Bahia

Advogado revela que alguns ex-integrantes da New Hit deixaram a música

Acusados foram condenados a 11 anos e oito meses de prisão por estupro nesta quarta-feira (6)

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

Do céu ao inferno. O dito popular nunca valeu tanto quanto para os ex-integrantes da banda New Hit, condenados a 11 anos e oito meses de prisão por estupro nesta quarta-feira (6). Depois de gozarem o sucesso que estavam fazendo no ano de 2012, o mundo dos jovens mudou completamente. Em contato com o iBahia nesta quinta-feira (7), o advogado de cinco dos dez acusados, Kleber Andrade, fez revelações com relação a vida dos músicos e dançarinos.


Ele, que representa Wenslen "Gagau" Borges Lopes, Willian Ricardo de Farias, o "Brian"; Michel "Cachacinha" Melo de Almeida, Edson Bomfim Berhends Santos e John Ghendow de Souza Silva, contou que alguns deles largaram a música após o ocorrido, mas continuarão levando a vida normalmente até que a condenação, que aconteceu apenas em primeira instância, seja mantida pela Justiça.


"Eles estavam gozando do benefício da liberdade provisória. Alguns estão fazendo show, são músicos, outros largaram e estão seguindo suas vidas, trabalhando com telemarketing, enfim. No nosso ordenamento jurídico o que prevalece é a presunção de inocência. Enquanto a sentença permitir recurso, eles são considerados inocentes. Até que a sentença seja confirmada", explicou.


Condenado no caso New Hit, Dudu Martins seguirá fazendo shows, diz empresário

O advogado disse ainda não ter sido intimado na Justiça e que só irá entrar com recurso após o resultado ser publicado no Diário Oficial do Poder Judiciário, pois segundo ele, a divulgação da sentença aconteceu apenas por parte do departamento de comunicação do Tribunal.


"Não fui intimado ainda. A juíza deve ter soltado algum link para o departamento de imprensa do Tribunal, que estava acompanhando o caso. Acredito que a Dra. Márcia divulgou uma minuta para a imprensa anunciando que a sentença havia saído e a imprensa do Tribunal, por sua vez, divulgou, mas não fomos intimados. Nada foi publicado no Diário do Poder Judiciário. Para saber se já cabe recurso eu preciso me deslocar até Ruy Barbosa, mas antes disso é necessário esperar a publicação, porque só assim eu poderei apresentá-lo. Acredito que dentro de alguns dias a publicação saia", finalizou.