Bahia

Disparo que matou motociclista em Cruz das Almas foi acidental, diz PM

Segundo a 27ª CIPM, o jovem estava fazendo uma manobra ilegal com a moto e foi atingido por um disparo do policial após ter atropelado o PM

Guilherme Silva (guilherme.silva@redebahia.com.br)
- Atualizada em
O disparo do policial militar que matou um jovem de 22 anos na noite da última terça-feira (2) em Cruz das Almas teria sido acidental. De acordo com o Major David Oliveira Lanzillotti, comandante da 27ª Companhia Independente de Polícia Militar (27ª CIPM/Cruz das Almas) do município, Paulo José dos Santos Fiúza, 22 anos, estava fazendo uma manobra ilegal com sua motocicleta e foi atingido por um disparo do policial Robério Gomes Bispo, 40 anos, após ter atropelado o PM.

A polícia fazia uma ronda normal pelos bairros de Coplan e Itapicuru, na cidade que fica a 146 quilômetros de Salvador, quando avistou Paulo empinando a moto. Nesse momento, o soldado Robério desceu da viatura para abordar o infrator e foi atingido pela motocicleta de Paulo. Ao ser atropelado, o soldado disparou um tiro acidental que atingiu o jovem entre o tórax e o abdômen.

Logo após ser atingido, por volta de 20h, o jovem ainda estava consciente e foi conduzido pelo próprio soldado na viatura da Polícia Militar para a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Cruz das Almas, onde por conta dos ferimentos graves e da perda de sangue ele veio a óbito.

O comandante não soube confirmar se Paulo atropelou o soldado de propósito para evitar a abordagem ou se ele teria se desesperado com a polícia e perdido o controle da moto, atingindo o PM. Robério ficou ferido no joelho e no cotovelo e teve a calça da sua farda rasgada. Além disso, havia marcas de sangue na viatura da polícia tanto de Robério quanto do motociclista.

Também segundo o comandante Lanzillotti, o soldado chegou a conhecer a família do motociclista na UPA e estava desesperado com a situação. Em seguida, Robério foi levado a delegacia de Cruz das Almas, onde foi aberto inquérito. De forma independente da investigação da Polícia Civil, a PM também investigará o caso, pelo fato de Robério estar em momento de trabalho.

Moto desapareceu
O corpo da vítima fatal foi conduzido ao Instituto médico Legal (IML) de Santo Antônio de Jesus, assim como o soldado envolvido, que também passou por exames ao longo de toda a tarde desta quarta-feira (3) no IML de Valença. A arma que foi usada para o disparo e a viatura da PM passarão por perícia para apurar as causas do acidente. No entanto, quando uma guarnição da PM retornou ao local para as investigações, a motocicleta envolvida havia sumido. A polícia suspeita que ela tenha sido levada por conhecidos de Paulo ou por bandidos.

O comandante Lanzillotti lamentou o acidente. Ele afirmou que o caso se trata de uma fatalidade e a Polícia Militar vai procurar a família da vítima ao longo das investigações para prestar o apoio necessário.

O comandante comentou que tanto o policial militar como o motociclista eram pessoas que "gozavam de bom conceito na cidade". Segundo ele, Robério é evangélico e tem um comércio de churros e coxinhas na cidade, onde trabalhava nos momentos de folga. Apesar de elogiar Robério e afirmar que ele nunca havia passado por uma situação parecida, o comandante Lanzillotti deixou claro que adotaria postura firme caso as investigações passem a apontar a culpa para o PM: "Se o policial for culpado ele vai pagar por isso".

Matéria original: Correio 24h
Disparo que matou motociclista em Cruz das Almas foi acidental, diz PM