Bahia

Azaleia explica que fechamento das fábricas na Bahia é irreversível

A empresa informou que registrou sucessivos e elevados prejuízos financeiros

Da Redação
- Atualizada em

A Vulcabras/Azaleia fechará todas as suas filiais localizadas nos municípios baianos de Caatiba, Firmino Alves, Itambé, Itapetinga, Itororó e Macarani. De acordo com a assessoria da empresa, o fechamento é decorrente de prejuízos financeiros sucessivos.


A única unidade da empresa que continuará a funcionar na Bahia, será a matriz que fica em Itapetinga, onde ficarão concentradas todas as atividades relacionadas ao estado. Segundo nota enviada à imprensa, o principal motivo que causou grandes prejuízos foi a entrada de produtos importados na região com preço muito baixos.


O comunicado foi divulgado um dia depois da Comissão do Trabalho da Câmara Federal aprovar a realização de uma audiência pública na tarde do dia 19 de dezembro para tratar do fechamento das fábricas.


Como parte de uma estratégia de reestruturação, as filiais foram fechadas, de maneira irreversível. São 12 fábricas fechadas e as demissões podem atingir 4 mil pessoas. Mesmo com o fechamento, a empresa garante que todos os funcionários serão pagos com todos os valores de direito, mas informa que a situação é totalmente irreversível.