Bahia

Corpos de seis das dez vítimas de acidente serão enterrados hoje em Santana

Os corpos das outras 4 vítimas foram enviados de avião no início da noite de ontem (17) para Cuiabá (MT)

Redação CORREIO

Serão enterradas nesta quinta-feira (18), em Santana, no oeste da Bahia, seis das dez vítimas do acidente com uma van na manhã de ontem (17) em Correntina. Os corpos de outras quatro vítimas foram trasladados para Cuiabá, no Mato Grosso.


Os corpos de motorista da van Carlos Alberto de Araújo Silva, 43 anos, do filho Talmo Galvão de Araújo, 19, além de Maria da Conceição Galvão, 81, Marinalda Pereira Galvão, 38, Miguel Arcanjo de Lima, 50, e do garoto Luiz Gustavo Galvão, de 4 anos, serão enterrados às 16 horas no Cemitério Municipal de Santana.


Segundo o Departamento de Política Técnica (DPT) de Barreiras, os corpos de Armindio Lopes Galvão, 62, Joaquim Reinaldo Galvão, 53, Mario Lopes Galvão, 57, e Gerciana Lopes de Araujo, 58, foram enviados de avião no início da noite de ontem (17) para Cuiabá (MT). Eles devem ser enterrados nesta quinta (18).


O prefeito de Santana Marco Aurelio Cardoso decretou luto oficial de três dias na cidade após o  acidente que matou dez pessoas da mesma família quando iam para um enterro de um familiar no município.


“Eles (passageiros da van) retornavam de Brasília, onde foram buscar o corpo de um parente para levá-lo ao sepultamento na cidade de Santana", informou o delegado de Correntina, Marcelo Calçado.



Van ficou completamente destruída com o impacto sofrido no acidente


O acidente aconteceu na BR-349, em Correntina, por volta das 5h30, quando uma van Sprinter se chocou contra uma carreta bitrem.


A van seguia para o enterro de Tibúrcio Galvão - seu corpo ia à frente, em um carro da funerária. Maria da Conceição, mulher de Tibúrcio, também morreu no acidente.


O motorista da carreta, Vilmar Krein, 35 anos, ia para o distrito de Rosário e teve ferimentos leves. Ele disse que a van saiu da pista repentinamente e que ele ainda tentou entrar na contramão para evitar a batida, sem sucesso. "Entrou na contramão. E aí não teve como eu defender", disse Krein.


O decreto 059, de 2011, diz que o luto foi declarado "considerando o impacto do ocorrido e compadecendo-se com a dor de todos os familiares das vítimas envolvidas no acidente".