Bahia

Dono de funerária é preso após preparar enterro de vítima na Bahia; entenda

Família da vítima contratou o serviço sem saber do ocorrido

Agência O Globo
- Atualizada em

O dono de uma funerária foi preso, nesta segunda-feira, após preparar o enterro do homem que ele matou com 11 tiros em Poções, no interior da Bahia. Caio Souza Cunha foi preso por policiais da Delegacia Territorial (DT) de Poções, na sexta-feira. A família da vítima, sem saber que Cunha era o autor do crime, contratou sua funerária para preparar o enterro de Neves. A pistola que teria sido usada para matar Jadson Neves foi encontrada na casa de um funcionário de Cunha.

Segundo a Polícia Civil da Bahia, investigadores da delegacia descobriram que a vítima comprou um carro do dono da funerária e estava relutante em pagar o restante do valor combinado. Insatisfeito com a falta de pagamento, Cunha atraiu a vítima para uma parte rural da cidade e deu 11 tiros nele.

Ainda de acordo com a Polícia Civil, Cunha não confessou o crime, mas a pistola que pode ter sido usada no crime foi apreendida na casa de um funcionário dele. Alex Venâncio Sampaio foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma.

"O dono da funerária pediu R$ 53 mil pelo carro, mas Jadson só pagou R$ 35 mil, pois estava esperando Caio trocar a titularidade do veículo. Já o indiciei pelo homicídio e a prisão preventiva dele já foi solicitada", explicou a titular da DT/Poções, delegada Alessandra Pereira.

A pistola passará por exame de microcomparação balística no Departamento de Polícia Técnica (DPT), para comprovar a investigação da unidade policial.