Bahia

Assaltantes são mortos pela PM ao instalar explosivos para destruir banco na Bahia

Entre os bandidos que conseguiram escapar durante confronto, um suspeito conseguiu fugir para Feira de Santana, onde buscou socorro em um hospital

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)

Dois suspeitos foram mortos pela Polícia Militar na madrugada desta sexta-feira (2) no município de Ponto Novo, no Centro-Norte do Estado, enquanto instalavam explosivos para destruir caixas eletrônicos. O confronto aconteceu por volta das 3h, na agência do Banco do Brasil, que fica no centro da cidade.




Agência teve portas destruídas durante troca de tiros (Foto: Portal Ponto Novo)



Segundo o delegado Felipe Néri da Silva Neto, titular da 19ª Coordenadoria Regional de Polícia do Interior (Senhor do Bonfim), os bandidos foram flagrados por policiais do Pelotão Especial de Policiamento em Área de Caatinga (Pepac) e do 6º Batalhão da Polícia Militar e houve troca de tiros.


Dois suspeitos foram baleados e mortos. "Os policias que participaram do auto de resistência falaram em pelo menos oito bandidos, mas haviam muitos outros que conseguiram fugir em carros. Dois vieram a óbito, mas um deles já foi identificado. Porém, estamos aguardando confirmações para divulgar o nome", disse Néri.


Entre os bandidos que conseguiram escapar durante confronto, um suspeito conseguiu fugir para Feira de Santana, onde buscou socorro em um hospital. Segundo Néri, o suspeito foi baleado no rosto e está passando por cirurgia. "Uma equipe da Polícia Civil está lá aguardando para dar voz de prisão em flagrante para ele", avisou o coordenador.


Os explosivos não chegaram a ser detonados e foram deixados pendurados nos caixas eletrônicos na área de autoatendimento. A agência foi isolada para o trabalho da Companhia Antibombas e dos agentes do Departamento de Polícia Técnica (DPT). Nada foi roubado.


Ainda de acordo com o Felipe Néri, as polícias Civil e Militar estão realizando buscas pela região. Imagens das câmeras do circuito de segurança também serão solicitados para auxiliar nas investigações.

Correio24horas