Bahia

Casal baiano que participou de 'sequestro' do neto é condenado nos EUA

Promotores afirmam que a condenação era necessária, uma vez que os baianos participaram do processo de retirada do neto dos Estados Unidos

Redação iBahia (redacao@portalibahia.com.br)
- Atualizada em

O caso dos avós baianos acusados de ajudar a filha no sequestro do neto americano teve um fim na última terça-feira (12). Carlos Guimarães, 68 anos, e Jemima Guimarães, 66 anos, foram condenados pelo Tribunal Federal de Houston, nos Estados Unidos. As informações são do Jornal Correio.

Em 2019, Carlos deverá cumprir pena de três meses em presídio federal e sua mulher, Jemima, foi condenada a um mês de prisão. O casal teve que pagar fiança no valor de 75 mil dólares cada um, aproximadamente R$ 291 mil.

Carlos e Jemima Guimarães foram condenados pela Justiça americana. (Foto: Reprodução)

Durante o julgamento, os dois disseram ao juiz que estavam apenas ajudando a filha, Marcelle Guimarães, que sofria agressões do ex-marido. Mas de acordo com os promotores, a condenação era necessária, uma vez que os baianos participaram do processo de retirada do neto dos Estados Unidos.

Relembre o caso
O caso aconteceu em 2013 e a criança tinha três anos. Segundo a corte americana, Marcelle disse ao marido que iria ao Brasil apenas passar férias, como fazia todos os anos. A mulher, no entanto, se recusou a voltar para os Estados Unidos com o filho. No mesmo ano, Marcelle entrou com um pedido de guarda e recebeu sentença favorável, o que legalizou sua estadia no Brasil.

O pai do menino acusou Marcelle de sequestro internacional no tribunal norte-americano e colocou os pais da baiana como cúmplices da ação. De acordo com os Estados Unidos, o Brasil violou a Convenção de Haia ao conceder guarda da criança à mãe em meio acusações de sequestro.

Prisão
Os avós do garoto foram presos em fevereiro de 2018, quando chegaram em Miami, nos Estados Unidos. Em maio, o casal foi condenado pelo crime de sequestro internacional, mas o júri absolveu os dois de uma acusação de conspiração.

Marcelle foi indiciada e, desde 2013, é considerada foragida já que não retornou aos Estados Unidos e continua morando com o filho em Salvador.

Carlos e Jemima Guimarães vão continuar soltos após o pagamento da fiança, mas devem se apresentar no início de 2019 para o cumprimento das penas.