Bahia

Bahia e Salvador superam média nacional em violência contra mulher

Com uma taxa de 6,1 a cada 100 mil mulheres, a Bahia tem média maior que a nacional que é de 4,6

Editoria Notícias & Empregos
- Atualizada em

A violência contra a mulher na Bahia vem crescendo constantemente e chega a superar a média nacional. De acordo com os dados do Mapa da Violência 2012, enquanto a média de todo país é de 4,6 assassinato a cada 100 mil mulheres, na Bahia a taxa é de 6,1, ocupando o sexto lugar entre os estados brasileiros.


Entre as cidades brasileiras mais violentas, quatro delas estão na Bahia. É o caso de Porto Seguro, que está em terceiro lugar com maior índice de homícidios de mulheres com uma taxa de 22,1. Na quarta posição está outra cidade baiana, Simões Filho, com taxa de 21,4. As outras cidades baianas entre as 10 são Lauro de Freitas com 20,2 e Teixeira de Freitas com 18,5.


Em Salvador as estatísticas não são diferentes e chega até ser pior quando levado em consideração os números da capitais do país. Com uma taxa de 8,3, a capital baiana ocupa a quinta colocada em número de homicídios femininos. A média nacional das capitais é de 5,4.


Mesa redonda
Com o objetivo de chamar atenção para a gravidade desses dados, a Força Sindical da Bahia realiza na próxima sexta-feira (8), no Dia Internacional da Mulher, o 3º Encontro de Mulheres Trabalhadoras da Central. A série de ações acontece a partir das 8h30, na Casa D'Italia, localizada na Avenida Sete de Setembro, no Campo Grande.


Além de traçar estratégias para enfretamento da discriminação, o evento que deverá reunir cerca de 200 mulheres, dentre elas representantes públicas, busca o aumento no número de unidades da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam). De acordo com a Secretaria Estadual de Políticas para Mulheres, em todo o estado existem apenas 15 unidades.


Confira a programação completa

Programação

08h30 – Abertura

09h00 - Mesa de debates


Expositoras

DIEESE- Ana Margaret Simões –Coord. PED - Salvador

Drª Petilda Vazquez – Membro da ALAL- Assoc. Latina Americana

dos Adv. Laborais, Drª em Ciências Sociais e professora de História do Direito


Debatedoras

Nair Goulart – Presidente da Força Sindical Bahia e Presidente Adjunta da Confederação Sindical Internacional (CSI)

Senadora Lídice da Mata

DEAM – Delegacia Especial de Atendimento à Mulher Historiadora Patricia Cabral


13h00 – Lançamento do Boletim “Força Mulher”

16h00 às 18h00 – Caminhada das Mulheres pela fim da violência contra a mulher.

Local: Campo Grande