leia mais sobre Atitude no iBahia.com e siga o portal no Google Notícias